Azul suspende operações por más condições na pista de pouso do Aeroporto do Vale do Aço

A empresa ainda destacou que os clientes que já adquiriram passagens partindo ou saindo de Ipatinga serão realocados

Wôlmer Ezequiel/Arquivo DA


De acordo com a companhia, foram identificados problemas na estrutura da pista de pouso do aeroporto

Com atualização às 17h24
A Azul Linhas Aéreas confirmou nesta quinta-feira (14) que suas operações estão suspensas no Aeroporto Regional do Vale do Aço por tempo indeterminado. O terminal está sob responsabilidade do Estado de Minas Gerais, desde 2016, quando a Usiminas desistiu da concessão. De acordo com a companhia, foram identificados problemas na estrutura da pista de pousos e decolagens do terminal. “A companhia (Azul), que constantemente analisa as condições de infraestrutura dos aeroportos onde opera, identificou que a pista do aeroporto em Santana do Paraíso, utilizada para pousos e decolagens, não atende aos padrões operacionais da empresa e, por este motivo, decidiu realizar a suspensão”, informou a assessoria da Azul.

A nota destaca que os clientes que já adquiriram passagens partindo ou saindo de Ipatinga serão realocados. “Todos os clientes com voos marcados de e para Ipatinga serão reacomodados por meio de outros aeroportos ou poderão ter o valor dos seus bilhetes ressarcidos”.

A companhia reforçou que não pretende desativar as operações no Aeroporto Regional do Vale do Aço e que espera a solução dos problemas o mais breve possível. “A empresa reforça que não tem o interesse em cancelar definitivamente seus voos na região, pelo contrário, espera que as adequações necessárias sejam feitas para que possa, o quanto antes, voltar a realizar seus voos. A Azul tem o compromisso de atender a seus clientes com excelência, por meio de um serviço de qualidade, eficiência, presteza e, principalmente, segurança – que é seu primeiro valor”, conclui a nota.

Procurada pelo Diário do Aço, a Socicam - administradora do aeroporto desde 2012 (ainda na época da Usiminas), esclareceu que “opera o Aeroporto de Ipatinga (Aeroporto Regional do Vale do Aço) por meio de contrato de prestação de serviço no qual não contempla a manutenção da pista de voo. Esse procedimento cabe à Secretaria de Estado dos Transportes e Obras Públicas de Minas Gerais (Seto)”, conclui a nota.

Alternativa

A Azul é a única a operar voos comerciais diários na região com aviões ATR-72, com destino ao aeroporto de Confins, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. No site da empresa, já não era possível mais adquirir passagens na tarde desta quinta-feira(14), para a capital mineira. A alternativa agora, são os voos da Voe Minas, que opera com aviões Cessna Grand Caravan 208 B, com capacidade para até nove passageiros e que pousa no aeroporto da Pampulha.

Mobilização

O presidente da Fiemg Regional Vale do Aço e coordenador da Agenda de Convergência, Flaviano Gaggiato, destacou em entrevista ao Diário do Aço a necessidade do aeroporto para a região. Conforme o executivo, a repercussão da paralisação das atividades da companhia aérea é “extremamente catastrófica”.

Flaviano lembra que as empresas âncoras da região, além de parte da população, utilizam o aeroporto como uma alternativa em relação à BR-381 que está em obras. “Isso será um impacto negativo muito grande, pois a possibilidade agora é ir para Governador Valadares para embarcar rumo à capital mineira. Ou seja, acrescenta 1h30 de ida ou de volta, é um transtorno muito grande”, avalia.

O executivo destacou que autoridades regionais trabalham para que o problema seja solucionado. “Já na quarta-feira (13) houve um envolvimento pessoal meu, além do presidente da Fiemg, Flávio Roscoe, que se encontrou com o governador do estado e discutiu a respeito desta situação. Estamos movimentando com a Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas (Setop) e o Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DEER-MG) para que pelo menos tenha uma solução paliativa para o funcionamento do aeroporto, até que o governo pense em uma solução definitiva”.

Flaviano acrescenta que o governo estuda a possibilidade de reparos emergenciais. “Deve ser feita uma nova inspeção na pista para ver alguma alternativa de reparo emergencial para que o aeroporto possa funcionar de seis a oito meses e, nesse tempo, realizada a licitação para uma recuperação definitiva. Este reparo deve ser feito pelo DEER-MG”.

Repercussão:
Reunião em Belo Horizonte busca solução para o aeroporto regional do Vale do Aço
Ipatinga terá reunião nessa sexta-feira para tratar do aeroporto regional

Melhorias são esperadas desde 2017

No dia 4 de abril de 2017, o processo licitatório que previa a formalização de uma Parceria Público Privada (PPP), para melhorias e ampliações das áreas administrativas, operacionais e do saguão do Aeroporto Regional do Vale do Aço, foi suspenso pela Setop e ratificado pelo Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais (TCE-MG) devido a diversas irregularidades identificadas no edital.

Desde então, o processo licitatório para a realização desta expansão está parado. Em fevereiro de 2018, a Socicam venceu um edital de licitação para a administração e operação do aeroporto. A empresa já administrava o terminal aéreo por meio de contrato de emergência e venceu a concessão válida por cinco anos.

Já publicado:

Aeroporto da Usiminas poderá ser administrado pelo Estado
Socicam vence licitação para administrar aeroporto regional
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Simone Nascimento 18 de Fevereiro, 2019 | 15:55
Sim, mas o que o governo disse sobre o caso? a reunião não foi na sexta? O que ficou decidido? Quando as obras vão acabar para o aeroporto voltar?
Como se já nao bastasse os escandalos em Ipatinga nos ultimos dias, temos mais essa noticias com varios voos sendo relocados e gerando um transtorno enorme em ter que "viajar" para pegar um voo... pagamos mais caro pela praticidade que não temos....
Wanderlei 15 de Fevereiro, 2019 | 09:59
O nosso Vale do Aço está abandonado, cadê os deputados eleitos, região que produz tanta riqueza, primeiro a ponte velha uma dificuldade para reformar, BR381, agora aeroporto, estamos sem saída infelizmente.
Arthur 15 de Fevereiro, 2019 | 08:55
Eles não são burros... esperaram acabar a temporada de férias kkkkk
Palhaço 15 de Fevereiro, 2019 | 08:29
Ontem estava observando umas conversas, a pessoa não sabe nem pra que lado fica o aeroporto, e estava achando ruim, ao extremo de quase querer se matar por conta da noticia.
Carlos Roberto dos Santos 14 de Fevereiro, 2019 | 23:58
Se a Viação Presidente fizer o mesmo, devido as péssimas condições da BR 381 até Belo Horizonte, só nos restará o trem da Vale.
Junio 14 de Fevereiro, 2019 | 20:11
Se essa moda pega não era para nenhum veículo passar na BR 381 de Belo Horizonte a Ipatinga nesse momento tem mais buraco que asfalto.
Adriano Valadares de Andrade 14 de Fevereiro, 2019 | 19:08
Lamentavel isso estar acontecendo tomare que se resolva o mais rapido possivel
Edmar Casasa de Lima 14 de Fevereiro, 2019 | 18:27
Lamentavel que agora com a alta demanda de voo e as passagens baratas isso aconteça, tomara que solucione rapidamente esse problema, pois estou em ferias em IPATINGA mais retorno a SP dia 20.
Paulo César 14 de Fevereiro, 2019 | 18:19
Pra quem já viveu a expectativa de um aeroporto de grande porte em 2009, e mesmo antes, teve o privilégio de contar com os serviços da então Oceanair, hoje Avianca...que retrocesso, sonhores e senhoras! Que retrocesso...
Boneca 14 de Fevereiro, 2019 | 17:12
Daqui a pouco vão falar que a culpa e do Prefeito de Ipatinga, que ver só? Se tem um buraco na rua la em Caratinga, a culpa e do homem coitado kkkkkkk
Maria 14 de Fevereiro, 2019 | 15:58
Isso é caô da Azul, fez isso em Pato de Minas e nunca mais voltou... Por que a Voe Minas, que sai da Pampulha, está vendendo voos então?? O problema no aeroporto só atinge a Azul?? Conta outra...
Ricardo 14 de Fevereiro, 2019 | 15:53
Não sei onde vamos parar! Aliás, sei sim, perfeitamente! Já paramos! Estamos sitiados por uma rodovia assassina, em reforma, por uma bacia hidrografica contaminada, por uma pista de pouso velha, sem condições de uso. O que nos resta??
Iala 14 de Fevereiro, 2019 | 14:42
Já falta tanta coisa em Ipatinga pela estrutura da cidade, sem aeroporto é retrocesso demais.

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO