Triplo homicídio em Ipaba

Mãe foi executada na frente do filho e dois homens que estavam com ela, em uma casa, também morreram; atirador descarregou pistola 380

Com informações atualizadas às 13h15 de 01/04
Enviada por leitor


Homem armado invadiu bar e executou a proprietária, o marido e um amigo do casal

Uma mulher e dois jovens foram assassinados a tiros em Ipaba. Um homem com o rosto parcialmente coberto e armado com uma pistola calibre 380 matou três pessoas a tiros, em Ipaba. Entre as vítimas, uma mulher foi executada na frente do filho. A Polícia Militar deteve um suspeito e autuado em flagrante na delegacia de Polícia Civil.

O Diário do Aço apurou que morreram Helizecristian Graziela de Oliveira, de 30 anos, o marido dela, Junio Alves Trega, 29 anos e o amigo do casal, Woshington de Freitas Procópio, de 26 anos. Este último assassinado teria ainda brigado com o autor dos tiros ao ser baleado e morto.

O crime foi registrado por volta de 22h, no "Bar da Loira", localizado na rua Uberaba, bairro São José. Uma das testemunhas do crime relatou que sua mãe, Helizecristian, Júnio Alves e Woshington de Freitas, estavam no interior da residência, que é anexo ao bar, quando alguém chamou no bar anexo à casa.

Helizecristian foi atender e acabou morta a tiros. Júnio correu para o bar, onde eram feitos os disparos e também foi atingido. Em seguida Woshinton entrou em luta corporal com o autor dos tiros e também morreu baleado. O assassino usava uma camisa enrolada na cabeça, mas durante a ação, a maior parte do rosto ficou exposta e o autor foi identificado por pessoas que viram o crime como F.R.S., de 24 anos.

Reprodução


Foram executados, Júnio, a mulher dele, Helizecristian, e o amigo do casal, Woshington

O suspeito foi encontrado em sua residência e com ele nada de ilícito foi encontrado. Foram feitas novas fotos e, novamente, testemunhas não tiveram dúvida em reconhecê-lo como o autor do crime. O suspeito, entretanto, negou a autoria do crime e relatou que esteve em outro bar, de onde saiu e foi para casa. Ele foi detido e conduzido para a Delegacia de Polícia Civil.

A perícia da Polícia Civil recolheu na cena do crime seis cartuchos intactos; 22 cápsulas vazias e 10 projéteis de calibre 380. Também foi recolhida uma porção de cocaína.

Woshington de Freitas morreu com cinco perfurações (de entrada e saída) provocadas por tiros, principalmente no pescoço e cabeça. Júnio Alves apresentava sete perfurações no corpo, principalmente tórax, e Helizecristian Graziela teve 17 perfurações, inclusive na nuca.

Negou, mas foi autuado
Mesmo negando qualquer participação, F.R. foi preso em sua casa e autuado em flagrante no plantão da delegacia de Ipatinga pelo triplo homicídio e recolhido à Penitenciaria Dênio Moreira de Carvalho, em Ipaba. Outros nomes de suspeitos foram levantados pelos policiais e o caso está em investigação pela Polícia Civil.

Outra informação que chegou até à polícia é que o atirador estava acompanhado de outras pessoas em um VW Parati. O veículo foi localizado nas proximidades do local do crime. Ele estava com o farol ligado e um dos pneus estourado, com a aparência de ter sido abandonado às pressas. O assassinato pode estar ligado à vingança de um homicídio ocorrido recentemente, mais um capítulo na guerra entre duas facções criminosas da cidade.

Os corpos das vítimas já foram sepultados removidos para o IML de Ipatinga pela funerária Paraíso. O Diário do Aço apurou que Júnio foi sepultado no Cemitério Parque Senhora da Paz, em Ipatinga, no domingo. Nesta segunda-feira, sepultados os corpos de Woshington (os dois primeiros pela funerária Paraíso) e Helizecristian (funerária Nova Aliança) no cemitério municipal de Ipaba.

Esse é o segundo assassinato no fim de semana. Na madrugada de sábado Anglesson Lorran Anastácio da Silva, de 25 anos foi morto a tiros no bairro Bom Jardim, em Ipatinga.

Comentários

P2 05 de Abril, 2019 | 22:14
DEIXA GENTE. É BANDIDO MATANDO BANDIDO... ZE DROGUINHA QUANDO VAI EMBORA UM ANJO NO CÉU DIZ AMÉM... ENQUANTO TIVEREM MATANDO ENTRE ELES TA BOM
Amigável 01 de Abril, 2019 | 12:09
Ipaba uma cidade do tamanho de um ovo com crimes idênticos com cidade grande! Falta oportunidade para os jovens então o mundo do crime tá sempre de portas abertas! Este crime acima tem haver com a guerra!
Pedrin Perito 31 de Março, 2019 | 12:48
A policia cientifica vistoriou as maos do suspeito? Fez C.D no sujeito? Se tivesse estrutura pra saber se tinha restos de polvora na mao dele ou como ele entrou em luta corporal, algum vestigio de DNA em suas unhas ou arranhoes suspeitos?

Concordo que a cidade nasceu com o presídio e está atrelada aos habitoa e alibis criminosos.
Ivone Martha da Silva 31 de Março, 2019 | 10:23
Só Deus pra ter misericórdia de nós.
Estamos perdendo mtos jovens com tanta violência. Que o senhor entre e faz Morada nos corações das pessoas.
Essa violência toda é decorrência da ausência de Deus na vida humana. Oremos...
Aldemir 31 de Março, 2019 | 09:35
Ipaba surgiu em decorrência de parentes de presidiários que mudaram para próximo da cadeia para facilitar as visitas aos familiares presos... É uma cidade desestruturada, sem fonte de renda e cheia de bandidos.
Taysson Cl 31 de Março, 2019 | 08:26
pessoas falam sem saber o proceder,e logico que isso ai e a guerra ,discussão mais cedo ? isso não tem nada de discussão! isso ai e guerra ,sem problemas morrer bandidos, desde q não morra pai de familia trabalhador!
Mariana 31 de Março, 2019 | 07:29
Ipaba é uma cidade tomada por criminosos. Jovens estão crescendo sem ter o que fazer e entrando para o mundo do crime de forma como nunca visto antes. Ahhh já sei. Vão dizer que é uma realidade de outras cidades também. Tá, mas em Ipaba está demais. Não se trata de meia dúzia, estou falando de centenas. Esse lugar vai ficar insuportável, se não for feito nada para controlar.

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO