08 de maio, de 2024 | 20:40

TJMG decide que motorista deve ser levado a Júri Popular por atropelar e matar estudante no Morro da Usipa

Reprodução
O carro estava escondido e quando foi encontrado pelos investigadores ainda apresentava avarias do acidente O carro estava escondido e quando foi encontrado pelos investigadores ainda apresentava avarias do acidente

O motorista que atropelou e matou em dezembro de 2022 um estudante que estava em uma bicicleta na pista da avenida Pedro Linhares Gomes, na subida sentido a Coronel Fabriciano, no trecho conhecido como “Morro da Usipa” em Ipatinga, deverá ser levado a Júri Popular e responder por três crimes: pelo Código Penal, homicídio com dolo eventual (assumiu o risco do resultado morte) e pelo Código de Trânsito Brasileiro, omissão de socorro e fuga do local do acidente. O acidente gerou comoção na época e o andamento da apuração foi noticiado pelo Diário do Aço.

O entendimento é da 6ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais, que em julgamento recente deu provimento a um recurso ingressado pelo pai da vítima contra uma decisão anterior, da Justiça da Comarca de Ipatinga, que desclassificou o crime de doloso (com intenção matar) para culposo (sem intenção de matar).

A defesa do réu pediu a manutenção da decisão desclassificatória do juízo de primeiro grau, alegando, em síntese, que “não existem indícios mínimos que apontem para a presença de crime doloso contra a vida”. Nesse mesmo sentido manifestou o Ministério Público.

Inconformado, o assistente da acusação, advogado Rodrigo Márcio Capa, interpôs recurso sustentando que as circunstâncias evidenciam a ocorrência de dolo eventual, “o que torna imperativa a submissão do réu a julgamento perante o Tribunal do Júri, juízo constitucionalmente competente para o exame da questão”, argumentos que foram acatados pela 6ª Câmara Criminal.
Divulgação
O estudante Vinícius Carlos Vieira tinha 19 anos e morreu quando ia para Fabriciano fazer uma prova O estudante Vinícius Carlos Vieira tinha 19 anos e morreu quando ia para Fabriciano fazer uma prova

O relator
O desembargador Jaubert Carneiro Jaques, relator do caso, afirmou em seu parecer que “a perícia técnica realizada indica que o réu: ignorou placas de trânsito que alertavam sobre a presença de ciclistas na rodovia, indicavam o limite de velocidade da via e determinavam a redução da velocidade; conduziu seu veículo em velocidade muito superior à permitida; atingiu a vítima no acostamento da rodovia; não tentou frear o automóvel; e evadiu do local dos fatos sem prestar ou solicitar qualquer tipo de socorro ao ofendido. Tais elementos indiciários, quando considerados em conjunto, corroboram possível dolo eventual, cabendo ao Conselho de Sentença deslindar a controvérsia, no pleno exercício de sua competência constitucional”. O relatório foi seguido pelos demais julgadores da 6ª Câmara Criminal.

Com isso, deverá ser agendada a sessão do Júri Popular na Comarca de Ipatinga para levar ao banco dos réus Marcus Vinícius Matias Gonçalves, de 26 anos, que dirigia um Jeep Compass e atropelou o estudante Vinícius Carlos Vieira, 19 anos. Na manhã do dia 24/12/22, o estudante se dirigia a Coronel Fabriciano para fazer uma prova. O motorista fugiu, se escondeu e escondeu o carro. Acabou identificado em função de levantamentos feitos pela Polícia Militar.

O acidente
Consta no inquérito que o Compass atingiu a traseira da bicicleta da vítima, que seguia no mesmo sentido direcional, quando foi arrastado por 19,70 metros.

O corpo do jovem só foi encontrado cerca de 40 minutos depois do atropelamento, por um homem que passava pelo trecho rodoviário e viu a bicicleta destruída e caída na margem direita da via e o corpo localizado mais à frente no meio da vegetação.

O sonho de Vinícius era se tornar militar do Exército Brasileiro e, para isso, dirigia-se a Coronel Fabriciano para fazer uma prova preparatória para um concurso.

Localização
A denúncia contra o motorista tinha sido oferecida em 9 de janeiro de 2023 pelo promotor de Justiça Jonas Junio Linhares Costa Monteiro. O condutor chegou a ser preso temporariamente, no dia 31 de dezembro de 2022, conforme noticiado à época pelo DA.

A Justiça também determinou o recolhimento do passaporte do denunciado para evitar que saísse do país. Depois do acidente, o carro foi escondido e, quando foi localizado, ainda apresentava as avarias provocadas pelo acidente.

Divulgação
Perícia concluiu que veículo estava em alta velocidade e arrastou o ciclista com a bicicleta por quase 20 metros, condutor fugiu e escondeu o veículo, encontrado depois pela polícia, com as avarias causadas no acidente Perícia concluiu que veículo estava em alta velocidade e arrastou o ciclista com a bicicleta por quase 20 metros, condutor fugiu e escondeu o veículo, encontrado depois pela polícia, com as avarias causadas no acidente

Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]
MAK SOLUTIONS MAK 02 - 728-90

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Crispim

09 de maio, 2024 | 18:45

“Ta ai um julgamento que gostaria de assistir, ve o filhinho do papai ser condenado, cadeia nele pra aprender a ter responsabilidade,”

Zé Doido

09 de maio, 2024 | 12:02

“Nota 10 ao pai da vítima que buscou justiça, também parabéns ao Promotor e ao Advogado de acusação, que por sinal, foi meu colega de escola na infância.
Nota 0 pra esse pai que ajudou a esconder a barbaridade que o filho cometeu e a pergunta que fica, "esse é o tipi de cidadão que você criou para o mundo?" Vergonhosa sua atitude, poderia ser condenado como coautor, porque se o filho age assim, tem muito a ver com criação que teve.
Agora esperamos que de fato a justiça seja feita e que a vítima, esteja num lugar muito melhor, porque em tão pouco tempo de vida, já mostrou à que veio, visto que em plena véspera de natal, corria atrás de seus sonhos, indo de bicicleta pra fazer prova noutro município, enquanto muitos outyros, fariam isso nem se os "papais" os levassem de carro até a porta dos locais da prova.”

Justiça Por Vinicius

09 de maio, 2024 | 10:03

“Ao Promotor Jonas Junio, ao professor e dvogado Rodrigo Márcio, as autoridades e todos os outros envolvidos nesse processo tão doloroso, muito obrigada por não deixarem o Vinicius ser apenas mais um. Esperamos que a justiça por ele seja feita!!”

Carlos Oliveira Vieira

09 de maio, 2024 | 09:16

“Que a Justiça seja feita.”

Jackson

09 de maio, 2024 | 07:52

“Meus parabéns ao diário do aço.e meus parabéns ao promotor doutor Jonas homem íntegro e sério que faz a justiça ser justiça precisamos de pessoas como o senhor doutor jonas”

Ana Lucia Paiva

09 de maio, 2024 | 07:36

“CONDENADO”

Homem da Primeira Hora

09 de maio, 2024 | 04:32

“PROMOTOR DE JUSTIÇA, está função na sua essência e promover a justiça, parabéns ao PROMOTOR JONAS JUNIO, ao advogado assistente acusação, parabéns ao pai da Vítima, que busca justiça, este caso, como muitos similares que acontecem no Brasil e se tornam invisíveis, devido a muitas artimanhas e melindres que ocorrem com a justiça brasileira, ganha visibilidade neste momento por conta do mesmo fato que ocorreu em São Paulo com a morte do motorista aplicativo, omissão socorro, velocidade excessiva, e olha lá, álcool na direção, que deverá ser aclarado pelo conselho sentença que ira deslindar esta controversa, que a justiça seja feita, para que se torne EXEMPLO.”

Juquinha

08 de maio, 2024 | 23:22

“Parabéns as autoridades, esperarmos a condenação.”

Talião

08 de maio, 2024 | 22:52

“A justiça nunca será feita até aqueles que não são afetados se indignarem como os que são.
Deve-se pesar contra o réu, o interrompimento de um sonho, um sonho da farda, um sonho de um jovem que não poupou esforço para alcançar seu sonho, pois fora de Bicicleta para buscar seu desejo,mas no meio do caminho de forma brutal e covarde lhe foi arrancado. Que pese isso sobre os ombros do réu.”

Luciano Lessa Rezende

08 de maio, 2024 | 22:49

“Faço minhas as palavras da Carmem,que tipo de pessoa esses pais querem formar pra sociedade?Os filhos ,salvo excessões,são espelhos dos pais.”

Rcm

08 de maio, 2024 | 22:08

“Se a pm não corre atrás, talvez o filhinho de papai tava escondendo o carro até hj não heee.
A justiça tarda mas não falha.”

Carmen

08 de maio, 2024 | 21:37

“O pai tem que ser preso e processado junto com o filho atropelador. Se meu filho chegasse em casa com o carro destruido em um atropelamento, fugindo de sua responsabilidade, deixando uma pessoa morta para trás, eu o colocaria dentro de uma delegacia ou quartel da PM aos tapas.”

Estudante

08 de maio, 2024 | 21:12

“Excelente atuação do nobre advogado e professor, na ocasião assistente de acusação, Rodrigo Márcio. RESE irretocável. Não à toa, a decisão de primeiro grau foi reformada. Que a justiça seja feita pelo Conselho de Sentença.”

Envie seu Comentário