06 de outubro, de 2021 | 10:00

Na luta para manter o cargo de cobrador, sindicato volta a falar em paralisação dos trabalhadores rodoviários

Alex Ferreira/Arquivo DA
Sinttrocel negocia com Saritur permanência do trocador nos ônibus e a paralisação em Ipatinga, Timóteo e Coronel Fabriciano pode ocorrer caso não haja diálogoSinttrocel negocia com Saritur permanência do trocador nos ônibus e a paralisação em Ipatinga, Timóteo e Coronel Fabriciano pode ocorrer caso não haja diálogo

A diretoria do Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário de Coronel Fabriciano (Sinttrocel) realiza, nesta quarta-feira (6), em Timóteo, outras duas reuniões com a categoria para discutir sobre o futuro da função dos cobradores. Nesta semana também foram feitas reuniões em Ipatinga e Coronel Fabriciano para debater o mesmo tema, a tentativa da concessionária do transporte urbano municipal, Saritur, de retirar os cobradores dos ônibus que atendem as três cidades.

A reunião ocorrerá no pátio da rodoviária, em dois horários, 9h30 e 15h. A convocação é feita a todos que exercem a função de cobrador e motorista em Timóteo. Na ocasião, o sindicato pretende apresentar todas as ações que a diretoria tem tomado para evitar a retirada do posto de trabalho do cobrador; sem esse profissional, a função seria assumida pelos motoristas, uma vez que nem todos os passageiros usam o bilhete eletrônico.

A demanda do sindicato ocorre porque existem leis municipais (em vigor nas três cidades) que impedem o acúmulo de função nos ônibus e que não está sendo cumprida, assim como o acordo coletivo que o Sinttrocel tem com a empresa, onde não reza obrigação do motorista cobrar passagem.

O sindicato defende que a participação dos trabalhadores é muito importante para a tomada de decisão junto aos interessados. “Estamos diante da intransigência, abuso de poder e falta de respeito, tanto para com os trabalhadores quanto para a legislação e o poder público, que a empresa Saritur tem demonstrado”, diz o boletim de convocação.

O presidente do Sinttrocel, Marlúcio Negro, lembra que a participação do motorista na assembleia é importante, porque ele também será impactado diretamente com a retirada do cobrador.

Ofícios

O Sinttrocel afirma que protocolou nas prefeituras e nas câmaras de vereadores de Ipatinga e Timóteo ofícios solicitando a realização de reuniões com empresa, funcionários e comunidade, mas ainda aguarda retorno. “Todos os prefeitos têm ciência dessa lei que garante a figura do trocador, mas percebemos que está tudo muito quieto, tem três semanas que têm ônibus rodando sem trocador. Diante desses ofícios vamos aguardar o retorno no decorrer desta semana, se eles não se manifestarem, já tem decisão da diretoria de alguns atos a serem feitos. E se houver necessidade, vamos parar o transporte coletivo nas três cidades, mas deixando claro que estamos abertos ao diálogo,” declarou o presidente Marlúcio.

Conforme o sindicato, o ofício também foi enviado ao governo de Coronel Fabriciano, embora não tenha sido registrada a circulação de ônibus sem cobradores naquele município.

Já publicado:
Cobradores da Saritur serão realocados e motoristas devem assumir tarefa extra
Ônibus municipais circulam sem cobradores em Ipatinga e Timóteo
Tribunal do Trabalho proíbe acúmulo de funções no transporte coletivo e determina que Saritur suspenda prática

Respostas

Procurado pelo Diário do Aço, o gerente administrativo da Sariur, Anivair Dutra, disse ainda não ter sido convocado pelo Sinttrocel e irá aguardar para se manifestar.

A administração municipal de Ipatinga informou por meio de sua Assessoria de Comunicação que está em diálogo com a concessionária do transporte coletivo do município a fim de resolver a situação da retirada dos cobradores em algumas linhas de ônibus, conforme denúncia de munícipes. “Faz-se saber que a prefeitura intensificou a fiscalização e fará valer a legislação vigente, caso seja detectado qualquer irregularidade na prestação do serviço”, diz a nota.

Timóteo

Por meio de nota, o governo de Timóteo informou que defende a manutenção da lei que garante os postos de trabalho dos cobradores. Ainda acrescentou que “o setor de Fiscalização da Secretaria de Obras, Serviços Urbanos, Mobilidade e Habitação notificou a concessionária do transporte público e concedeu prazo para que a empresa apresentasse recurso. [...] A multa prevista para descumprimento da legislação é de R$ 1.000/dia, com prazo de 30 dias para regularizar de situação”. A administração timoteense destacou que a Lei nº 2.923, de 7 de janeiro de 2009, “vedou a circulação de ônibus e micro-ônibus em todo seu itinerário sem a presença do trocador ou profissional de função congênere”.

Já a Secretaria de Governança de Obras e Serviços Urbanos de Coronel Fabriciano informou que não recebeu nenhum ofício ou comunicado sobre a retirada da função de trocador dos ônibus que fazem o transporte coletivo na cidade.

Entenda

A retirada dos trocadores teve início no mês passado, quando alguns veículos da Saritur começaram a circular apenas com a presença dos motoristas, aos fins de semana, nos chamados micro-ônibus nos municípios de Ipatinga e Timóteo. Em Ipatinga, ao menos uma linha chegou a circular sem a presença do trocador por volta das 19h de sexta-feira (1). Em Fabriciano tal prática ainda não foi registrada.

Após as denúncias e várias reclamações, a Saritur se posicionou, conforme já publicado pelo Diário do Aço, e informou sobre a realocação dos trocadores, pois, “com o aumento do uso do cartão e os investimentos da empresa em tecnologia, a função tem se tornado cada vez mais obsoleta, resultando em até 80% menos trabalho para a função”.

Mas para o sindicato, a prática é ilegal, já que nas cidades atendidas pela concessionária existem leis municipais resguardando a figura do cobrador.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

José Carlos Viana

07 de outubro, 2021 | 10:41

“Deixem as empresas modernizarem....
Cobrador de buzu é uma jaboticaba brasileira....”

Aqui é Eu

07 de outubro, 2021 | 08:20

“No aplicativo Timóteo a BH custa R$50,00, monopólio custa R$R$77,34 !!! 50%mais caro!!!”

Jota Couto

06 de outubro, 2021 | 14:09

“KKKKKKKK A administração municipal de Ipatinga não está nem aí para os usuários do transporte público da cidade. Os ônibus continuam rodando sem o cobrador, enquanto a administração municipal está adormecida. Quero ver no que vai dar, mas já sabemos o desfecho dessa queda de braço. Quem sairá perdendo? O trabalhador e os usuários do transporte público. Viagens mais demoradas, prejuízo para os usuários, enfim, estamos ferrados. Acorda IPATINGA.”

Envie seu Comentário