Vendaval causa estragos no Vale do Aço

Não há registro de pessoas feridas, mas o serviço público teve que ser acionado para desobstruir ruas e avenidas interditadas com a queda de árvores

Enviada por leitor


Não há registro de feridos, mas pistas em ruas e avenidas ficaram interditadas com quedas de árvores

A chuva seguida de rajadas de vento provocou estragos em Timóteo e Coronel Fabriciano, no fim da tarde dessa sexta-feira (21). Árvores foram derrubadas e alguns imóveis tiveram telhas arrancadas pela força do vento.

Não há registro de pessoas feridas, mas o serviço público teve que ser acionado para desobstruir ruas e avenidas interditadas com a queda de árvores.

Entre os casos, no bairro Timirim uma árvore caiu sobre um veículo que estava estacionado na rua Teobaldo Gomes Pinto, próximo ao Hospital Vital Brazil/São Camilo.

Também no bairro Horto, em Ipatinga, árvores foram arrancadas pelo vento e obstruíram ruas no fim da tarde. Também trechos da avenida Pedro Linhares Gomes (BR-381) ficaram bloqueados com quedas de árvores.

Mais chuva

Para sábado a previsão do tempo indica a possibilidade de mais chuva. O acumulado pode chegar a 30mm. A temperatura se mantém elevada e a máxima deverá chegar a 34 graus.

Veja efeitos da chuva em Ipatinga
Chuva deixa ruas interditadas e rede elétrica partida em Ipatinga

Equipes nas ruas de Coronel Fabriciano
Defesa Civil divulga dados dos estragos da chuva em Coronel Fabriciano


Bairro Horto, em Ipatinga




Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Anides Soares Coutinho 23 de Fevereiro, 2020 | 21:08
Concordo plenamente com Joanas, sobre a forma de poda de árvores. Se quiser retardar/ diminuir o crescimento das árvores, tem que se cortar da copa para baixo. Ao se cortar os galhos de baixo, o peso e altura da árvore aumentam.Nem precisa ser engenheiro ou técnico da PMI ou da Cemig pra saber disso.
Esio de Assis Viana 23 de Fevereiro, 2020 | 05:42
Em alguns locais árvores caíram em cima de redes elétricas. Já era um risco previsto levando em conta o tamanho da árvore e a distância da rede. Será que os BURROS da prefeitura não perceberam esse risco? Quanto de mão de obra e material foi gasto por causa da negligência desses estúpidos?
Oliveira 22 de Fevereiro, 2020 | 09:27
Rodrigues, moro no canaã e vi o temporal em toda a região, acompanhado de muita descarga elétrica. Prefiro ficar sem energia alétrica a ter um raio caindo em minha casa/familiares. O sistema desliga para proteção. É como se fosse um fusível. Estamos vivendo tempos difíceis por causa do aquecimento global. Ainda vai piorar. Prepara-se!!! Homem x natrureza.
Rodrigues 21 de Fevereiro, 2020 | 20:27
Nós montadores do ponto final do Bethânia(próximo a escola Chirlene),não aguentamos mais o descaso da Cemig. Tudo bem que nas outras regiões de Ipatinga choveu forte,mas no final do Bethânia não houve motivo para o desligamento da energia elétrica nas ruas pisa,Cremona, Milão, e todas as outras ruas próximas à escola ficarem no escuro pela segunda vez esta semana. Entramos em contato com a Cemig mas só o que nos responde é para aguardar. Até quando. Com a resposta a Cemig.
Joanas 21 de Fevereiro, 2020 | 19:20
A forma que a prefeitura faz a poda das arvores elas ficam vulneravel a cair com vento vao cortando os galhos de baixa se tornando a arvore alta e a copa pessada o correto e fazer poda nas copas das arvores tambem .so faz o que e mais facil e gastam um dinheirao com podas mal feita.

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO