11 de julho, de 2024 | 13:02

Não foi briga de trânsito: foi crime passional

Wellington Fred + reprodução
Amós Celestino da Silva, de 30 anos foi perseguido e assassinado a tiros na noite de quarta-feira Amós Celestino da Silva, de 30 anos foi perseguido e assassinado a tiros na noite de quarta-feira

O homicídio da noite de quarta-feira (10), quando o gesseiro Amós Celestino da Silva, de 30 anos, foi assassinado a tiros no bairro Cidade Nobre em Ipatinga, não teve relação com uma briga de trânsito. Foi um crime passional, planejado e teve como motivação o fato de o autor confesso do homicídio desconfiar que a sua esposa teve um caso com a vítima. A informação foi confirmada pela Polícia Militar na manhã desta quinta-feira (11), em entrevista à imprensa.

Ainda na noite de quarta-feira, conhecidos da vítima informaram à reportagem do Diário do Aço que o marido de uma mulher era o suspeito da morte do gesseiro.

Os assassinos confessos foram presos em um hotel em Guanhães, no fim da noite de quarta-feira, conforme noticiado mais cedo pelo jornal. Além da Perícia da Polícia Civil, também uma equipe da Delegacia de Homicídios acompanhou os trabalhos no local do crime.

Fernando Carvalho de Lima, de 40 anos, confessou ter efetuado seis tiros contra o desafeto. Inicialmente disse que foi briga de trânsito, por ter sido fechado pelo carro da vítima. Depois, confessou a real motivação. Juliano Rodrigues da Silva, de 35 anos, conduzia a motocicleta em Ipatinga e o acompanhou na fuga até Guanhães.

O carro usado para fugir em direção a Guanhães, uma Toyota SW4, a moto usada em Ipatinga e uma pistola calibre 380, registrada em nome da mulher do assassino e três telefones celulares também foram apreendidos. Acompanhe a entrevista com o tenente PM, Valdeci Junior.

Troca de veículo
Os dois envolvidos no homicídio fugiram da cena do crime em uma Honda Biz, guardaram o veículo coberto com um pano dentro de uma garagem no Vila Celeste e fugiram em uma Toyota SW4, equipada com bagagem de viagem, alimentos e produtos de higiene pessoal. Eles foram descobertos por uma equipe da Polícia Militar de Guanhães, que foi alertada pelo 14º BPM que a dupla tinha saído em fuga sentido àquela cidade. O hotel em que estavam, em Guanhães, tinha sido reservado antecipadamente, por telefone, com o proprietário.

Apreensões
Foram recolhidos com os investigados três telefones celulares, uma máquina de cartão bancário, vários objetos de uso pessoal, documentos, cartões e dinheiro.

Confissão
Um dos presos, Fernando Carvalho de Lima, de 40 anos, confessou ter efetuado seis disparos contra um homem em Ipatinga. Inicialmente ele manteve a versão de um desentendimento no trânsito, mas depois confessou o real motivo. Acreditava que o gesseiro e sua mulher tinham um caso. Juliano Rodrigues da Silva, de 35 anos, que acompanhava Fernando, também foi preso. Fernando tem passagens por porte ilegal de arma de fogo e violência doméstica. Inclusive, em abril, por causa de uma ameaça à esposa, a arma chegou a ser apreendida. Como está legalizada, foi devolvida à mulher.

O crime
O homicídio foi praticado por volta de 18h de quarta-feira, na avenida Carlos Chagas, bairro Cidade Nobre, em Ipatinga, onde foi assassinado Amós Celestino da Silva, de 30 anos. Minutos antes, um dos autores embarcou no carro da vítima. “Aguardaram a vítima em um local que costumeiramente a vítima passa com seu veículo e um deles (Fernando) entrou. O condutor começou a acelerar o carro e, no trajeto, chegou a atropelar um pedestre, que foi socorrido pelo Samu. Na rotatória, Amós parou o carro, desceu correndo e tentou se refugiar em uma empresa de máquinas de costura, sendo perseguido pelo autor, que desceu do carro e foi atrás”, informou o tenente PM Valdeci de Souza Junior.

Um funcionário informou que trabalhava nos fundos do estabelecimento quando o homem chegou correndo, pediu por socorro e se escondeu em um cômodo. Em seguida entraram dois indivíduos. Um deles ficou na porta e o outro foi ao local onde a vítima estava e efetuou vários disparos. Enquanto fugia, o homem que atirou jogou um telefone no chão, que foi recolhido e entregue à polícia.

Antes do crime, Amós passou o dia fazendo um serviço na cidade de Ipaba e, ao retornar com seu patrão, embarcou em seu veículo Fiat Uno Mille que estava estacionado próximo à Escola Municipal Artur Bernardes, no bairro Canaã e se dirigia para casa, quando foi abordado e assassinado. Ele era morador do bairro Limoeiro, sem passagens pela polícia, trabalhava como gesseiro e às vezes fazia um extra como frentista. Amós deixou esposa e três filhos.

Estatística
Amós é a 31ª pessoa assassinada este ano em Ipatinga. No mesmo período do ano passado foram anotados 15 homicídios. Os números constam no banco de dados do jornal Diário do Aço sobre crimes contra a vida.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]
MAK SOLUTIONS MAK 02 - 728-90

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Geraldo

16 de julho, 2024 | 18:44

“E triste saber que este assassino já pagou fiança e foi liberado . Já esta na rua , livre para cometer outros crimes.
Assim é o Brasil ! Quem tem dinheiro para pagar fiança não fica preso .”

Jane

16 de julho, 2024 | 00:08

“O cara tinha histórico de violência doméstica, certamente um valentão mal amado. Talvez nem houve agressão, mas como o sujeito é incapaz de conquistar o afeto de alguém quer manter tudo na marra, na violência... e de quê adianta, talvez fique preso um bom tempo, ninguém minimamente inteligente vai querer relacionamento com um sujeito destes. Se houve traição, chora um pouco e segue a vida. Bater na esposa ou matar não conquista amor, só o temor. Melhore separar e procurar quem te queira. Para as mulheres segue o mesmo, foi traída: Separa e segue a vida. Deixa que a lei da colheita aconteça. Sangue quente dá nisto, problema para o resto da vida! Pode pegar cadeia, pode ser vítima de um vingador e por aí vai. Chifre - se aconteceu - acontece com todo mundo, a diferença que alguns sabem e outros e outras seguem alegres sem saber dos fatos. Por outro lado quem gosta de aventura com gente comprometida com valentões ou mulheres ciumentas está arriscando a pele desnecessariamente.”

Relvio Oliveira

13 de julho, 2024 | 02:26

“Geraldo, deixa de ser burrão! Só arma de fogo que mata?! O cara podia ter usado as próprias mãos, faca, facão, barra de ferro, punhal, pedaço de madeira, veneno, fogo, veículo, machado, foice, entre diversas outras armas/instrumentos para ceifar a vida? basta a vontade de matar, querer cometer o crime, quem quer matar, mata e pronto, não há nada nem ninguém que possa evitar a a vontade de alguém para cometer o homicídio, se o cara quer matar ele vai matar, é só questão de tempo e oportunidade!”

Geraldo

12 de julho, 2024 | 14:25

“Se não tivesse liberado o porte de arma certamente este crime não teria acontecido .
A arma dele era legalizada;
Parabéns a todos que fizeram " arminha " .
Mais uma vida que se vai graças a vocês .”

Galao

12 de julho, 2024 | 14:03

“O problema de tudo ai é se o cara não tivesse feito nada. Só especulação. Vai ficar um bom tempo na cadeia e a mulher com outro cara.”

Cdc

12 de julho, 2024 | 11:05

“Foi de arrasta triste
Oq se faz na terra se paga
Nela mesma”

Fico Pasmado

12 de julho, 2024 | 07:09

“Matou o rapaz, foi parar na cadeia, complicou o amigo, que agora é co-autor de homicídio qualificado (isso dá em média 29 anos de cana), perdeu a liberdade, vai gastar tubos de dinheiro com advogados, ganhou notoriedade em nível estadual como corno e a mulher, que também foi desonesta na relação, como está? Até quando homens vão cometer asneiras por causa de uma mulher? Só largar a que não presta. Tem muitas que prestam em busca de um bom parceiro para sua vida.”

Oliveira

12 de julho, 2024 | 06:31

“Deu Ruim, hein? Ninguém deve matar ninguém por causa de traição. Reconsteua a vida o mais rápido possível e fique atento as recaídas. Cada um com os seus motivos.”

Betão

11 de julho, 2024 | 21:22

“Supostamente estaria sendo traído enquanto estava em liberdade, imagina se realmente estava acontecendo a traição, agora preso irá arrastar o suposto chifre no chão da cela na cadeia por muito tempo louco de saudades e ansioso pelos dias de visita!! Kkkkkk”

Lule Xilindro

11 de julho, 2024 | 16:53

“Isso está com cara de acerto de conta ao por causa de Empréstimo $$$... Fugiram de SW4.. Estavam de Honda BIZ... muito EstraNho! POde averiguar tem caroço neste angú! Pq a policia nao divulga a foto dos meliantes? Deveria postar em todas as capas de jornal...
Dificilmente coisas ilícitas, mas briga de trânsito não é.”

Aline

11 de julho, 2024 | 16:38

“Zé Doido tá mais que certo.
O corno mata o possível amante e continua com a possível traidora.
O problema é ela, ou ele acha que era só com esse?”

Tião do Bom Jardim

11 de julho, 2024 | 16:36

“isso mesmo ze doido, falo tudo. os maridos traidos dão punicão aos amantes mas na maioria das vezes continuam a viver com suas esposas como se só os amantes tivessem feito o errado, claro, também não podem e nem deve matar as esposas, alias, nem devem encostar a mão nelas porque isso é coisa de gente covarde, se descobriu que está levando chifre, separa e segue o baile, o que mais tem aí é mulher.
tomara que pegue pena pesada”

Professora

11 de julho, 2024 | 15:50

“Concordo com o Zé Doido.”

Toddy

11 de julho, 2024 | 14:03

“Olha a adrenalina dando resultado”

Zé Doido

11 de julho, 2024 | 13:16

“Não falei que era por causa de chapéu de boi?
Idiota, matou o Ricardão como se isso fosse resolver o problema, ledo engano, quem tinha compromisso com você era sua esposa e não o cara.
Esses caras são muito comédias, matam o Ricardão e continuam a viver com as esposas como se elas fossem santas e os errados os seus amantes,”

Envie seu Comentário