08 de outubro, de 2021 | 09:46

Viagens de ônibus em Ipatinga atrasam por causa da ausência de cobradores

Arquivo DA
Com o acúmulo de função do motorista, o profissional não dá conta de cumprir os horários das linhasCom o acúmulo de função do motorista, o profissional não dá conta de cumprir os horários das linhas

Iniciada em setembro, a princípio somente aos fins de semana, a atitude da Saritur, concessionária do transporte coletivo em Ipatinga, de retirar os cobradores dos ônibus, também em dias úteis, vem causando uma série de transtornos aos usuários. Entre eles, o atraso de diversas linhas. A empresa afirma que a função de cobrador é obsoleta.

Sem o cobrador no veículo, o motorista precisa acumular a função de dirigir e receber a passagem, já que nem todos os usuários possuem o cartão. O tempo gasto na nova função faz com que a viagem atrase, assim como as viagens seguintes a serem feitas pelo mesmo motorista. Com isso, os usuários chegam a esperar quase uma hora no ponto pela linha que costumam usar.

Na terça (5) e quarta-feira (6), o ônibus que faz a linha 801-Centro/São Francisco, às 18h40, simplesmente não passou no ponto, denunciam os usuários. “Cheguei no ponto da avenida João Valentim Pascoal às 18h30 e só sai às 19h20 porque peguei outra linha. Porém, esse ônibus para longe de onde costumo descer, o que me faz andar quase meia hora para chegar em casa”, reclamou uma vendedora que trabalha no Centro de Ipatinga.

Diante da situação, os usuários contam que ligaram para a Saritur para perguntar o motivo do atraso. “Disseram que o motorista dessa linha faz outras viagens antes, sem cobrador, e com isso ele demora a cumprir o trajeto. Uma viagem vai atrasando a outra e ele não dá conta de cumprir os horários. A empresa também informou que não tem outro motorista para colocar nessa linha”, reclamou outra passageira.

As usuárias também criticaram o fato desse problema prejudicar a linha 801, que atende a um público específico. “Quem mora no morro São Francisco não pode pegar outros ônibus, porque eles param muito longe. Depois desse horário de 18h40, só vai ter outro 801 às 22h”, explicou a usuária. “Sem essa linha, quem sai do trabalho às 18h precisaria esperar até às 19h20 para pegar o 803, que faz uma volta bem maior para chegar ao morro. A Saritur está tirando os cobradores, o que é proibido, e está prejudicando o trabalhador, deixando os horários sem ônibus”, criticou.

Saritur nega motivo do atraso

Em resposta ao Diário do Aço, o gerente administrativo da Saritur, Anivair Duarte, informou que a falta de cobrador não foi o motivo do atraso da linha 801. “O motorista atrasou no trânsito, e não por falta de cobrador. Mas agora já tem uma pessoa para acompanhar essa situação para ver se está ocorrendo atraso”, explicou.

Em relação às denúncias de que os ônibus estariam circulando em Ipatinga sem o cobrador, a empresa enviou nota informando que o Vale do Aço é um dos poucos lugares que ainda mantém a obrigatoriedade da função. “Com o aumento do uso do cartão, a função tem se tornado cada vez mais obsoleta, fazendo com que o cobrador passe a ter até 80% menos do trabalho. Isso tem gerado dificuldades inclusive de contratação, por ser difícil encontrar cobradores no mercado”, detalha a nota, acrescentando que, “por isso, já há decisões judiciais, inclusive do Superior Tribunal Federal (STF), que rechaçam a teoria de acúmulo de função (do motorista)”.

A nota acrescenta “que é possível manter um serviço de qualidade sem que seja necessário repassar ao usuário o custo com a manutenção dos cobradores. Isso significa economia para o usuário de ônibus no valor da passagem”.

Atualmente, o preço da passagem em Ipatinga é R$ 4,20. Em termos de comparação, em São Paulo, maior cidade da América Latina, o valor do bilhete é de R$ 4,40 e, segundo a SPTrans, esse valor pago com Crédito Eletrônico Comum permite até quatro embarques em ônibus diferentes, no período de três horas.

Veja mais:
Cobradores da Saritur serão realocados e motoristas devem assumir tarefa extra
Tribunal do Trabalho proíbe acúmulo de funções no transporte coletivo e determina que Saritur suspenda prática


Vereadores propõem audiências públicas para debater problema


Diante das reclamações de usuários sobre os transtornos causados pela retirada de cobradores de algumas linhas de ônibus em Ipatinga e Timóteo, vereadores propõem realização de audiências públicas para debater o problema. Embora ainda não tenha registro dessa ação em Coronel Fabriciano, também deve haver audiência no município.

Nesta semana, o Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário de Coronel Fabriciano (Sinttrocel) realizou uma série de reuniões com os trabalhadores, nas três cidades, para apresentar as ações que a diretoria tem tomado para evitar a retirada da função do cobrador. A diretoria não descarta, inclusive a possibilidade de paralisação diante da não solução do problema.

Embora a Saritur venha retirando os cobradores, essa ação vai contra as regras vigentes. Nas três cidades do Vale do Aço onde a Saritur opera, existem as seguintes leis municipais: em Ipatinga, Lei 2.275 de 2007; em Fabriciano, Lei 2.975 de 2001; e em Timóteo a Lei 2.923 de 2009. Todas garantem a presença dos trocadores nos ônibus.

Para cobrar uma atitude também das autoridades políticas, o Sinttrocel protocolou ofícios nas prefeituras e Câmaras dos três municípios. Em Ipatinga, o vereador João Vianei de Carvalho (Avante) já entrou com um requerimento para a realização de audiência pública. Assim também fez o Marcelo Motorista (PCdoB) em Fabriciano e Vinícius Bim (PT) em Timóteo. A data e horário das reuniões ainda serão confirmados.

Consequências

Para a diretoria do Sinttrocel, além da extinção dos postos de trabalho e possíveis demissões, a retirada dos trocadores causa riscos de acidente, já que o motorista vai acumular funções. “Quando na entrada de um cadeirante o motorista precisará deixar o ônibus ligado para auxiliar na subida e descida do cadeirante. O veículo também pode ser tomado de assalto, quando o motorista se ausentar de sua cadeira para resolver algum problema ou ajudar algum passageiro. Além do estresse e da sobrecarga ao desempenhar várias tarefas ao mesmo tempo”, aponta o sindicato.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Jane

10 de outubro, 2021 | 16:18

“Ficar mofando no ônibus ou tomar ônibus lotado é uma longa e vergonhosa tradição brasileira. O patrão que depende do trabalhador descansado e produtivo deveria ser o primeiro a se aliar ao trabalhador nesta exigência de transporte público de qualidade. Tudo está errado neste setor. Começa com a corrupção que se reflete em ônibus ruins para o passageiro e para o motorista. ônibus muito altos para usuários criança, idosos ou de baixa estaturas. Em Ipatinga a Saritur manda tanto que conseguiu do ex-prefeito Nardyello que os ônibus do Bethania ou Vila Celeste não mais passassem na estação de trem em 02 (dois!) únicos reles horários... com isto quem vai embarcar ou desembarcar tem que atravessar a BR. A solução do ex-prefeito e seus asseclas... colocar um sémaforo em plena rodovia... bacana. além de ser dois sinais quase em cima do outro... o ex-prefeito esqueceu que uma pessoa que embarca ou desembarca de um trem precisa carregar bagagem. às vezes trata-se de pessoas com crianças pequenas, idosos ou portadores de necessidades especiais indo viajar. Mas para Saritur e o ex-prefeito essa volta , que por sinal foi aumentada por outra ideia de trânsito mirabolante sem explicação lógica, dificultava o motorista ter novo acesso a pista... Sendo todos motorista profissionais a justificativa é ridícula e mostra o quanto a relacionamento corrompido entre executivo e concessionária de transportes. A população precisa dar um basta nisto. e pressionar, de preferência indo a câmara, dar um "sacode" nos vereadores. É para defender o cidadão que foram eleitos e não as empresas que atendem a população. É bom recordá-los.”

Usuária

09 de outubro, 2021 | 05:38

“Está tendo atraso sim, e em várias linhas de ônibus. O C2A que deveria sair do Centro 06h30 de segunda a sexta está atrasando já faz dias e vários ttabalhadores que dependem da linha têm chegado com atraso no serviço. Tendo em vista o valor cobrado pela passagem, é um absurdo o serviço que a Saritur presta. E essa justificativa do gerente da empresa é ridícula. Não faltam pessoas para contratar, falta respeito da Saritur cm os usuários do transporte público. E falta ação da administração pública em relação a esse tipo de problema.”

D

08 de outubro, 2021 | 18:47

“Tanto que está tendo atraso nas rotas, a linha do circular 4b que no horário de 06:00 vai até a usimec, não passou no horário certo, fazendo que a linha do 401 e 402 em horários próximos ficassem lotadas, outra coisas que deveria ser averiguada é a super lotação e a quantidade de pessoas em pé, que incluse a empresa esqueceu que ainda estamos na pandemia. A prefeitura tem que se posicionar em relação a isso”

Patric

08 de outubro, 2021 | 13:45

“Se é Lei Municipal,pq os prefeitos não fazem cumprir essa Lei??Senhor gerente Anivair, anuncia a vaga para Cobrador aqui no Diário do Aço, vão fazer filas quilométricas pra preencher as vagas”

De Olho

08 de outubro, 2021 | 13:07

“Gente, o Brasil tem 15 milhões de desempregados e a Saritur alega que tem dificuldades de contratar cobrador? Balela. Essa empresa não tem compromisso com os usuários. E mais, os ônibus estão atrasando sim. A linha 031, por exemplo, tem atrasado direto. O motorista acumulando a função, ele tem de receber e dar troco com o veículo parado, lógico. Esse tempo ele não recupera. Passou da hora da administração pública rescindir esse contrato dessa empresa. E a comissão de transporte da Câmara Municipal, o que tem feito em prol dos usuários? Nada. O jadson heleno bateu de frente porque era candidato a prefeito. Depois disso, dormem tranquilamente em suas cadeiras.”

Envie seu Comentário