Pista do aeroporto regional será recuperada de forma definitiva

Logo após a execução dos serviços de reparos na pista de pouso e decolagens e no estacionamento de aeronaves, a Anac manifestou-se favoravelmente à liberação das operações aéreas

Alex Ferreira


Aeroporto regional é alternativa de transporte rápido para passageiros do Vale do Aço

Após ter sua pista fechada e passar por intervenções de emergência para recuperação, o Aeroporto Regional do Vale do Aço deve receber uma reforma definitiva e mais ampla. As informações são da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Mobilidade e do deputado estadual Celinho do Sinttrocel (PCdoB). À época da liberação do retorno das operações, no mês de abril, relatos de pessoas que estiveram no local davam conta de irregularidades na obra efetuada para a retirada das lombadas ao longo da pista. Entretanto, o equipamento foi reaberto e opera normalmente, até o momento.

Conforme nota enviada pela Secretaria de Estado de Infraestrutura e Mobilidade (Seinfra), a pasta está em tratativas junto ao Governo Federal, para celebração do Termo de Compromisso, que permitirá a recuperação definitiva da pista do Aeroporto Regional do Vale do Aço, por meio de recursos do Fundo Nacional de Aviação Civil (FNAC). No momento, os trabalhos encontram-se na fase de adequação dos projetos, para atender aos requisitos da Secretaria Nacional de Aviação Civil.

Logo após a execução dos serviços de reparos na pista de pouso e decolagens e no estacionamento de aeronaves, concluídos pelo Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DEER) em abril deste ano, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) manifestou-se favoravelmente à liberação das operações aéreas. Ainda segundo a Seinfra, a recuperação do pavimento do aeroporto foi realizada para ser resiliente e proporcionar a máxima segurança às operações.

Modernização

O deputado estadual Celinho do Sinttrocel destaca que a área técnica da Secretaria de Infraestrutura encaminhou para a Secretaria de Aviação Civil o referido projeto técnico da nova pista. Porém, retornou por exigência da pasta, para que sejam feitos ajustes e posterior aprovação por parte da Secretaria. “A liberação do valor de R$ 12,8 milhões para a modernização do aeroporto está garantida, mas depende da aprovação desse projeto. A informação que me foi repassada é que estão fazendo monitoramento, para que não tenhamos problemas antes dessa nova obra. Mas eles acreditam que, antes de voltar a ter alguma intercorrência, tudo estará aprovado. O processo é burocrático mesmo, mas é preciso passar por todos esses encaminhamentos”, avaliou o parlamentar.

Ele assegura que a pista será construída do zero. “Para efeito de pista, o aeroporto estará apto a receber aeronaves de porte maior. Mas estamos discutindo a modernização de todo o aeroporto, por meio do fundo de aviação. Precisamos de uma nova sala de embarque e desembarque, novo estacionamento, esteira e hangares. Tudo isso fará com que possa, em breve, ter novas companhias operando e mais voos. No geral, o que podemos garantir é que o assunto está em andamento e acelerado. Nossa preocupação é não deixar para última hora e ter o aeroporto parado de novo”, alertou Celinho.

Suspensão

No mês de fevereiro, a Azul Linhas Aéreas anunciou a suspensão dos voos a partir do terminal, alegando falta de segurança na pista, tomada por ondulações. Permaneceram os voos periódicos do programa Voe Minas, que opera aviões menores, com capacidade para até nove passageiros. Entretanto, dias depois, a Anac decidiu cancelar todas as operações do aeroporto, por não atender recomendações técnicas. O assunto repercutiu e mobilizou os setores empresarial e político regional.

As operações no Aeroporto Regional do Vale do Aço foram liberadas em abril, para voos comerciais e particulares. A Azul Linhas Aéreas Brasileiras, que opera voos para o aeroporto de Confis, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, retomou as operações no dia 9 de maio. O Voe Minas, com a rota para o aeroporto da Pampulha, na capital, foi descontinuado no dia 30 de junho, em razão do planejamento da nova administração, de Romeu Zema.

Em caso de dúvidas ou para outras informações, os passageiros que adquiriram passagens anteriormente e que, porventura, ainda não usufruíram dos voos, podem acionar da Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais (Codemge) por meio de telefone (31) 3207-8888 ou pelo e-mail contato@voeminasgerais.com.br. As informações são da Codemge.

(Bruna Lage - Repórter)
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Barrabas 10 de Julho, 2019 | 12:29
Essas obras que depende de governo nao e confiavel alem de demorar a acontecer e quando comeca nao termina.a estrada que liga timoteo a sao jose do goiabal e uma novela sem fim.assim sera com o aeroporto.esta regiao so e lembrado em epoca de eleicao assim que passa eleicao os politicos da uma banana para o povo do vale do aco.
Zoio de Zoiar 10 de Julho, 2019 | 11:30
Do que adianta investir milhões, para depois continuarmos reféns de BH. Sai mais barato ir de UBER até Confins do que ir de avião. Mais uma obra burrinho de presépio. Esqueci tá chegando 2020 e tá querendo aparecer para angariar votos.
Claudio Lemes Louzada 10 de Julho, 2019 | 11:00
Boa notícia. Mas o Brasil continua a construir pista de pouso de asfalto. Só aeródromos, sem vôos comerciais são de asfalto. Nos países desenvolvidos, as pistas são construídas de CIMENTO PORTLAND com a primeira manutenção após 21 anos de uso ou até mais dependendo do uso. Já as de asfalto requerem manutenção a cada 4 anos. Saudações,

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO