Suspeitos de triplo homicídio em Ipaba são alvo de mandados de prisão

Um dos suspeitos foi localizado em Pingo D´água durante a operação que envolveu cerca de 40 policiais

Wellington Fred


Investigados pela polícia civil como envolvidos em triplo homicídio em um bar, eles negam a acusação

A 1ª Delegacia Regional de Polícia Civil desencadeou, na manhã desta quarta-feira (3), uma operação para prender três pessoas investigadas em um triplo homicídio.

O crime ocorreu no último dia 30 de março em um bar na rua Uberaba, no bairro São José, em Ipaba. Um dos presos é pai de um jovem assassinado dentro de uma barbearia e o triplo assassinato seria uma vingança pela morte do rapaz.

O delegado regional, Tiago Alves Henriques, comandou a operação que contou com cerca de 40 policiais civis e dez mandados de busca e apreensão expedidos pela Justiça. “Os três presos na operação estão envolvidos neste crime (triplo homicídio). Hoje foi para juntar mais provas acerca deste fato em Ipaba”, disse o delegado ao Diário do Aço.
As equipes foram até a casa de Oziel Pereira dos Santos, de 37 anos, na rua Omar Coutinho, no bairro Nossa Senhora das Graças, em Ipaba. Nas buscas realizadas na residência, os policiais apreenderam um cartucho de calibre 380. Outro alvo foi na rua Pouso Alegre, no mesmo bairro, residência de Jardel de Freitas Cândido, de 30 anos. Os dois abordados estavam com mandado de prisão temporária de 30 dias.

Além do cumprimento de seis mandados de busca e apreensão na casa de outras pessoas investigadas, os policiais foram até a rua Raimundo Madalena, no Centro de Pingo dÁgua, onde foi preso também por mandado de prisão Adenilson Alves Calsavari, de 42 anos.

Na casa dele foram encontradas dois cartuchos de calibre 380, munição que a mulher de Adenilson, A.C.S.C., de 39 anos, assumiu ser sua. Ela alegou que a encontrou na rua e levou para casa com objetivo de identificar o calibre das balas. A mulher acabou detida por posse ilegal de munição.

PM prende envolvidos em homicídio, em Ipaba

Trio nega envolvimento no triplo

Os três presos na operação conversaram com a reportagem do Diário do Aço e negaram que teriam envolvimento no triplo homicídio. Adenilson cobrou das autoridades o esclarecimento da morte do filho dele, Luís Felipe Simão Calsavari, de 19 anos, assassinado a tiros dentro de uma barbearia no dia 14 de fevereiro.

“Agora, toda morte em Ipaba eles (policiais) vão atrás de mim. Até hoje estou sem resposta da morte de meu filho”, disse Adenilson.

Além dos três presos nessa quarta-feira, há uma quarta pessoa, que está presa desde o dia do crime, Fábio Rodrigues de Souza, de 24 anos, que também negou ter participação no triplo assassinato. A morte do filho de Adenilson, de acordo com o delegado Tiago, seria a motivação do triplo homicídio.

Adenilson, que ainda é investigado pela suspeita de emprestar uma arma de fogo para o cometimento de outro homicídio, afirma que no dia do triplo homicídio não estaria em Ipaba. “Larguei tudo e fui para Pingo D´Água. Quero saber das imagens das câmeras (Olho Vivo) em Ipaba. Nenhuma delas filmou os autores do meu filho, será isso possível?”, perguntava o investigado.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO