Execução na madrugada no bairro Bom Jardim

Vítima participava de um churrasco e foi assassinada ao sair da confraternização para fumar cigarro

ArquivoDA


Anglesson Lorran Anastácio da Silva, de 25 anos, foi morto com um tiro em meio a disparos de arma de fogo efetuados por ocupantes de um carro

A madrugada de sábado (30) foi marcada pelo registro de um assassinato em Ipatinga, na rua Papoula, no bairro Bom Jardim, em Ipatinga. Anglesson Lorran Anastácio da Silva, de 25 anos, foi morto com um tiro em meio a disparos de arma de fogo efetuados por ocupantes de um carro. A suspeita da polícia é que o crime tenha sido a mando de uma pessoa que está recolhida em uma cadeia.

A PM apurou que Anglesson e a mulher se encontravam em um churrasco na casa de amigos. Por volta de 1h40, o jovem saiu para fumar um cigarro. Pouco tempo depois, foram ouvidos disparos de arma, o que atraiu a atenção das pessoas, que foram ver o que ocorria e depararam com a cena do Crime.

Havia um carro, possivelmente Chevrolet Corsa, de cor verde, com três ocupantes. Um deles estava disparando tiros contra Angelsson, que mesmo baleado, saiu correndo pela rua Bromélias e caiu na rua Papoula, já inconsciente. Os criminosos fugiram em seguida no carro, sem serem localizados nas buscas pela polícia.

Uma equipe do SAMU chegou a ir até o local, mas a vítima já estava sem sinais vitais. A cena do crime foi isolada para o trabalho da perícia da Polícia Civil que constatou uma perfuração de tiro no lado esquerdo da parte superior do peito da vítima. O projétil perfurou órgãos vitais e Anglesson não resistiu aos ferimentos. O corpo foi removido pela funerária Metropolitana ao Instituto Médico-Legal (IML) de Ipatinga, onde foi necropsiado e liberado para a família.

Vítima tinha registros de prisões

Anglesson Lorran Anastácio da Silva, o Neném, tinha várias passagens pela polícia, segundo levantamentos feitos pela PM e esteve preso até poucos meses atrás. Nas buscas, policiais também descobriram que os autores do crime estiveram na praça do Bom Jardim procurando por Anglesson pouco antes de acontecer o crime.

Um desses indivíduos foi identificado, mas não foi localizado pela polícia. Os levantamentos indicam que a ordem para matar Neném teria sido dada de dentro de uma cadeia por um preso, cujo nome também foi denunciado na informação anônima. O caso está em apuração pela polícia. Esse é o quarto homicídio registrado esse ano, em Ipatinga.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

P2 06 de Abril, 2019 | 23:56
Fala BIXÃO tamo de olho em vc hein... Anda certo pq a PM só tá esperando vc vacilar pras algemas te pegar... Não morreu nenhum homem trabalhador e boa gente não. Pelo contrário, se se matarem entre eles tá bom demais...
Bixao 01 de Abril, 2019 | 13:13
Então esses caras tao achando que tá mamel o bonde vai buscar tbm 3 por1
Inveja 31 de Março, 2019 | 22:48
Divulgaaaa, olho gordo e invejoso n pode ver nada dos outros
Zói Gordo 31 de Março, 2019 | 10:19
Esse G7 tem jeito nao todo mundo vende muito no BJ ele quer matar mas Deus é justo é uma hr capeta busca sua alma Desgraça.?
Maluka 30 de Março, 2019 | 12:09
Covardia

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO