Volta dos voos comerciais no Aeroporto do Vale do Aço está autorizada

Anac liberou a retomada dos voos no terminal; Azul avisa que volta em maio; Voe Minas já volta na próxima segunda-feira

Com atualização às 17h56
As operações no Aeroporto Regional do Vale do Aço foram liberadas pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), nesta sexta-feira (12). As obras do aeroporto foram aprovadas na quarta-feira (10). Portanto, o terminal aéreo está liberado para receber voos comerciais e particulares.

A Azul Linhas Aéreas Brasileiras, que opera voos para o aeroporto de Confis, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, confirmou que retornará as operações no dia 9 de maio. A compra de passagens já está liberada nos canais oficiais de vendas da empresa. Também já podem voltar os voos do projeto Voe Minas, com a rota para o aeroporto da Pampulha, na capital. A previsão é de volta desses voos na segunda-feira.

Interdição e obras

A companhia aérea que opera no Aeroporto Regional do Vale do Aço suspendeu as operações no dia 14 de fevereiro, por causa de irregularidades na pista de pousos e decolagens. A Azul alegou que a pista apresentava diversas ondulações, que aumentavam o risco de acidentes com as aeronaves.

No dia 19 do mesmo mês, a Anac interditou por completo as atividades no terminal aéreo. Com isso, os voos particulares e fretados pelo programa Voe Minas Também foram suspensos.

O Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem (DEER-MG), responsável pela manutenção da pista do aeroporto, publicou o aviso de edital no dia 23 de fevereiro. No dia 12 de março, o certame foi homologado e publicado no Diário Oficial do Executivo.

A vencedora da licitação, Empav Empreendimentos e Pavimentação Ltda. Iniciou as obras no dia 19 de março e concluiu no dia 8 de abril. As obras foram licitadas pelo valor de R$ 320.626,20.

A liberação do aeroporto foi ratificada pela Anac por meio da publicação da Portaria nº 1.124 no Diário Oficial da União.

Reestruturação

Após o reparo emergencial agora são esperados investimentos para ampliação do terminal aéreo. Em 20 de fevereiro o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, afirmou em reunião com o governador de Minas Gerais, Romeu Zema, e deputados, que cerca de R$ 12 milhões, do Fundo Nacional de Aviação Civil (FNAC), poderiam ser investigados no terminal.

Wôlmer Ezequiel
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Ricardo Ottoni 14 de Abril, 2019 | 14:27
Pois bem... Houve apenas tapa-buracos. Com tanta área disponível em volta do aeroporto, poderiam ter aproveitado em aumentar a pista de pouso para receber aviões maiores. As grandes empresas da região como Usiminas, Arcelor, Cenibra, entre outras; são as que mais se beneficiam, mas não tiram um real sequer de suas contas para a reestruturação do aeroporto....
Marlucia dos Reis 13 de Abril, 2019 | 10:07
Deveria ter mais companhias aérea em Ipatinga,concorrência o preço seria bem mais em conta! Vocês não acham?
Isaias 13 de Abril, 2019 | 09:10
Essa reestruturação está caminhando para não sair do papel. Primeiro disseram que fariam a mesma , depois falaram que 12 milhões PODERIA ser investidos . Se nossos representantes políticos não cobrarem com firmeza, passaremos por outro fechamento.
Wolney 13 de Abril, 2019 | 09:01
Realmente um absurdo esta demora para retornar os vôos com o aeroporto já liberado.
Arthur 12 de Abril, 2019 | 22:22
Ao Jaime melhor doque não voltar nunca... se dependesse de governos anteriores ficaria suspensa por anos...
Jaime 12 de Abril, 2019 | 17:36
Porque a azul so volta voar em 9 de maio.porque vai demorar tanto quase um mes depois que pista foi liberada.algo esta errado e tambem pouco caso da azul pra quem precisa dos voos.cade as autoridade pra cobrar mais agilidade da azul.

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO