05 de janeiro, de 2022 | 19:23

Dupla é denunciada por homicídio violento no bairro Veneza II, em Ipatinga

Crime foi praticado por três pessoas que atacaram a vítima no momento que ela tentou se refugiar em um bar

Enviada para o portal Diário do Aço
Alander morreu a golpes de faca, garrafa quebrada e até pauladas ao se esconder em um barAlander morreu a golpes de faca, garrafa quebrada e até pauladas ao se esconder em um bar

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) denunciou dois acusados de um assassinato praticado na noite de 20 de novembro de 2021. O crime foi registrado na avenida Londrina, no bairro Veneza II, em Ipatinga, num bar onde Alander Alves de Oliveira, de 43 anos, tentou se refugiar para não ser morto. Além de M.E.D., de 18 anos, e M.S.A., de 20 anos, um adolescente de 17 anos participou do homicídio.

Segundo a denúncia recebida pelo Diário do Aço, formalizada pelo promotor Jonas Júnio Linhares Costa Monteiro, os dois jovens foram denunciados por homicídio triplamente qualificado (motivo torpe, meio cruel e sem chances de defesa da vítima), associação criminosa e corrupção de menores.

O crime
As investigações realizadas pela equipe do delegado Marcelo Franco Marino, da Delegacia de Homicídios de Ipatinga, indicam que Alander encontrava-se em um bar, nas proximidades do Pontilhão de Ferro, entre o Centro e o bairro Veneza II. Houve uma discussão com os acusados, quando M.S. sacou uma faca. A vítima saiu correndo com os três envolvidos em seu encalço.

A perseguição se estendeu até a um outro bar, na avenida Londrina, onde a vítima tentou se esconder entre os clientes. No dia era realizada uma partida do Atlético pelo Campeonato Brasileiro, e o local estava cheio de torcedores assistindo à transmissão do jogo nos aparelhos de televisão no estabelecimento comercial.

O crime foi filmado pelas câmeras de segurança. Alander foi cercado e agredido até a morte com golpes de faca, garrafa quebrada e pedaço de madeira, com os autores M.S., M.E. e o adolescente, respectivamente, utilizando estes objetos no assassinato da vítima.

Os dois maiores de idade depois se apresentaram à Polícia Civil. Já o outro jovem, que no dia do crime era menor de 18 anos, não foi encontrado na época. A investigação indica que a vítima tinha uma dívida de drogas com M.S. e ele se uniu aos outros envolvidos para conseguir o intento de agredir Alander.

Denúncia
Na denúncia, o promotor ressalta uma das agravantes do crime. “Alander não teve condições de escapar das agressões que foi compelido, sendo certo que dificilmente conseguiria empreitar qualquer defesa contra os três indivíduos, que além de demonstrarem maior força física pela quantidade, também fizeram uso de instrumentos que lhe causaram graves ferimentos”.

O promotor ainda avaliou que, no local onde foi praticado o assassinato, que estava lotado de torcedores e clientes do bar, poderia ter outras pessoas feridas. “O crime ocorreu em via pública, em local no qual haviam outras pessoas e transeuntes, causando, assim, perigo comum, sobretudo no tocante ao modo como tudo ocorreu, que poderia ter atingido terceiros”, avaliou o representante do Ministério Público.

Diante das investigações da Polícia Civil, o promotor denunciou os dois jovens, M.E. e M.S., pelos crimes atribuídos aos suspeitos e que sejam pronunciados para serem submetidos a julgamento pelo Tribunal do Júri da Comarca de Ipatinga. Os dois denunciados aguardam em liberdade o trâmite do processo.
O menor continua foragido e sua situação será avaliada pela Vara da Infância e Juventude.

Homicídio assustou os torcedores do Atlético que estavam no bar


Como divulgou o Diário do Aço, o crime foi praticado na noite de um sábado, quando cerca de 200 pessoas estavam no bar assistindo ao jogo do Atlético contra o Juventude, pelo Brasileirão, e foram surpreendidas pelos agressores. Inicialmente, se pensou que fossem apenas dois os autores, que foram atrás de Alander, que buscou se esconder no local.

Alander sofreu perfurações nas costas, no pulmão e outra na linha da cintura e também outros ferimentos pelo corpo. O SAMU chegou a ser acionado, junto com o Corpo de Bombeiros, mas a vítima já estava morta quando as equipes de socorro chegaram ao bar.

Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Udson

05 de janeiro, 2022 | 22:31

“Eu estava lendo com muito interesse essa reportagem até que um trecho me diz que os executores aguardam em liberdade, aí eu parei de ler .”

Envie seu Comentário