Gaeco flagra peculato praticado por assessor do vereador Masinho

Chefe de gabinete de vereador preso guarda em casa materiais da Câmara de Ipatinga


O caso veio à tona quando policias foram cumprir mandados de prisão, busca e apreensão na residência do assessor, no bairro Caravelas
Ao cumprir mandados de busca e apreensão contra o vereador ipatinguense
Osimar Barbosa Gomes, o Masinho (PSC), e seu chefe de gabinete, Rodrigo Vieira Ramalho, de 35 anos, investigadores acabaram descobrindo outro delito: materiais de escritório de propriedade da Câmara de Ipatinga estavam sendo armazenados na casa do assessor.

Com isso, além da prisão preventiva decretada pela Justiça Criminal da Comarca de Ipatinga, contra o vereador e o assessor, também resultou em um flagrante de peculato, por parte do chefe de gabinete.
Peculato é o crime que consiste na subtração ou desvio de dinheiro ou bens públicos para proveito próprio ou alheio, por funcionário público que os administra ou guarda.

O caso veio à tona quando policias foram cumprir mandados de busca e apreensão na residência do assessor, no bairro Caravelas. Os investigadores do Grupo de Atuação Especial de combate ao Crime Organizado (Gaeco) depararam com quarenta pacotes com papel tamanho A4 da marca Chamex, envelopes pardos, pastas, clipes, copos descartáveis, entre outros objetos de escritório foram encontrados na casa do assessor.

Em depoimento na sede do Gaeco, no fim da tarde de segunda-feira (8), Rodrigo afirmou que todo o material encontrado em sua casa é mesmo da Câmara Municipal de Ipatinga e que apenas o guardava em casa, pois os materiais “sumiam” no gabinete. Afirmou ainda que o vereador Masinho não tinha conhecimento que ele levava os materiais para casa.

O assessor informou que normalmente gastam-se de três a quatro pacotes de papel A4 no gabinete e que os materiais são entregues pelo almoxarifado da Câmara no começo de cada mês. Os materiais eram entregues no gabinete e ele os levava para casa, para guardar. Levava de volta ao gabinete quando havia demanda.
Perguntado como o material do gabinete foi transportado e se acumulou em sua casa, Rodrigo disse que foi um a um, ou mais, por mês. Entretanto, negou que tenha feito uso pessoal do material da Câmara bem como afirmou que nunca o vendeu.

Caixinha

Rodrigo Vieira Ramalho também foi questionado a respeito do recolhimento de parte dos salários no gabinete de Masinho, onde estava lotado. Afirmou que nada sabia dizer a respeito, negou que recolhesse dinheiro dos demais assessores e desconhece a existência de “funcionários fantasmas”.

Outros casos

A Operação Dolos, do Gaeco, abrange outros cinco vereadores e ex-vereadores. Atualmente estão presos Wanderson Silva Gandra (PSC), Rogério Antônio Bento, o Rogerinho (ex-PSL), Luiz Márcio Rocha Martins (PTC), Paulo Reis (Pros) e o chefe de gabinete deste último, Ivan Menezes Teixeira.

Além desses, é investigado o ex-vereador José Geraldo Andrade (Avante), que chegou a ser preso e foi solto mediante pagamento de fiança no valor de R$ 100 mil e assinatura de um acordo com o Ministério Público, pelo qual comprometeu-se em renunciar e pagar multa no valor de R$ 150 mil. O vereador saiu da cadeia, mas cumpre prisão domiciliar, com uso de tornozeleira eletrônica e outras medidas restritivas de liberdade.

Conforme o Ministério Público, Andrade confessou o crime e imputou a prática dos mesmos atos aos parlamentares da legislatura anterior e da atual, isentando apenas uma pessoa. Andrade, Paulo Reis e Rogério Bento já renunciaram aos cargos e suas vagas foram ocupadas por suplentes. Segundo o Ministério Público, o fato de renunciarem-se aos seus mandatos não os livra dos processos na Justiça Criminal.

Os vereadores e assessores estão sendo acusados dos crimes de peculato, falsidade ideológica, concussão e lavagem de dinheiro.


Mais:
Ação Civil Pública pede condenação de Paulo Reis
Ação contra o ex-vereador Rogerinho é ajuizada
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Pedrin Perito 10 de abril, 2019 | 15:23
CORRUPÇÃO,UMA QUESTÃO CULTURAL DE TODO BRASILEIRO NATO.EM SE TRATANDO DE NATURALIZADO,SE TORNA COSTUMEIRO ESSE TIPO DE CRIME.. UMA TRISTE VERDADE.PODEM ATÉ TENTAR DIMINUIR, MAS ACABAR, EU DUVIDO, MESMO REPUDIANDO,EU DUVIDO.
Boneca 09 de abril, 2019 | 15:50
Se estavam "sumindo" no gabinete, sinal que o trem la e feio, os superiores somem com o dinheiro kkkkkkkk e os outros com matérias .

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO