Retorno às escolas ainda indefinido em Ipatinga e Timóteo

Municípios têm adotado atividades remotas, mas não cravam data para volta à sala de aula

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema, voltou a falar essa semana a respeito das atividades em sala de aula nesta semana. No dia 20, disse que seria difícil prever quando ocorreria. Já na quinta-feira (21), declarou ao programa Pânico, da rádio Jovem Pan, que há projeção, de acordo com a situação do estado, de que no segundo semestre as aulas poderão retornar. No Vale do Aço, Ipatinga e Timóteo ainda avaliam o cenário, enquanto em Coronel Fabriciano a decisão do prefeito Marcos Vinicius foi pela retomada das aulas na segunda-feira (25), para estudantes do 6º ao 9º ano. A volta às aulas para as séries iniciais até o 5º ano foi adiada.

Zema afirma que a preocupação reside no fato de as crianças serem pouco atingidas pelo coronavírus, mas o “levam” para dentro de casa e poderiam contaminar os pais e avós, não sendo adequado o retorno às escolas nesse momento, chegando a dizer que talvez o calendário não fosse retomado em 2020. “A previsão é que isso não seja feito tão cedo. Vamos ter de acompanhar, qualquer previsão agora seria prematura”.

Região
Em Timóteo, a secretária municipal de Educação, Cultura, Esporte e Lazer de Timóteo, Márcia Lessa, salientou que a fala do governador é coerente. “Nós estamos replanejando as ações constantemente porque precisamos estar preparados caso haja um retorno, mas tudo depende do desenrolar da pandemia, que é muito imprevisível. A retomada das aulas em 1º de junho está sendo reavaliada permanentemente pela equipe pedagógica da Secretaria, e depende do desenrolar da pandemia por covid-19 e de articulação com as ações e medidas adotadas pelo comitê de enfrentamento ao coronavírus de Timóteo. No dia 18 teve início a distribuição dos blocos de atividades escolares para os alunos da rede municipal de ensino por meio digital. Para quem não tem acesso à internet, os pais ou responsáveis pelos alunos retiraram os blocos nas unidades de ensino. As dúvidas podem ser tiradas por telefone ou WhatsApp”, salientou.

Ipatinga
O prefeito Nardyello Rocha frisou, por meio de sua assessoria de Comunicação, que o município tem cuidado do combate ao coronavírus com muita responsabilidade, acompanhando números dos positivos, de suspeitos e também balizando com o número de leitos para covid-19, ocupados e desocupados. “E na educação não vai ser diferente. Esse setor me traz um tripé de preocupação, em relação aos nossos profissionais, aos alunos e às famílias que ficam em casa. Porque quando você fala em rede pública, tenho uma série de alunos que residem em casa de quatro, cinco cômodos e que ali moram oito pessoas e três ou quatro delas têm acima de 60 anos. Então, se pego um jovem, levo para a escola, ele retorna contaminado ou isso acontece durante o trajeto, ele pode nem ficar sintomático, porque está cheio de saúde, mas vai disseminar para a pessoa da terceira idade que está dentro de sua casa, não existe isolamento vertical”, alerta.

Diante desse quadro, o prefeito não vê, no momento, uma data para retorno às aulas. Nardyello reiterou que será discutido e que o próprio Ministério da Educação adiou até 16 de junho. “Mas nós em momento algum estamos pensando em data definitiva para voltar. O que estamos pensando agora, e por isso reunimos a secretaria de Educação, juntamente com os diretores e professores, é que vamos retornar às atividades em casa, remota e por material impresso. Vamos ocupar o horário dos meninos e garantir o ano letivo, sem colocar em risco esses profissionais, alunos e esses familiares. Essa é a decisão que Ipatinga toma e enquanto eu estiver aqui, as escolas só vão retornar quando tivermos convicção que vamos fazer da forma mais segura possível e não acredito que seja neste momento, quando os números de positivos têm crescido no estado de Minas Gerais e em todo o Brasil”, concluiu.

Veja mais:

Fabriciano retoma aulas presenciais
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Samara 25 de maio, 2020 | 21:33
Se tem crianças nas ruas a culpa e dos pais em vez de deixar os filhos brincar na rua senta com a criança tenta ensinar um exercício da escola que está no caderno do seus filhos
O prefeito está de parabéns não e hora de reabrir as escolas com esse vírus espalhando desde jeito
Rr 24 de maio, 2020 | 11:53
Concordo com a decisão dos prefeitos em ñ retomar as aulas ,no momento é mt arriscado.
Até msm q tem mts crianças q ñ estão ficando em casa e podem está contaminados e transmitir p nossos filhos q estão em isolamento
Ñ temos leitos suficiente,vamos proteger nossas crianças e nossas família isto ñ é brincadeira.
Efs 24 de maio, 2020 | 06:04
Gildasio concordo com vc mas essas crianças estão na rua,não estão em casa,ta correndo risco do mesmo jeito.por isso q acharia melhor eles correrem risco mas escolas.
Efs 23 de maio, 2020 | 19:26
Retorno as aulas indefinido.mas as crianças estão nas praças na rua e no comércio.sera q o risco e maior mas escolas?
Gildázio Garcia Vitor 23 de maio, 2020 | 14:38
Os Prefeitos de Ipatinga e de Timóteo estão certíssimos com relação ao retorno das atividades presenciais nas escolas. Além dos argumentos médico-hospitalares citados, poderiam utilizar um exemplo que já deu errado: na Epcar (Escola Preparatória de Cadetes do Ar), de Barbacena, que não suspendeu suas aulas presenciais, foi confirmado hoje, pelo Centro de Comunicação Social da Aeronáutica, que 90 estudantes testaram positivo para a Covid-19.

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO