15 de janeiro, de 2022 | 08:00

Mais de 4,5 mil doses da vacina Pfizer para crianças são destinadas ao Vale do Aço

Divulgação
As doses de vacinas contra covid-19 para crianças devem ser enviadas aos municípios do Vale do Aço a partir de segunda-feira As doses de vacinas contra covid-19 para crianças devem ser enviadas aos municípios do Vale do Aço a partir de segunda-feira
A Superintendência Regional de Saúde (SRS), em Coronel Fabriciano, deve receber, neste sábado (15), mais de 4,5 mil doses da vacina Pfizer para crianças entre 5 e 11 anos. A previsão é que os imunizantes sejam enviados aos 35 municípios da macrorregião do Vale do Aço a partir de segunda-feira (17), conforme o superintendente regional de Saúde, Ernany de Oliveira.

Na planilha divulgada pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) consta que, ao todo, são 4.530 doses da vacina Pfizer infantil destinadas aos 35 municípios da macrorregião do Vale do Aço. Na Região Metropolitana do Vale do Aço, há previsão de que Ipatinga receba 1.340 doses, Coronel Fabriciano 560, Timóteo 450 e Santana do Paraíso 210. O quantitativo para cada município mineiro consta no site www.saude.mg.gov.br.

Início da distribuição
A SES-MG começou a distribuir, na tarde desta sexta-feira, 110 mil doses de vacina contra a covid-19 da Pfizer. Os imunizantes chegaram pela manhã ao Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, em Confins. Este é o 78º lote entregue pelo Ministério da Saúde ao Estado e se destina à administração de primeira dose (D1) em 5,91% de crianças de 5 a 11 anos de idade.

Conforme a SES-MG, a distribuição para as Unidades Regionais de Saúde teve início pela capital Belo Horizonte e a previsão é que até a segunda-feira todas as regionais já tenham recebido os imunizantes. Até o dia 13, o percentual de cobertura vacinal contra a covid-19 com a primeira dose já ultrapassou 91,96% da população acima de 12 anos, e a segunda dose alcança 86,27% desse público. Minas vacinou com a dose de reforço mais de 3.670.445 pessoas.

Vacina não obrigatória
Em entrevista à imprensa, concedida na quinta-feira (13), o secretário de Estado de Saúde, Fábio Baccheretti, destacou que a vacinação contra a covid-19 não será obrigatória para as crianças retornarem às salas de aulas neste ano. “A vacinação não é obrigatória no Brasil, dessa forma, não será um impeditivo de algo tão essencial, como é a aula. Mas a nossa insistência sempre vai ser aos pais e responsáveis de que a vacina é uma proteção individual e da família como um todo, sendo muito importante”, enfatizou.

Previsão
O secretário também informou que o país deve receber 4,3 milhões de doses da Pfizer específicas para imunização das crianças. Um aumento diante da estimativa inicial, que era de 3,7 milhões para administrar a primeira e a segunda dose do público infantil ainda no primeiro semestre de 2022. Em Minas, de acordo com o secretário, o universo de crianças de 5 a 11 anos é da ordem de 1,8 milhão.

Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Carlos Roberto Martins de Souza

15 de janeiro, 2022 | 08:21

“Os médicos já convenceram a 70% da população que as vacinas salvam vidas. Ou outros 30% cabem aos veterinários fazerem o seu trabalho. Ou aplicar vacina anti-rábica em todos? Antes que seja tarde!”

Envie seu Comentário