05 de agosto, de 2021 | 21:18

Justiça realiza audiência de instrução no caso da enfermeira Priscila

Reginaldo Pau Véio foi denunciado pelo Ministério Público pelos crimes de latrocínio, estupro, sequestro qualificado e adulteração do veículo roubado; penas podem chegar a 54 anos

Wellington Fred + reprodução
Priscila Cardoso, de 35 anos, foi sequestrada ao sair do trabalho Priscila Cardoso, de 35 anos, foi sequestrada ao sair do trabalho
Repórter Wellington Fred
Iniciou-se nesta quinta-feira (5) a audiência de instrução e julgamento de Reginaldo Ferreira de Souza, o Pau Véio, que completou 50 anos no último dia 15 de junho. Recolhido ao Presídio de Manhumirim, ele é acusado de matar para roubar (latrocínio) a enfermeira Priscila Cardoso da Silva, de 35 anos, depois de sequestra-la no bairro Cidade Nova, em Santana do Paraíso, em 15 de março passado.

Pau Véio, como é conhecido, será julgado na Comarca de Caratinga, pois onde a vítima foi executada é uma área que pertence àquela comarca. Contudo, testemunhas, dentre elas policiais, foram intimadas a prestarem depoimentos, no Fórum da Comarca de Ipatinga a pedido (deprecado) do juiz de Caratinga. A sessão foi comandada pelo juiz da Vara de Execuções Penais e Precatórias Criminas, João Paulo Júnior, conforme apurou o Diário do Aço. Outras testemunhas serão ouvidas por carta-precatória.

Reginaldo é defendido pelo advogado Rodrigo Marcio do Carmo Silva e o coautor, o mecânico baiano Clébio Dutra de Jesus, defendido pelos advogados Vicente de Paulo do Espírito Santo e Victor Magno do Espírito Santo. Segundo informações do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, a advogada Marcela Pioli Pires é assistente de acusação.

Autor confesso do assassinato, Pau Véio foi denunciado pelo Ministério Público pelos crimes de latrocínio, estupro, sequestro qualificado e adulteração do veículo roubado da vítima. As penas somadas, conforme o promotor de Justiça Jonas Monteiro, podem chegar a 54 anos de reclusão.

Corpo da vítima foi achado em um matagal perto de Ipaba

Priscila foi encontrada assassinada no meio de uma plantação de eucaliptos, cinco dias depois do seu desaparecimento ao sair do trabalho. O corpo foi localizado à margem de uma estrada vicinal, perto de um dos acessos à cidade de Ipaba pela BR-458. Ela foi morta com um tiro na testa depois ser agredida violentamente, como constatou o exame no IML.

O corpo da enfermeira só foi achado depois da prisão de Reginaldo Ferreira em Guarapari, no Espírito Santo, depois de uma “caçada” realizada pelas polícias de Minas Gerais e Bahia. Com o apoio dos policiais capixabas, se cumpriu o mandado de prisão de Pau Veio.

Ele confessou que sequestrou a enfermeira, logo depois dela sair do trabalho em uma unidade de saúde do Cidade Nova, para roubar o carro da vítima. O Chevrolet Ônix foi localizado na cidade de Teixeira de Freitas, no sul da Bahia.

O carro estava em uma oficina, quando foi preso por receptação o mecânico Clébio Dutra de Jesus, de 37 anos. Ele acabou indiciado pela equipe da Polícia Civil, comandada pelo delegado Alexandro Silveira Caetano, por suspeita de coautoria no crime de latrocínio.
Reprodução
Reginaldo responde por latrocínio (roubo seguido de morte da vítima)Reginaldo responde por latrocínio (roubo seguido de morte da vítima)

Versão de um relacionamento foi contestada

Depois de ser trazido de Guarapari (ES) para o Vale do Aço, Pau Veio contou, sem qualquer prova, que teve um relacionamento de três meses com a enfermeira. Priscila, ao saber do passado de Reginaldo, teria resolvido acabar com a tal relação.

No dia que ele esteve com a enfermeira, foi ao seu encontro para supostamente conversar e tentar reatar a relação. Já na área de eucaliptos, na margem da BR-458, teria ocorrido um “disparo acidental da arma” durante o suposto diálogo.

Sobre o depoimento de Reginaldo, não foi confirmada pelos policiais civis sobre esta tal relação entre os dois. Ele não conseguiu fornecer sequer o nome completo da enfermeira, idade, número de telefone ou informar sobre a tatuagem de uma guitarra que Priscila fez na perna esquerda. Além disso, amigos que conviviam com a enfermeira contestaram essa versão. Eles negam que ela tivesse um caso com Reginaldo.


Já publicado:

Polícia localiza perto de Ipaba o corpo da enfermeira Priscila Cardoso

Decretada prisão preventiva de mecânico de Teixeira de Freiras como coautor da morte de enfermeira
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Jane

11 de agosto, 2021 | 11:26

“E se ela tivesse tido um relacionamento com esta besta fera a pena dele seria reduzida ou aumentada? De qualquer forma em um páis sério seria prisão perpétua. Infelizmente quando fizeram revisão das leis penais o povão estava muito distraído com campeonato de futebol e BBB. Lembro disto porque estudava para concurso e fomos pegos com várias alterações que complicavam os estudos.”

Edmilson S.

06 de agosto, 2021 | 22:02

“O crime foi hediondo! A cara desse verme causa náuseas. Não tem como a justiça ir na lábia desse bandido. Esse tipo não deveria ter direito a vida.”

Pena Máxima

06 de agosto, 2021 | 19:05

“Chamar este de animal é uma ofensa à natureza.”

Antonio

06 de agosto, 2021 | 11:57

“Nesses casos não deveria nem haver audiências e julgamentos! Cadeia direto, sem regalias e chave jogada fora. Bandido, covarde e mentiroso. Crápula!!!”

Justiça

06 de agosto, 2021 | 08:03

“Espero que a realidade a cerca da morte dessa moça venha a tona. Nitidamente foi um crime arquitetado e encomendado por alguém; esse "pau veio" nada mais é que o mero executor do crime e que na certeza da morte da moça aproveitou-se para subtrair o carro da vítima.”

Envie seu Comentário