17 de novembro, de 2021 | 20:15

Assassino da enfermeira Priscila Cardoso é sentenciado a mais de 30 anos de prisão

Reprodução
Reginaldo foi sentenciado por latrocínio (roubo seguido de morte da vítima)Reginaldo foi sentenciado por latrocínio (roubo seguido de morte da vítima)

Em sentença prolatada no fim da tarde desta quarta-feira (17), no Fórum da Comarca de Caratinga, Reginaldo Ferreira de Souza, o Pau Véio, de 49 anos, que confessou a morte da enfermeira Priscila Cardoso da Silva, de 35 anos, foi sentenciado a cumprir 30 anos e 15 dias de reclusão por latrocínio (roubo seguido da morte da vítima), conforme apurado pela reportagem do jornal Diário do Aço.

Os detalhes da sentença ainda não foram disponibilizados pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais. Entretanto, é certo que a defesa do condenado poderá recorrer da sentença, para reduzir o tamanho da pena.

Inicialmente esperava-se que a condenação, conforme pedido pelo Ministério Público Estadual, que considerava o crime como latrocínio, cárcere privado e estupro, passasse de 60 anos. Entretanto, o réu foi sentenciado apenas por latrocínio (roubo do carro e morte da vítima), cuja pena somou pouco mais de 30 anos.

Também foi proferida a sentença no caso do mecânico apanhado em Teixeira de Freitas, Bahia, com o carro da vítima, um Chevrolet Ônix, roubado pelo autor confesso do crime.

Clébio Dutra de Jesus, de 37 anos, foi sentenciado apenas por adulteração de sinal identificador de veículos e foi sentenciado a uma pena de dois anos e multa. Clébio, que respondia o processo preso desde o dia primeiro de junho deste ano, já teve expedido o alvará de soltura e cumprirá a pena no regime aberto.
Arquivo DA
Clébio Dutra foi denunciado como coautor da morte da enfermeira, mas foi sentenciado apenas por adulteração de sinal identificador de veículo Clébio Dutra foi denunciado como coautor da morte da enfermeira, mas foi sentenciado apenas por adulteração de sinal identificador de veículo

Como o processo, inicialmente, citava crime sexual, tramitou sob segredo de Justiça. Até a tarde desta quinta-feira não havia sido retirado e detalhes da sentença não eram conhecidos.

Entenda como foi crime

Reginaldo Ferreira de Souza confessou que matou a enfermeira Priscila Cardoso da Silva, de 35 anos, depois de sequestra-la na saída da Unidade Básica de Saúde do bairro Cidade Nova, em Santana do Paraíso, em 15 de março de 2021.

Ele chegou a alegar um suposto relacionamento amoroso, mas essa versão não foi sustentada e nem provada. Para a polícia, a intenção sempre foi a de roubar o carro da vítima.

Pau Véio, como é conhecido, foi julgado na Comarca de Caratinga, pois o local onde a vítima foi executada (nas proximidades da cidade de Ipaba) é uma área que pertence à comarca de Caratinga.

O autor confesso do assassinato, Pau Véio foi denunciado pelo Ministério Público pelos crimes de latrocínio, estupro, sequestro qualificado e adulteração do veículo roubado da vítima. Entretanto, respondeu pela morte da vítima e roubo do carro. Caso fosse condenado pelos crimes denunciados, a pena chegaria a 54 anos de reclusão.

Comoção

O caso da enfermeira Priscila foi marcado por grande comoção. Depois de desaparecer de sua residência e de seu local de trabalho, no dia 15 de março passado, ambos no bairro Cidade Nova, iniciou-se uma campanha para a localização dela.

A polícia montou um quebra-cabeças que começou com a coleta de imagens de câmeras de segurança, nas proximidades do local de trabalho, a Unidade Básica de Saúde do bairro Cidade Nova, identificação do homem que a sequestrou e a localização do carro da vítima, com a ajuda da Polícia Rodoviária Federal em Teixeira de Freitas, Sul da Bahia. Foi uma corrida contra o tempo, porque a polícia acreditava que ela ainda estivesse viva, mas não estava.

A partir da localização do Ônix, em Teixeira de Freitas, a Polícia Civil de Minas Gerais e dos estados da Bahia e do Espírito Santo, passaram a atuar na procura do suspeito, que foi localizado na casa de familiares em Guarapari, no Espírito Santo, para onde fugiu em um ônibus ao perceber a mobilização policial na cidade do Sul da Bahia. Preso, Reginaldo confessou o crime e apontou onde o corpo estava, em meio a uma plantação de eucaliptos. Horas depois o corpo foi encontrado.

A enfermeira morava sozinha no bairro Cidade Nova, onde também trabalhava. Priscila era filha do ex-vereador e ex-presidente da Câmara Municipal de Resplendor, no Vale do Rio Doce, Jânio Roberto da Silva.

Arquivo DA
Priscila Cardoso, de 35 anos, foi sequestrada ao sair do trabalho, a UBS do bairro Cidade Nova, em Santana do Paraíso, e encontrada morta cinco dias depois perto de Ipaba, em uma área que pertence a CaratingaPriscila Cardoso, de 35 anos, foi sequestrada ao sair do trabalho, a UBS do bairro Cidade Nova, em Santana do Paraíso, e encontrada morta cinco dias depois perto de Ipaba, em uma área que pertence a Caratinga

Publicações sobre o caso:

-Justiça realiza audiência de instrução no caso da enfermeira Priscila
-Enfermeira foi morta no mesmo dia do sequestro, diz Pau Veio
-Mecânico que estava com o carro da enfermeira Priscila Cardoso, em Teixeira de Freiras, Bahia é preso
Álbum pessoal
Reginaldo Ferreira de Souza, o Pau Véio, de 49 anos, era natural de Caratinga, mas durante sua vida cometeu crimes em Minas Gerais, Bahia e Espírito Santo, foi preso mais de 20 vezes, inclusive por homicídioReginaldo Ferreira de Souza, o Pau Véio, de 49 anos, era natural de Caratinga, mas durante sua vida cometeu crimes em Minas Gerais, Bahia e Espírito Santo, foi preso mais de 20 vezes, inclusive por homicídio

Reginaldo já tinha passagens por crimes graves



Em pesquisas sobre Reginaldo Ferreira, a reportagem do Diário do Aço encontrou diversas notícias envolvendo o nome dele em crimes dos quais foi acusado ao longo dos anos. Reginaldo é natural de Caratinga, mas morou por alguns anos em Ipaba. Inclusive, segundo pessoas que o conheceram, já esteve preso na Penitenciária Dênio Moreira de Carvalho.

Entre as notícias encontradas envolvendo Reginaldo, uma data de 2013, em Teixeira de Freitas (BA), quando foi preso em julho daquele ano por matar um jovem com um tiro na boca.

“Eu o enquadrei e disse que nunca mais ele beijaria mulher de ninguém. Saquei um revólver e dei um tiro na boca dele”, comentou Pau Véio, de acordo com o jornal Sul Bahia News. No caso, Reginaldo acusou a vítima de beijar sua namorada.

Quatro anos depois Reginaldo já estava solto e foi preso novamente em Teixeira de Freitas com um revólver calibre 32, arma que se encontrava municiada.

Já em agosto de 2019, o Diário do Aço divulgou a 22ª prisão de Reginaldo por tentar roubar um carro com uma réplica de arma de fogo na cidade de Serra, na Região Metropolitana de Vitória, no Espírito Santo. Populares descobriram que a pistola era falsa e agrediram o autor da tentativa de assalto até a chegada da polícia, que efetivou a prisão dele.

Dois meses antes, em 2019, Reginaldo foi preso com uma réplica de arma de fogo, em Parque Residencial Laranjeiras, em Serra, região da Grande Vitória, no Espírito Santo, como divulgou o portal G1 naquela época. Ele havia sido denunciado por estar rondando a região onde teria tentado roubar o carro de uma mulher, quando a vítima conseguiu escapar do ataque. Uma equipe da PM conseguiu prendê-lo durante as buscas no bairro.

Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Antônio M.

23 de novembro, 2021 | 20:37

“Se tiver bom comportamento, em 10 anos, tá nas ruas, liberado pra agir novamente! Vamos aguardar a próxima vítima dele. Vamos aguardar que ele realize mais uma barbárie.”

Noescope

19 de novembro, 2021 | 00:31

“O MP vai recorrer para aumentar essa pena? A moça foi estuprada e os advogados desse desgraçado alegaram que eram namorados. Precisava de um Dr. André Ubaldino pra conseguir a pena máxima pra esse latrocida estuprador. Não é possível que o MP-MG não vá recorrer dessa sentença injusta. 50 anos ainda.seria pouco porque na verdade ainda poderia ficar no máximo 30 anos preso. Mas com uma pena de 30 ele poderá sair antes de morrer. Estamos de olho.”

Observador

18 de novembro, 2021 | 09:45

“Tales, não é a Justiça é a Lei. Quando for escolher seu próximo deputado federal e senador, lembre-se de saber qual vai ajudar a reformar o Código Penal Brasileiro. Ahh e é preciso reformar também a Lei de Execuções Penais (LEP).”

Tales

18 de novembro, 2021 | 09:42

“A justiça é uma piada! Se é que pode se chamar de justiça né!”

Genis Leite da Silva

18 de novembro, 2021 | 08:30

“muita bandidagem cara cheio de passagens e não ficou preso.,
diversas passagens por crimes. se ele estivesse preso não teria matado a enfermeira , é a justiça né brasileira .
fogo nesse pau velho.”

Pouco

18 de novembro, 2021 | 07:31

“O estupro e tortura não levou em conta?”

Carlos Costa

18 de novembro, 2021 | 06:06

“Parece pouco, mas foi dentro do que prevê essa lei penal defasada do Brasil. Será por que nossos ilustríssimos deputados não reformam o código penal brasileiro? Casos como esse deveriam ter um tratamento "diferenciado". Não se pode aplicar nenhum tipo de benefício de pena que permita a um elemento desses voltar a viver em sociedade. Se ele tem 49 anos não pode permitir que saia da cadeia antes do fim da vida dele. Ou é isso, ou ele volta a matar inocentes como essa enfermeira.”

Envie seu Comentário