Obra já fez melhorias em 500 metros de pista do Aeroporto Regional

Em nota, o DEER informou que na primeira fase está sendo feita a fresagem (raspagem) de segmentos defeituosos na pista, para retirada do pavimento danificado

Divulgação


O prazo para finalização da obra é de 30 dias a contar da data da Ordem de Serviços, e pode ser prorrogado

Hoje completa quatro dias das obras emergenciais na pista de pouso e decolagem do Aeroporto Regional do Vale do Aço, em Santana do Paraíso.

Na tarde dessa quinta-feira estavam em conclusão os serviços de fresagem de segmentos da pista, para a retirada do pavimento danificado e que apresentava ondulações. Conforme o Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem (DEER/MG), nos pontos mais críticos, são realizados procedimentos profundos para recompor a base, a sub-base e reforçar a estrutura.

Para essa sexta-feira (22), está previsto o início da aplicação da massa asfática para a recomposição dos pontos de intervenção. "O trabalho depende das condições climáticas, já que, tecnicamente, é necessário que o pavimento esteja seco. Após esta etapa, será feita a limpeza e, posteriormente, a sinalização com as pinturas da pista e do estacionamento de aeronaves", informa a nota.

O deputado estadual Celinho do Sinttrocel (PCdoB), publicou em suas páginas pessoais, nessa quinta-feira que já foram trabalhados cerca de 500 metros de pista, de um total de dois mil metros.
A empresa responsável pelas obras é a Empav Empreendimentos e Pavimentação Ltda., que venceu a licitação no dia 8 deste mês, com a proposta no valor de R$ 320.626,20.

Conforme o DEER, a previsão é que todo o serviço - na pista e no estacionamento das aeronaves - seja concluído em até 30 dias. "A obra é acompanhada por técnicos do DEER e da Secretaria de Transportes e Obras Públicas. O retorno da operação comercial do aeroporto deverá ocorrer após vistoria da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac)", acrescenta.

Em um segundo momento, depois da conclusão das obras emergenciais, o DEER afirmou "que o aeroporto passará por uma recuperação definitiva da pista, por meio de parceria estabelecida entre o Governo de Minas e o Governo Federal, com recursos do Fundo Nacional de Aviação Civil (FNAC), no valor de R$ 12,5 milhões".

Voos suspensos

Desde o dia 14 de fevereiro, os voos da companhia Azul Linhas Aéreas Brasileiras, com destino ou partida ao Aeroporto Regional do Vale do Aço, foram suspensos devido às más condições da pista de pouso e decolagem.

No dia 20, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) suspendeu todas as operações no terminal aéreo. Com isso, também foram suspensos os voos do programa Voe Minas, que opera a rota para o Aeroporto da Pampulha.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO