Golpista dá prejuízo de R$ 7,4 mil a filho de paciente com covid-19

Estelionatários se aproveitam de momento de fragilidade de familiares para aplicar golpes

Divulgação


Filho de paciente hospitalizada com diagnóstico positivo para covid-19 foi vítima de golpe por telefone

Não bastasse o sofrimento da população com os efeitos nefastos da pandemia de covid-19, as pessoas ainda são sujeitadas a ação de criminosos, que se aproveitam do momento de apreensão dos familiares daqueles que estão em um leito de hospital.

Na prática, hospitais alegam que têm orientado aos pacientes que dão entrada, para que nunca repassem valores negociados via telefone, com quem quer que seja.

Apesar dos procedimentos de alerta, essa semana o filho de uma mulher hospitalizada com exame positivo para covid-19 teve, um prejuízo de R$ 7.400, por causa de um golpe sofrido dentro do Hospital Felício Rocho, em Belo Horizonte.

Conforme o áudio da conversa, divulgada pela Rádio Itatiaia, o golpista se passou por um funcionário do plano de saúde da família para extorquir a vítima.

Esse é um trecho da conversa do estelionatário, por telefone: “Infelizmente, foi identificada uma alteração, identificamos o acúmulo de células blásticas. Células blásticas são células doentes que estão substituindo as células saudáveis do sangue”, relata o estelionatário.

O bandido diz à vítima que o quadro da mãe, de 57 anos, poderia evoluir para leucemia. “Como foi identificado no início, ainda temos o autocontrole da cura, (pois) a gente consegue combater e destruir essas células doentes. Mas se não agir da forma adequada, a qualquer momento essa alteração pode provocar mutação genética entre células e desencadear células cancerígenas, tornando a paciente portadora do câncer de sangue”, diz o golpista.

Na sequência da conversa, o estelionatário diz que o hospital não tinha os aparelhos usados para fazer o exame de imagem necessário para identificar o estágio da doença e apontar o tratamento. Por isso o filho teria que pagar para que dois médicos particulares levassem o aparelho e fizessem o exame no hospital.

Ainda conforme o golpista, os valores seriam reembolsados pelo plano de saúde posteriormente. O estelionatário é tão convincente que a vítima, já fragilizada, chega a agradecer. A vítima, de 29 anos, fez três transferências bancárias. A primeira de R$ 3 mil, a segunda de R$ 1.900 e a terceira de R$ 2.500. Somente depois de fazer essas transferências a vítima descobriu que se tratava de um golpe.

Os golpes aplicados em familiares de pacientes internados são frequentes e já fizeram vítimas também em Ipatinga, conforme já divulgou o Diário do Aço. Confira abaixo:
Golpe do Hospital dá prejuízo de R$ 2.980 em Ipatinga
Tentativa do Golpe do Hospital é investigada em Ipatinga
Hospital Márcio Cunha faz alerta a pacientes e familiares sobre golpistas

Hospital de BH afirma que pacientes assinam termo de ciência sobre golpes



Em nota divulgada à imprensa da capital, o Hospital Felício Rocho informa que apura a denúncia e ressalta: “Por se tratar de um golpe aplicado amplamente há algum tempo em diversos hospitais pelo país”, o responsável pela internação assina o Termo de Ciência Orientação de Golpe no momento da entrada na unidade.

"Em situações como esta, para 100% dos casos de tentativa de golpe identificado, a fundação tem como rotina: investigação interna nos setores; bloqueio imediato de números de telefones suspeitos; registro de boletim de ocorrência interno feito pelo setor de Segurança Patrimonial", afirma um trecho da nota.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO