Gerente do Shopping Vale do Aço aponta possível cenário para reabertura

Enviada por leitor


Desde o fechamento do Shopping Vale do Aço, seis lojas já encerraram suas atividades de forma definitiva

Fechado há cerca de quatro meses, o Shopping Vale do Aço, em Ipatinga, continua sem previsão para reabertura e uma audiência realizada essa semana terminou sem consenso. Atualmente, apenas as lojas do segmento essencial estão abertas dentro do empreendimento. Dessa forma, para o gerente-geral do centro de compras, Rafael Martinez, a única esperança para a retomada do funcionamento é se o município aderir ao programa Minas Consciente, do governo do Estado.

Rafael salienta que, no dia 9 de julho, o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) teve uma decisão favorável ao seu pedido de medida cautelar em uma Ação Declaratória de Constitucionalidade (ADC) para que seja reconhecido o caráter vinculante da Deliberação nº 17, do Comitê Extraordinário Covid-19, do governo estadual. O requerimento foi deferido pela desembargadora Márcia Milanez, integrante do órgão especial do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG). “Por essa decisão, foi determinado que todas as prefeituras do Estado sigam a Deliberação nº 17 ou façam a adesão ao programa Minas Consciente. Pela Deliberação nº 17 está vedado a abertura de shopping center. Dessa forma, só resta aos shoppings pleitearem às prefeituras a adesão ao Minas Consciente, porque se o governo municipal insiste na manutenção da Deliberação nº 17, por mais que a economia volte ao normal, o shopping não tem perspectiva de reabertura”, explicou.

Tratamento isonômico

Rafael Martinez também acrescenta que o programa Minas Consciente oferece tratamento isonômico a todos os segmentos da economia. “Por exemplo, se abriu uma joalheria na rua, poderia abrir no shopping também, ou se abrir um restaurante na rua, abre no shopping também. Dentro desse contexto, acreditamos que o Minas Consciente é a melhor opção para o shopping atualmente, porque temos uma perspectiva de reabertura ao longo do tempo”.

Medidas sanitárias

Em relação às medidas sanitárias para evitar a propagação da covid-19, o gerente relata que o Shopping Vale do Aço já fez sua parte e que já ficou fechado por tempo demais. “Já implementamos todas as medidas de segurança e de contenção do vírus que eram possíveis e estavam ao nosso alcance. O cliente ao entrar no shopping limpa o solado do sapato, tem temperatura corporal aferida e recebe álcool em gel. Dentro do empreendimento todo ambiente é monitorado. Exigimos o distanciamento social e uso obrigatório de máscara. Portanto, precisamos que o shopping seja liberado, porque do jeito que está não tem como mais”, destacou Rafael.

Encerramento de atividades

Desde o fechamento do shopping, seis lojas já encerraram suas atividades, dentre elas, Mundo Verde (quiosque), Spatifilus, Leila Costa, Tennis Shoes, Girl Power e H'kids. O centro de compras gera em torno de 3.500 empregos diretos e indiretos, mas caso não seja reaberto nos próximos dias, mais demissões poderão ocorrer.

Entenda

O Shopping Vale do Aço foi fechado no dia 21 de março, após decisão do Comitê Gestor de Crise e a consequente publicação do Decreto Municipal nº 9.281/2020, devido à pandemia da covid-19. No dia 28 de abril, teve a reabertura autorizada por meio do Decreto Municipal 9.312/2020, publicado pelo governo de Ipatinga, operando com horário reduzido e restrição de público. O Ministério Público discordou da decisão da reabertura, foi à Justiça por meio da interposição de uma Ação Civil Pública e, no dia 8 de maio, o juiz de Direito da Vara da Fazenda Pública da Comarca de Ipatinga, Luiz Flávio Ferreira, acatou um pedido de liminar e suspendeu parcialmente os efeitos do Decreto 9.312/2020 do dia 28 de abril, interrompendo as atividades no shopping, com algumas exceções. Da mesma forma, suspendeu o funcionamento dos bares e restaurantes, que estava igualmente permitido, restringindo o atendimento via sistema de entrega (delivery).

Já no dia 14 de maio, o desembargador Wilson Benevides, do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), indeferiu a solicitação de reabertura do centro de compras que havia sido feita pela Intermall Empreendimentos e Participações – empresa que administra o shopping.


Minas Consciente visa retomada gradual do comércio

O “Minas Consciente – Retomando a economia do jeito certo” é um plano do Governo do Estado. A proposta criada sugere a retomada gradual de comércio, serviços e outros setores, tendo em vista a necessidade de levar a sociedade, gradualmente, à normalidade, por meio de adoção de um sistema de critérios e protocolos sanitários, que garantam a segurança da população.

O plano setoriza as atividades econômicas em quatro “ondas” (onda verde – serviços essenciais; onda branca – primeira fase; onda amarela – segunda fase; onda vermelha – terceira fase) a serem liberadas para funcionamento de forma progressiva, conforme indicadores de capacidade assistencial e de propagação da doença, avaliando o cenário de cada região do Estado e a taxa de evolução da covid-19.

Por meio do plano será possível acompanhar em qual onda cada segmento está situado, os informes epidemiológicos do coronavírus divulgados, diariamente, pela Secretaria do Estado de Saúde e a distribuição dos casos de covid-19 pelo Estado.

Consulta pública

Terminou na quarta-feira (22) a consulta pública sobre o plano Minas Consciente, aberto pelo Governo de Minas na semana passada. O objetivo foi permitir que a população contribuísse e enviasse sugestões para aprimorar o programa, que passará por alterações para se adaptar ao novo momento da curva de contaminação.


Administração de Ipatinga submeterá proposta do shopping à análise do Comitê de Crise

Representando o município, a procuradora-Geral de Ipatinga, Maria Alminda Guimarães, participou de uma reunião de conciliação em ambiente remoto, na quarta-feira (22), em que estava em debate a demanda da Intermall, administradora do Shopping Vale do Aço, pela retomada do funcionamento do complexo de compras. O Ministério Público estava representado pelo promotor Francisco Ângelo, e o juiz titular da Vara da Fazenda Pública da Comarca, Luiz Flávio, dirigiu a audiência, da qual participou também o Sindicato do Comércio do Vale do Aço (Sindcomércio).

Embora, num primeiro momento, o empreendimento tenha recebido do governo municipal autorização para retomar suas atividades sob condições sanitárias especiais, em meio à pandemia da covid-19, o shopping permanece impossibilitado de funcionar por decisão liminar da Justiça. Durante a audiência, foi proposto pelos representantes da Intermall que o município aderisse ao programa Minas Consciente.

Conforme o governo municipal, o Minas Consciente é inteiramente gerido em plano estadual, e prevê, neste momento em que se encontra o município de Ipatinga, o seu posicionamento na ‘onda verde’, que é o estágio mais restritivo da escala de reabertura. Na onda verde, permanecem abertos apenas os serviços essenciais (supermercados, farmácias, padarias, por exemplo. Fechando o comércio varejista).

De qualquer forma, o governo local informa que ficou decidido que o município irá levar a proposta restritiva apresentada pelo shopping à análise do Comitê Gestor de Crise, que irá se reunir em data a ser marcada. E uma nova audiência de conciliação está marcada para o próximo dia 5, entre todas as partes interessadas em discutir a reabertura do empreendimento.

Funcionamento

Atualmente, o comércio em Ipatinga está liberado para funcionar três vezes na semana (segundas, quartas e sextas-feiras), devendo ser obedecidas regras de distanciamento e sanitárias. As medidas pontuais e combinadas adotadas pelo governo, com a colaboração de empresas, instituições e da própria população, vêm gerando números mais animadores nos dados epidemiológicos da cidade.

Indicadores

Em pouco mais de 40 dias, Ipatinga reduziu de forma significativa o indicador que define o grau de transmissibilidade de infecção (RT) pelo coronavírus. No início do mês de junho, o índice estava em 1,99 (considerado o pior do Estado naquele período). Já no início do mês de julho, ele foi achatado para 1,09. E na última semana, entre os dias 12 e 18 de julho, esse percentual caiu ainda mais, descendo a 0,89.

Já publicado

Aciapi e CDL de Ipatinga se posicionam contra adesão ao programa Minas Consciente
Lojas do Shopping Vale do Aço ainda sem previsão para reabrir
Lojistas pedem reabertura de centros comerciais em Ipatinga
Aciapi e CDL defendem reabertura do shopping, bares e restaurantes
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Ricardo 25 de julho, 2020 | 09:46
Toda essa situação de, lojas fechadas e encerrando atividades, demissões, poderia ter sido evitado.
A logistica iniciaria nas portarias de acesso do shopping. Foram 02 pesos e 02 medidas. Fora do shopping, aglomerações em supermercados, bancos e outros comercios.
O tamanho do shopping pode contemplar "X" pessoas por metro quadrado. Que poderiam frequentar o espaço sem aglomerações, minimizando o risco de contágio, minimizando o risco do desemprego e de fechamento de lojas..
Adriano 24 de julho, 2020 | 11:57
O shopping precisa ser reaberto sim; pois sempre foi um local que levou a sério a condição de higiene no local e com certeza enquanto durar a pandemia esta postura não será diferente

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO