Ipatinga atinge 100% de ocupação dos leitos de UTI para covid e pacientes já aguardam na fila

Temor é que vagas acabassem na primeira semana de junho, mas fato chegou com uma semana de antecedência e já tem pessoas com estado agravado de saúde aguardando vagas

Elvira Nascimento/Divulgação HMC


Falta de respiradores no mercado impede a ampliação do número de vagas em leitos de UTI

O temor de que faltariam leitos de UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) na primeira semana de junho, para atender a pacientes com as complicações de saúde provocadas pela covid-19, a doença provocada pelo novo coronavírus, chegou com antecipação de uma semana e 100% dos leitos destinados a pacientes com a doença em Ipatinga foram ocupados nesta quinta-feira (28).

Como resultado, chegou-se ao pior cenário possível. Até as 12h desta quinta-feira, duas pessoas aguardavam na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Ipatinga para serem transferidas para leitos de UTI Covid-19. No período da tarde, o Hospital Municipal confirmou a disponibilidade de transferência de um dos pacientes, o que deverá ocorrer nas próximas horas.

Já no Pronto Atendimento do Hospital Márcio Cunha (HMC), quatro pacientes aguardavam transferência para a UTI. Como os dados são dinâmicos, esse quadro tem alterações a todo momento.

As informações constam no balanço de leitos ocupados nessa quinta-feira (28), divulgado pela Secretaria de Saúde do município de Ipatinga.

Conforme os dados oficiais, de um total de 25 leitos destinados à UTI, entre as vagas disponíveis no Hospital Márcio Cunha e no Hospital Municipal, 100% estavam ocupados com pacientes, não só de Ipatinga como também de outras cidades da região.


Do total de 25 leitos ocupados, 16 pessoas são de Ipatinga e seis já tiveram exame confirmado para covid-19 e os outros aguardam o resultado. Outras nove pessoas são de outras cidades e três delas já tiveram resultado positivo para covid-19.

Em internação nos 59 leitos de enfermarias destinadas a paciente de covid-19 no HMC e Hospital Municipal, a ocupação nesta quinta-feira atingia 56%, com 33 leitos ocupados. Desse total, 17 são de ipatinguenses e 16 pessoas de outras cidades. No gráfico abaixo estão outras informações.

Números não param de crescer: Ipatinga chega a 200 casos



No dia em que Ipatinga retomou medidas restritivas de funcionamento do comércio e uma série de outras limitações para evitar aglomeração de pessoas, o município atingiu 200 casos confirmados de covid-19. Desse total, 124 pessoas estão em isolamento domiciliar, 65 foram recuperadas e uma morreu.

Até agora 1.961 pessoas figuram como pessoas com suspeita de covid-19. Desse total, 1.542 cumpriram isolamento e outras 448 estão em isolamento. Entretanto, 1.418 pessoas já submetidas a exame deram resultado negativo para a doença.

Embora existam disponibilidade de novas vagas para serem transformadas em UTI, o município esbarra em outra dificuldade: a falta de respiradores mecânicos no mercado. Não existe o aparelho para ser comprado em nenhum fornecedor, nesse momento.

E o Hospital de campanha?



No mês de abril preparou-se a instalação de um Hospital de Campanha em Ipatinga, mas a proposta foi adiada, pois naquele mês a lotação de leitos nos hospitais da cidade ainda estava sob controle e o Estado orienta que a efetivação do Hospital de Campanha deve ocorrer quando for esgotada toda capacidade de leitos para internação.

O governo municipal informou, no começo dessa semana, que o hospital de campanha será montado na Escola Estadual Canuta Rosa, no bairro Cidade Nobre. Entretanto, a unidade terá apenas leitos de enfermaria, setor que no momento tem vagas na cidade, conforme o gráfico acima.

O hospital de campanha não terá respiradores artificiais para os casos de maior complexidade (que é a demanda maior atualmente), e ainda que estivesse montado, não teria os equipamentos, que estão em falta no mercado.

Conforme o governo, não existem respiradores para comprar atualmente, por nenhum valor. A China é o principal fornecedor global e tem compromissos com a produção e entrega de grandes encomendas feitas por vários países.

Em entrevista na manhã dessa sexta-feira, o prefeito Nardyello Rocha explicou a respeito dos investimentos. Veja o vídeo.

Mais:
Números oficiais do novo coronavírus (covid-19) no Vale do Aço
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Iara Nascimento Sales 31 de maio, 2020 | 12:32
Há a necessidade urgente de um Hospital de Campanha, porém, sem leitos de UTI, sem respiradores, como vai desafogar os outros hospitais? É necessário equipe de profissionais treinados para assumir um Hospital de Campanha e leitos de UTI, que teriam pelo menos com 10 respiradores e não adianta abrir hospital sem estrutura, simplesmente por questões políticas, mas que não atenda às necessidades da população.
Cleuzeni Torres 31 de maio, 2020 | 08:59
Isso está claro, JB, pessoas de outros municípios estão ocupando os demais leitos de UTI em Ipatinga (HMC e Hospital Municipal) e inclusive gente de CORONEL FABRICIANO. O jornal tem que publicar isso também. Pronto, Falei. Tem prefeito na miudiunha aí mandando paciente para outros lugares, Timóteo tem UM leito de UTI. E tinha gente de Timóteo com covid, espalhada por UTIs até de Governador Valadares. Ou sejam está uma ZONA TOTAL.
Jb 31 de maio, 2020 | 08:15
A conta não bate, se tem 25 leitos uti/covid e 10 internados por covid, quem está ocupando os demais leitos?
Falo Mesmo 31 de maio, 2020 | 02:30
Fechar os comércios? Concordo, porém e os supermercados? Que cada dia que passa estão mais lotados, os clientes são imuni? Os funcionários trabalhando o dobro, ao invés de reduzir a carga horária estão fazendo cada dia mais horas extras para darem conta de atender a população sem noção, que ao invés de deixar as crianças em casa levam para o supermercado, Aa crianças são as que tem chances maiores de pegar o vírus e tranfiri- lo para outras pessoas, afinal, crianças não sabem a hora de coçar o olho, colocar as mãos na boca e por aí vai, indignado com essa situação, o senhor prefeito era para proibir entrada das nossas crianças em supermercados, o que mais vejo são pais que de dizem pais para mim.. Eles com máscaras e as crianças sem, será que acham que as crianças são imune? Acorda povo, vamos pensar....
Vinicius 30 de maio, 2020 | 16:04
Só encaminhar para Belo Horizonte, tem um hospital de campanha com 800 leitos disponíveis.
Maria 29 de maio, 2020 | 21:09
Gostaria de perguntar a leitora que afirmou que a questão seria facilmente resolvida se fosse ministrado logo no início dos sintomas os medicamentos por ela referidos, e que só não o fazem por questões políticas. Sendo assim,eu pergunto por que em outros países já morreram tantas pessoas? Somente nos EUA mais de 100!
A pedagogia " libertadora" tão sonhada por Paulo Freire parece que irá mesmo acontecer.
Pobre Brasil!?
André 29 de maio, 2020 | 21:07
Os hospitais de Ipatinga são referência para inúmeras cidades da região. Fabriciano, por exemplo, mais uma vez reabriu todo o comercio, incluindo bares e restaurantes. As cidades pequenas pouco ou nada tem feito pra conter o avanço. Ou as administrações municipais de todo o Vale do Aço tomam medidas de isolamento e contenção em conjunto ou em questão de poucas semanas estaremos vivendo uma barbárie, queimando nossos mortos nas ruas, com em Guayaquil.
Cid Roberto Ferreira Raphael Gomes 29 de maio, 2020 | 14:01
Sou entrevistador do Ibope fomos praticamente expulsos da cidade de IPATINGA onde estávamos fazendo testes de corona vírus e o povo tentando agredir a gente, como todos que sabem que um dos atributos para o combate é testar a população.
Independência Ou Morte!! 29 de maio, 2020 | 13:47
Todas a cidades que enviam cidadãos com covid 19 pros hospitais de Ipatinga, deveriam seguir as mesmas recomendações, restrições, decretos e fiscalizações, é o justo.

Cidades a quase 100 km de Ipatinga, que tem prefeitos, vices, vereadores, cargos comissionados, etc, eu disse várias cidades, que quando um cidadão quebra um braço, é picado por uma cobra ou escorpião, precisa de um raio X, exemplos, coisas básicas, precisa se deslocar até Ipatinga, um absurdo, uma lástima, esses governantes entram ano e sai ano e só pioram para o povo, pra eles percebem que só melhoram.
Porque não se unem umas 3 cidades próximas e colocam 1 hospital que atendam a região, mesmo que seja básico, o povo carece e precisa disso. Mas não, envia pra Ipatinga.
Ipatinga recebe e cuida, mas a cidade não está aquentando e não tem estrutura pra tanta demanda, vejam esta reportagem. Toda a população é prejudicada.

Minas Gerais tem hoje 853 cidades, imaginam quantos prefeitos, vices, vereadores e cargos comissionados, imaginam quanto de dinheiro é jogado pelo ralo.
Todos sabemos que Minas está quebrado, falido, e se continuar, infelizmente só tende a piorar.
Existe um projeto excelente, não sei detalhar ainda, mas vou torcer muito que aconteça, um projeto que acabe com as cidades menores que 5.000 habitantes, cidades que não conseguem pagar suas contas com receita própria, precisam de ajuda federal, cidades que os impostos pagos são somente para pagar servidores, prefeitos, vices, vereadores e cargos comissionados, não sobra nada pra investimentos.
Visitem essas cidades e vejam se há algum avanço pra população! Não há avanço significante, não há.
Essas cidades passarão a pertencer a cidades maiores e mais próximas, com isso diminuiria esses cargos e sobraria mais dinheiro pra investimentos, parece ser um ótimo projeto, uma luz no fim do túnel.
Mas tenho certeza que para aprovar um projeto dessa envergadura, haverá quase uma guerra.
As pessoas estão procurando as cidades maiores, cidades essas mais violentas e desiguais, tudo por causa do abandono de políticos em razão de benefícios próprios.
Que Deus nós ajude!!
Rui 29 de maio, 2020 | 13:44
Isso é que dá ceder pressão de lojista.
Jessica 29 de maio, 2020 | 12:11
A população não sabe usar uma simples máscara, colocam no queixo, na cabeça menos cobrindo boca e nariz. Tem que fechar tudo pra isso parar .Entendo que iremos passar necessidades mas no momento isso é o ideal. A econimia a gente recupera a saúde não. Temos que tomar essa atitude. Não podemos facilitar neste momento. É muito triste de chegar onde chegou . Agora vai vir o dia dos namorados e aí? Centro lotado! As pessoas não se importam com suas vidas e a vida dos outros.
Caos 29 de maio, 2020 | 12:05
O momento é crítico pra todos, mas a decisão tem que ser tomada, doa a quem doer, não se pode e nem se consegue agradar a todos, senão pagaremos com nossas vidas.
Vivemos em um país onde a desigualdade social é gigantesca, e a covid vai matar em sua maioria, os menos favorecidos. Os endinheirados estão se protegendo, podem tem certeza, eles não ficam na linha de frente, já percebi que alguns empresários sumiram, não tem mais contato com o público, estão certos em se proteger, mas e seus funcionários que também tem família, e o povo que precisa sair a rua quando necessário!
Temos direitos e deveres, Abaixo de Deus, somente os políticos que podem ajudar os menos favorecidos nesse momento, se o egoismo e a ganância se sobreporem à vida, morrerão muitos pobres inocentes.
Que os políticos de nossa região parem de querer agradar a todos, isso não existe.
O povo, principalmente os mais necessitados precisam de vcs.
Tenham firmeza em suas decisões, ou o caos se instalará.
Walmilopes 29 de maio, 2020 | 11:21
Não é a falta estudo é uma ignorância sem medida. Não respeitam as orientações dadas e nem as outras pessoas que respeitam. É ignorância e desrespeito com o próximo, vejo isso aqui em Ipatinga sempre o essas pessoas ainda acham ruim de falar com elas.
Temos que cobrar delas sim.
Tania Maria 29 de maio, 2020 | 10:21
Se os médicos dessem a Cloroquina com Azitromicina no início dos sintomas não haveria necessidade de aparelhos respiratórios. A Ivermectina tb acaba com o Covid, mas os médicos esquerdopatas e desumanos preferem deixar as pessoas correrem o risco de morrer, pq a Cloroquina foi indicada pelo Bolsonaro. Sabe quem está se salvando?? Só a classe média alta q exige a Cloroquina caso os médicos não receitem. É o melhor remédio atualmente e o custo baixíssimo. A prefeitura tem q distribuir gratuitamente pra população carente com isso se evita gente internada. E além disso o governo já enviou mais de 10 milhões pra prefeitura.
Evandro 29 de maio, 2020 | 10:08
Bom dia, a todos. É muito fácil colocar a culpa em alguém, olhe no espelho e diga a culpa é sua. Você não foi no supermercado?? foi na farmácia? foi na padaria? foi no hospital? foi no Pet shop? foi no açougue? foi passear com o animalzinho na rua?. Vamos assumir que também fazemos parte da população que em alguns momentos também, não seguimos as recomendações. Agora vamos direcionar nossa orações para todo o Brasil, para que nosso senhor jesus cristo derrame chuvas de cura para o nosso povo. AMÉM!
Pedro 29 de maio, 2020 | 08:24
Os números vão continuar subindo, mesmo com as novas restrições e obrigações impostas pelo prefeito. E a culpa disso tudo, é de uma coisa chamada INSTRUÇÃO, aliás, a falta dela.

Não que esteja faltando veiculação de propagandas orientadoras nas mídias locais e nacionais, é uma questão muito mais profunda e difícil de se resolver.

Como esperar que pessoas que não tiveram uma boa educação (leia-se formação escolar) entendam a dinâmica de disseminação de um vírus?! Não me refiro àqueles que nunca tiveram oportunidade de estudar, mas sim de todos nós, aos sem formação, ou apenas com ensino fundamental, muitas vezes incompleto, ou os milhares que concluíram o ensino regular sem realmente aprender nada, sendo empurrados a passar de ano para atingir índices e metas de aprovação.

Como colocar na cabeça das pessoas que o simples ato de usar uma máscara (da forma correta é claro) contribui enormemente para frear a propagação de um vírus!? E como dizer a estas mesmas pessoas, que as máscaras não as torna imunes, e que elas devem permanecer em suas casas se não houver extrema necessidade de sair?!

Como dizer às pessoas para pararem de colocar a mão na face, enquanto elas próprias levam suas crianças para o centro da cidade e para os comércios lotados?

Parece impossível reduzir a propagação de um vírus, em um lugar onde medidas simples, não conseguem ser entendidas pela população.

É difícil instruir um povo sem instrução. É difícil fazer com que entendam a dinâmica da prevenção e da disseminação.

Falta-lhes entendimento, não por culpa deles próprios, mas por culpa de tudo que deixaram de aprender com o ensino precário que tiveram.
Preocupado 29 de maio, 2020 | 08:13
E Fabriciano fazendo de tudo para voltar as aulas!!!
O vale do aço é uma coisa só. As cidades são integradas.
Triste
Roberto 29 de maio, 2020 | 07:07
Mas cadê o hospital de campanha? Em vez de cuidar da saúde o prefeito tá e asfaltando rua que já tinha asfalto. Não entendo isso.
Alessandra 29 de maio, 2020 | 06:58
Cadê o hospital de campanha que era pra ter sido feito no canuta?Se não fez ,cadê o dinheiro?
Dutra 29 de maio, 2020 | 06:55
Pessoal mantenham o foco do isolamento e o uso de álcool em gel e máscaras. Sigam as orientações de saúde evitem aglomerações.
Cuide de vc e de sua família. Coisa está feia e estamos a deriva sem comando de quem deveria estar no comando. É o Brasil!!!!
Joaquim 29 de maio, 2020 | 06:07
Calma Marcelo o sr.esta apressado homi.
Esqueceu que é só enrolar um pouco e depois faz nas coxas sem licitação?
Niulder Franco Belumat 29 de maio, 2020 | 05:45
Tive conhecimento de que há um paciente com suspeita de COVID-19, internado na enfermaria ao lado de pacientes com outras doenças. Isto não é um risco alto para transmissão?
Hudson Menezes de Freitas 29 de maio, 2020 | 02:29
Que tal o Prefeito abrir o comércio p o dia das mães de novo... O resultado veio rápido..
Enilda 29 de maio, 2020 | 01:12
C certeza este aumento de casos de covid se deve
Àquele aglomerado de gente sem noção na reabertura do comércio no centro da cidade, como vi em uma foto postado da av 28 de abril.
Não é culpa do perfeito pois realizou o desejo do povo, só q o povo não soube usar, será q precisavam sair todos pra comprar no mesmo dia? Será q era imprescindível e ou indispensável comprar roupas, acessórios, eletrodomésticos e outros? Será??? Enquanto isso se expôs, e além disso colocando outras vidas em riscos.
E agora???
Viviane 28 de maio, 2020 | 23:19
E por quê esses pacientes que não tem vagas de UTI disponíveis não são transferidos para hospital de campanha em Belo Horizonte, que foi construído pelo governador justamente para pacientes de todo estado de Minas Gerais?
Nete 28 de maio, 2020 | 23:03
Não entendo esses números. No boletim consta 10 internados e na notícia 17. Qual está correto?
Não adianta Ipatinga adotar uma série de medidas restritivas e as cidades vizinhas não. O pessoal de lá adoece e vem para os hospitais de
Ipatinga, sobrecarrega o sistema e o pessoal daqui, se precisar, não tem vaga.
Adriano 28 de maio, 2020 | 23:01
Parabéns aqueles que fizeram carreata pela abertura prematura dos bares, taí o resultado
Ernane Almeida 28 de maio, 2020 | 22:30
Tivemos 3 meses para se preparar.e o dinheiro foi disponibilizado pelo governo federal.
Se o prefeito não se preparou foi falta de responsabilidade.
Marcelo 28 de maio, 2020 | 21:54
Uma pergunta que não quer calar: CADÊ O HOSPITAL DE CAMPANHA?

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO