E o hospital de campanha?

Prefeito de Ipatinga explica investimentos para enfrentamento dos efeitos da pandemia no município e alerta sobre taxa regional de infecção

Alex Ferreira


Prefeito explica investimentos para enfrentar a covid-19 em Ipatinga; "recursos foram disponibilizados somente essa semana e demanda atual não se resolve com hospital de campanha"

Em entrevista ao Diário do Aço na manhã dessa sexta-feira (29), o Prefeito de Ipatinga, Nardyello Rocha, explicou a situação do hospital de campanha, que é uma reivindicação intensa da população desde a quinta-feira, quando saiu a notícia dando conta que 100% dos leitos de UTI na cidade estão ocupados e pessoas com agravamento do quadro de covid-19 estão na fila aguardando vagas.

O prefeito explicou que o hospital de campanha ainda não foi montado porque não existe a necessidade para tal. Entretanto, o equipamento deverá ser disponibilizado. Já o uso prático dele é relativo. Isso porque o hospital é auxiliar para desafogar o hospital convencional e ampliar leitos de enfermaria.

Ocorre que nessa sexta-feira, por exemplo, a ocupação de todos os leitos de enfermarias, nos dois hospitais (Márcio Cunha e Municipal), é de 35%. “Então não justifica investir recurso no hospital de campanha e ele ficar ocioso, porque a demanda que existe agora é de vaga de UTI”, pontua Nardyello.

Questionado sobre a transformação de leitos de enfermaria em leitos de UTI, o prefeito explicou que não existem no mercado os respiradores para serem comprados, por valor nenhum. “Mas quem nesse momento gosta de fazer politicagem, ao verem leitos de UTI saturarem em 100%, começam a cobrar o hospital de campanha, que na prática não resolveria a demanda”, desabafou.

O prefeito também explicou o investimento de R$ 13.259.600 repassados pelo governo federal, recurso que foi disponibilizado somente essa semana.


Prefeito de Ipatinga fala sobre hospital de campanha e enfrentamento da covid 19


Taxa de infecção no Vale do Aço pode levar a decreto regional de isolamento



Outra realidade destacada pelo prefeito de Ipatinga está relacionada a dados conhecidos somente na quinta-feira pelas autoridades de saúde: a taxa de infecção.

O prefeito explica que o índice padrão de infecção é de 1 para 1,02 pessoa, ou seja, cada infectado contamina outro 1,02. Em Minas Gerais esse índice é de 1 para 1,4 pessoa. Entretanto, na macrorregião do Vale do Aço o índice salta para 1,99, fato que está relacionado à circulação e aglomeração de pessoas.

O prefeito admite que o quadro atual demanda uma ação conjunta dos municípios da região, porque associado ao crescimento das contaminações subiu o número de pessoas que contraem o novo coronavírus e têm agravado o quadro de saúde, sobrecarregando as UTIs.

“Para quem não acredita na pandemia, eu digo o seguinte: Não pague para ver. Acompanhamos o tempo todo os efeitos do vírus. Ele existe, a situação muda a cada instante e chegamos a uma situação em que mesmo se a pessoa tiver dinheiro ela não consegue ser atendida, pois não existe equipamento. Portanto, saia de casa somente se tiver muita necessidade”, concluiu.


Dados atualizados no fim da tarde de sexta-feira (3/5)



Ocupação de leitos de UTI e Enfermaria em Ipatinga

Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Eu Sou o Que Sou 31 de maio, 2020 | 08:27
Ora , séria melhor botar pelo sistema driver thru , aonde as lojas disponibilizariam uma lista via redes sociais dos seus respectivos whatsapps , assim, os clientes comprariam online e posteriormente receberiam as suas encomendas ou refeições em suas casas!
Miry 31 de maio, 2020 | 03:18
Quando alguma coisa esta densa, ela deve ser diluída para ficar mais leve... Acredito que assim deve ser o comercio, voltar a funcionar em horário normal e que a Saritur retorne com os horários normais dos ônibus (talvez até aumente a oferta de horários), assim as pessoas terão mais tempo para resolver suas questões, onde quer que for.

Às pessoas que apoiam o fechamento total do comercio (com certezas não estão passando por necessidades), deixem aqui também seu contato, assim quem tiver perdido o emprego devido ao fechamento do comercio podem entrar em contato com vocês, para levar as contas para vocês pagarem e buscar arroz, feijão...nas casas de vocês, pq eu conheço muitas pessoas que já estão passando fome, devido a perda de renda.

Sejam mais humanos, saiam de suas bolhas e vejam que o mundo e muito mais complexo.
Irlene Martins Moreira 30 de maio, 2020 | 17:15
Sr. Prefeito feche este comércio assim evita aglomerações. As pessoas infelizmente saem sem necessidades e ainda levam filhos, país e amigos juntos. Parece que o centro é lugar para passear.
Cidadã 30 de maio, 2020 | 10:33
O nosso prefeito tem realizado um trabalho c responsabilidade perante o quadro de Pandemia, politicos de cidades vizinhas gostam de criticar, mas na hora q seus cidadãos adoecem, mandam p Ipatinga.
Jc 30 de maio, 2020 | 08:24
Este novo horário do comércio vai complicar ainda mais....... pois 2a, 4a e 6a feira as lojas vão ficar cheias e os funcionários de todos segmentos saem do trabalho as 18 hrs ....... o formato de 10 às 16 hrs (todos os dias) é muito melhor...... só pode ter politicagem nessa decisão ?
Jc 30 de maio, 2020 | 08:23
Este novo horário do comércio vai complicar ainda mais....... pois 2a, 4a e 6a feira as lojas vão ficar cheias e os funcionários de todos segmentos saem do trabalho as 18 hrs ....... o formato de 10 às 16 hrs (todos os dias) é muito melhor...... só pode ter politicagem nessa decisão ?
Natal 29 de maio, 2020 | 20:09
Hoje na parte da manhã, os guardinhas do estacionamento tava abarrotado de serviço...tinha carro por todo lado...vixe!!! e a caneta cortando na alta.
Independência Ou Morte!! 29 de maio, 2020 | 19:44
Todas as cidades que enviam seus cidadãos para tratamento nos hospitais de Ipatinga, deveriam seguir as mesmas recomendações, restrições, decretos e fiscalizações, é o correto e justo.

Cidades a quase 100 km de Ipatinga, que tem prefeitos, vices, vereadores, cargos comissionados, etc, eu disse várias cidades, que quando um cidadão quebra um braço, é picado por uma cobra ou escorpião, precisa de um raio X, exemplos de coisas básicas, precisa se deslocar até Ipatinga, na maioria das vezes pacientes idosos, carentes, sem acompanhantes e sem dinheiro.
Porque não se unem, junta umas três cidades próximas e colocam um hospital que atendam a região, mesmo que seja o básico, vai ajudar muito, o povo carece e precisa pra ontem.
Um absurdo, uma lástima esses governantes, entra ano e sai ano e só piora para o povo, pra eles só melhoram.
Ipatinga recebe e cuida dessas pessoas, mas não está suportando a demanda, não tem estrutura pra atender a todos, isso já ocorre a muito tempo e agora com a covid 19 tá próximo do caos, toda população principalmente de Ipatinga é muito prejudicada.

Minas Gerais tem hoje 853 cidades, imaginam quantos prefeitos, vices, vereadores e cargos comissionados, imaginam quanto de dinheiro é jogado no ralo.
Todos sabemos que Minas está quebrado, falido, e se continuar, infelizmente só tende a piorar.
Existe um projeto excelente, não sei detalhar ainda, mas vou torcer muito para ser aprovado.
Um projeto que acaba com as cidades menores que 5.000 habitantes , cidades que não conseguem pagar suas contas com receita própria, precisam de ajuda federal, cidades que os impostos pagos são somente para pagar servidores, prefeitos, vices, vereadores e cargos comissionados, não sobra nada para investimentos.
visitem essas cidades e vejam se há algum avanço pra população! Não há avanço significante, não há!
Não sobra um centavo pra investir em melhorias para a população, qual a vantagem em pagar altos impostos senão temos retorno? Por isso tanta desigualdade!
Essas cidades passarão a pertencer a cidades maiores e mais próximas, com isso, acabaria esses cargos, acabaria a mamata e sobraria mais dinheiro pra investimentos.
Parece ser um ótimo projeto, uma luz no fim do túnel, mas tenho certeza que para aprovar um projeto dessa envergadura, haverá quase uma guerra.
As pessoas estão procurando cidades maiores, cidades essas mais violentas e desiguais, tudo por causa do abandono de políticos em razão de benefícios próprios.
Que Deus nós ajude!!
João José Custodio 29 de maio, 2020 | 16:01
Na minha opinião vai piorar muito com a abertura parcial em três dias, porque quando estiver aberto como hoje todos vão sair as compras, estive no centro hoje parece festa, está lotado de gente, acho que se abrir todos os dias vai evitar lojas cheias como vi hoje, estou muito preocupado com o que vi hoje.
Iza 29 de maio, 2020 | 15:40
O comercio deveria abri horarios normais todos os dia, assim teria tempo p comprar
e não tinha aglomeração, comercio fechado só piora a situação
Tales Wender Lopes dos Reis 29 de maio, 2020 | 15:32
Vem aqui no centro pra ver, lotado, ninguém respeitando as normas , gente andando sem máscara passando um por cima do outro, espirrando na cara dos outros, enfim, uma loucura. Parece q amanhã é Natal de tão cheio. Ou vem pra rua fiscalizar ou fecha tudo.
Rubens Mendes de Freitas 29 de maio, 2020 | 14:07
Vai esperar começar a morrer pessoas sem atendimento ? Até montar o hospital, equipá-los ? Já era para estar prontos, então comecem a atuar. O dinheiro que recebeu do governo é para ser utilizado da melhor forma.
Izabel 29 de maio, 2020 | 14:06
A abertura do comercio parcialmente é pior, deveria abrir normal assim o fluxo de pessoas seria menor
pois teria mais tempo para comprar e não correriam o risco de perder emprego e empresas fecharem.
portanto se o comercio abrirem horario e dias normais o fluxo de pessoas seria bem menor
Falou Tá Falado 29 de maio, 2020 | 13:16
Acorda prefeito. O que você está esperando pra determinar o fechamento do comércio todo...

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO