Justiça de Coronel Fabriciano suspende volta às aulas

A decisão da Justiça da Comarca foi tomada com base em um pedido feito em nome dos profissionais da educação e da comunidade escolar, pela deputada estadual Beatriz Cerqueira (PT)

Wôlmer Ezequiel/Arquivo DA


Decisão de juiz da Comarca de Coronel Fabriciano foi preferida no fim da tarde dessa segunda-feira
Atualizada às 17:57 26/05
Por decisão da Justiça da Comarca de Coronel Fabriciano, a Secretaria de Educação do município suspendeu nesta terça-feira (26) as aulas da rede municipal de ensino, que haviam sido retomadas na segunda-feira (25) para estudantes do 6º ao 9º ano.

Por meio de nota enviada à imprensa no fim da tarde de hoje, o Executivo fabricianense informou que irá recorrer da decisão, com objetivo de garantir o direito de todo o cidadão ao ensino de qualidade, com segurança e observadas às normas de prevenção à covid-19.

Na semana passada, o prefeito Marcos Vinícius afirmou que os números da covid-19, associado à estrutura de saúde pública no município permitia a retomada das atividades escolares. Na ocasião, ele também disse que já esperava ações judiciais para suspender o feito e que sua equipe estava pronta para recorrer.

Ação Popular

A decisão da Justiça da Comarca foi tomada com base em um pedido feito em nome dos profissionais da educação e da comunidade escolar, pela deputada estadual Beatriz Cerqueira (PT).

“Ajuizei uma Ação Popular para impedir o retorno das atividades escolares presenciais na rede municipal de Coronel Fabriciano. O momento da pandemia exige que haja proteção da vida, sem aglomerações. O juiz deferiu o meu pedido de liminar e o município está impedido de retornar com as atividades escolares presenciais”, esclareceu a parlamentar em sua conta nas mídias sociais.

Segundo boletim epidemiológico de terça-feira (26), o município registra 40 casos confirmados; destes, 20 se recuperaram e 20 estão em isolamento. O município tem o total de 804 notificações, 136 casos suspeitos em investigação e 628 descartados.

Nova restrição para bares e restaurantes



Na nota oficial, a administração de Coronel Fabriciano informou ainda que cumpriu outra decisão da Justiça, em caráter liminar, proibindo o consumo de alimentos e bebidas dentro de bares, lanchonetes, restaurantes e congêneres.

A decisão do juiz Mauro Lucas atende a Ação Civil Pública protocolada pelo Ministério Público de Minas Gerais, que questionou termos do Decreto Municipal 7.220/2020, que disciplinava sobre o funcionamento do comércio na cidade.

Com isso, a partir desta quarta-feira (27), estes estabelecimentos somente poderão funcionar por delivery ou pagar e levar. A decisão também proíbe o funcionamento de clubes. Quem descumprir a medida poderá ser multado e ter o alvará de funcionamento suspenso. Veja, abaixo, vídeo com o pronunciado do prefeito acerca do assunto:


Prefeito Marcos Vinicius reafirma que há segurança para retomada de atividades escolares em Coronel


Veja o que já foi publicado:
Estudantes voltam às aulas em Coronel Fabriciano
Retorno às escolas ainda indefinido em Ipatinga e Timóteo
Volta às aulas em Fabriciano terá rodízio de alunos
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Oliveira 26 de maio, 2020 | 23:45
Com todo respeito ao nobre prefeito/medico, no mundo ha pessoas mais conceituadas que este edil que nao recomendam o retorno as aulas. Falta humildade para aceitar a grandiosidade desta pandemia. Precisamos de lideres, nao de ditadores. Ser medico não o qualifica para abrandar Os efeitos desta. SE assim fosse, Cada pais montaria um comitê apenas Com infectologistas. O Problema é de todos. É Preciso Cooperação inclusive da população!
Marcuus Winiciuus 26 de maio, 2020 | 14:24
Esse prefeito, seguidor fiel do Bolsonaro pouco se importa com a saúde das pessoas. Acorda pessoal. Uma pessoa que admira a teoria de Darwin, não serve pra ser prefeito.
Não somos animais. Esse negócio do mais forte geneticamente está ligado aos animais e plantas. O ser humano sempre lutará pela sobrevivência. Mesmo que a morte venca, e de fato vence. Mas ao contrário dos animais, nós humanos buscamos sempre a cura para tratar as doenças e postergar a morte. Depois tem coragyde falar que é cristão......
Gildázio Garcia Vitor 26 de maio, 2020 | 14:13
Beatriz Cerqueira é uma Professora da Grande BH ligada aos movimentos sociais relacionados à Educação, que já ocupou cargos de direção no Sind-UTE/MG, por três mandatos, e na CUT, sendo a primeira mulher e Professora a ocupar a presidência da organização. Está em seu primeiro mandato como Deputada, com uma expressiva votação de mais de 95 mil votos, ficando em 8º lugar, em 836 dos 853 municípios de MG.
De Olho na Cidade 26 de maio, 2020 | 12:53
RESPEITO DOUTOR MARCOS VINICIUS COMO MÉDICO E GESTOR DA CIDADE CORONEL FABRICIANO.. SEM SOMBRA ALGUMA QUE É JOGADA POLITICA DA OPOSIÇÃO CONTRA AS INICIATIVAS DELE SENDO PREFEITO DA CIDADE..MAS POR OUTRO LADO E COM TODO RESPEITO DOS CARGOS QUE ELE { PREFEITO E MÉDICO ÃO MESMO TEMPO QUE EXERCE } PODERIA ESPERAR MAIS UM POUCO SOBRE ESSA VOLTA AS AULAS.. PORQUE ATÉ ENTÃO IRÁ ENFRENTAR UM CONFRONTO DESNECESSÁRIO COM A OPOSIÇÃO, E É ISTO QUE ELES QUEREM AINDA MAIS SE APROXIMANDO AS ELEIÇÕES MUNICIPAIS.. PROVA DISSO É SOBRE A INTERFERENCIA DESTA DEPUTADA.. TENHO QUASE 60 ANOS E NUNCA VI OU OUVI FALAR DESSA MULHER.. AGORA DO NADA SURGI NA MIDIA... AFINAL QUE É BEATRIZ CERQUEIRA???
Wagner Campagnani 26 de maio, 2020 | 11:36
Já repararam que no estado de São Paulo não apareceu nenhum juiz ou parlamentar do PT pra ir contra o governador e prefeito.
Roberto 26 de maio, 2020 | 10:21
Nada contra o prefeito e nem as autoridades competentes mas nossas crianças sao nossas crianças se nós não as protege Las quem fará diante desta pandemia que assola nossa gente quero só ver se umas das crianças destas pessoas que apaian a volta das aulas se forem contaminadas o que vcs irão fazer
Bira 26 de maio, 2020 | 10:15
Engraçado mandar verba para nossa cidade essa deputada nunca mandou, agora quando o assunto é atrasar a vida do cidadão e não deixar o prefeito governar eles são os primeiros a se manifestar. Infelizmente tem muita gente querendo que o caos continue e que essa doença demore a passar. O desemprego e a miséria já está batendo na porta dos brasileiros, ficar em casa é preciso para aqueles que são da faixa de risco. As contas não param de chegar, os alunos sem aula serão aprovados ao final do ano? Comércio fechando as portas, poder judiciário interferindo no executivo. Onde vamos parar?
José 26 de maio, 2020 | 09:36
Alguém da região conhece essa deputada? Ou somente os seres do PT que tentam derrubar o governo Marcos Vinicius e lutam pelo poder?
Será que a deputada também esta fiscalizando as casas das crianças que dependem da merenda escolar? Será que ela vai repartir o seu salario e mandar uma ajuda pra todo esse povo não morrer de fome?
Ela poderia fiscalizar também as crianças que estão apanhando, sendo espancadas dentro de casa.

LAMENTÁVEL!
Vamos Fabri 26 de maio, 2020 | 09:00
Essa Deputada nunca ouvir dizer nome dela aqui na cidade , Isso é politicagem o Prefeito Marcos sabe o que faz ele é medico não apenas politico como os outros .
Arthur 26 de maio, 2020 | 08:17
Podia aproveitar e pedir pra lacrar as praças tbm... a prova que a força disso é política é que nunca cortam o problema pela raiz...
Til@sco 26 de maio, 2020 | 08:07
Esse eh o meu prefeito!!!!
Parabéns!
Tinho 26 de maio, 2020 | 02:40
Tinha que ser alguém do PT. O petismo é literalmente uma praga. É sempre contra tudo. Mesmo seja o melhor, se é alguém da oposição que está fazendo, eles são contra. Foi assim, com o plano real...
Ricardo Resende Ottoni Souto 25 de maio, 2020 | 21:20
Prefeito sem noção.... No momento em que a curva de contaminação no interior do Estado está subindo, ele manda os alunos e professores para as escolas!!

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO