Mais um vereador pode renunciar ao cargo hoje em Ipatinga

Preso pelo Gaeco ontem, o vereador José Geraldo Andrade pode deixar o cargo para escapar de degola em Comissão Processante

Wôlmer Ezequiel


Em sessão na quinta-feira, vereadores abriram Comissão Processante para apurar quebra de decoro por colegas

A sexta-feira (15) é de grande expectativa na Câmara de Ipatinga. Dois fatos hoje serão decisivos para o andamento da apuração, pela própria Câmara, de mau uso do dinheiro público nos gabinetes de vereadores investigados pelo Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco).

Primeiro, há expectativa de mais um pedido de renúncia, o de José Geraldo Andrade, vereador do Avante, preso nessa quinta-feira, investigado no âmbito da Operação Dolos, que apura, entre outros crimes, o recolhimento de parte dos salários pagos a assessores nomeados no gabinete.

Se apresentada a renúncia, o vereador passaria a responder como cidadão comum, aos crimes dos quais é acusado, poderá ficar livre da cela. Além disso, escaparia da ‘degola’ a que poderia ser alvo por meio de uma Comissão Processante, acatada ontem no Legislativo, conforme noticiado pelo Diário do Aço.

Também nessa sexta-feira a câmara decide acerca do pedido de renúncia do vereador Paulo Reis (Pros). Com a renúncia, o vereador também escapa da Comissão Processante, montada na Câmara, para apurar a quebra do decoro parlamentar por parte dos vereadores investigados pelo Gaeco.

Embora escapem da cassação dos mandatos em plenário, os vereadores não deixarão de responder ao
processo criminal no qual estão denunciados.

Além de Andrade e Paulo Reis, estão presos, o assessor de Reis, Ivan Menezes e os vereadores Luiz Márcio (PTC) e Rogério Antônio Bento, o Rogerinho, (ex-PSL).
Wôlmer Ezequiel


Plenário da Câmara de Ipatinga na quinta-feira, dia de votação de abertura de Comissão Processante

O que a investigação do Gaeco descobriu?

Conforme o Gaeco, composto por promotores de justiça e policiais civis e militares, o esquema para arrecadar a verba nos gabinetes dos vereadores é uma prática antiga. Faltavam provas e testemunhas que aceitassem o desafio de formalizar uma denúncia. A partir das primeiras comprovações oficiais chegou-se à sequinte conclusão: O esquema de desvio de dinheiro público funcionava de mais de uma forma e com finalidades diversas.

Em uma delas o assessor nomeado (cada gabinete pode ter até oito assessores) recebe o seu salário e entrega valores em espécie ao vereador ou chefe de gabinete encarregado de fazer a coleta.

Na segunda modalidade há a retenção do cartão bancário. Pessoas de confiança do vereador saca o salário e repassa uma parcela ao funcionário, retendo o valor combinado para o gabinete. Havia também a manipulação na folha de ponto. A investigação aponta que alguns dos assessores eram ‘fantasmas’, ou ‘laranjas’ usados apenas para que o vereador recebesse o pagamento.

Por fim investigadores apuraram a prática em que o vereador determinava a realização de empréstimos bancários por parte de servidores com o saque e transferência para contas de terceiros, usados como ‘laranjas’. Cabia a esses, devolver o dinheiro ao vereador.

A destinação do dinheiro arrecadado também era diversa. Para o Gaeco, além do enriquecimento ilícito, o dinheiro exigido dos assessores servia para realização de campanhas políticas dos vereadores em seus redutos eleitorais, visando a vitória deles nas próximas eleições. O dinheiro também era usado para pagar despesas de empresas dos vereadores e até despesas pessoais.

Inicialmente, 12 pessoas foram denunciadas pelo Gaeco, por envolvimento com o esquema criminoso, entre vereadores, assessores, contadores, corretores de imóveis e comerciantes. Depois, com a prisão de Wanderson Gandra (PSC), mais três pessoas foram denunciadas.

Orçamento para 2019
A Lei do Orçamento Anual (LOA) prevê, para 2019, repasses da ordem de R$29.845.000 à Câmara de Ipatinga. Desse total, R$26.068.000 serão usados para pagamento dos servidores e encargos sociais no âmbito do Legislativo.

Comentários

Annimo 18 de Março, 2019 | 01:07
Gostaria de saber se todos os vereadores e outros políticos serão investigados? Uma vez que muitos políticos há tempos fazem a limpa nos cofres públicos de Ipatinga. Muitos estão milionários às custas da nossa prefeitura. ..outros já saíram. Até que enfim algo está sendo feito. Espero que continue e que alcancem os grandes.
Emerson 16 de Março, 2019 | 23:23
Sinceramente gostaria que estes homens, viessem a público e ter a coragem de pedir desculpas àqueles que os elegeram depositando a sua confiança através do voto. Ter hombridade e coragem para reconhecer os seus erros e tentar se redimir, pagando pelos seus crimes, ao invés de se esconder tornando-se um foragido.
Rodrigo Silva Neto 16 de Março, 2019 | 15:54
Tropa de safados... porisso a cidade esta desse jeito...
Marilene 15 de Março, 2019 | 12:13
Se soubessem agradecer a Deus o pão de cada dia, não chegariam lá instalando estas antigas mazelase. Escutamos casos em todas as esferas políticas. Uma grande safadeza!
Eu não toparia trabalhar assim para ninguém.
Já fiquei desempregada porque me foi proposto um excelente emprego, mas tinha tirar nota calçada, esconder mercadorias. . .
Passei muita necessidade, fiquei devendo, chorei muito. Mas, eu não poderia sujar as minhas mãos.
Isto continua acontecendo.
Alair Alves 15 de Março, 2019 | 11:51
A renuncia não os livra da cadeia, sugiro ler toda a noticia.
Ailson 15 de Março, 2019 | 09:42
A culpa de tudo isso é da constituição mau redigida e incompleta.

Veja abaixo os requisitos para ser um vereador.

Requisitos

Para se candidatar a vereador, o cidadão precisa ter o domicílio eleitoral na cidade em que pretende concorrer até um ano antes da eleição, além de estar filiado a um partido político. Além disso, precisa ter nacionalidade brasileira, ser alfabetizado, estar em dia com a Justiça Eleitoral, ser maior de 18 anos e, caso seja homem, ter certificado de reservista.

FALTOU EXIGIR QUE O FDP SEJA " HONESTO "
Lais 15 de Março, 2019 | 08:40
Este Andrade não e um senhor ja de idade que tem uma distribuidora? Tenho o irmão dele no face, o tal Célio Andrade, e o mesmo mete o pau na administração da cidade, chama o prefeito disso e daquilo, fala mal de secretários e tudo mais. Engraçado o sujo estava de baixo do nariz dele.
Amada de Deus. 15 de Março, 2019 | 08:01
Assim fica fácil né? Político comete crimes e se renunciar fica livre da prisão! Por isso que o Brasil virou essa bagaça, basta roubar e renunciar que tá valendo. Tenho preguiça disso afffff.

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO