26 de outubro, de 2021 | 20:02

Ex-vereador que matou o prefeito de Naque é condenado a 17 anos e seis meses de reclusão

Alex Ferreira
Momento da leitura da sentença, proferida por volta de 19h30 de 26 de outubro de 2021 Momento da leitura da sentença, proferida por volta de 19h30 de 26 de outubro de 2021

Em uma sessão que durou pouco mais de dez horas o Júri Popular da Comarca de Ipatinga considerou culpado pela morte do prefeito de Naque, Hélio da Fazendinha, 55 anos o ex-vereador, Marquinho do Depósito, de 58 anos, sentenciado a 17 anos e seis meses de reclusão, conforme acompanhou a reportagem do Diário do Aço.

A pena base foi fixada pelo juiz João Paulo Júnior, que presidiu a sessão, em 15 anos de reclusão, mas considerando que além da perda da vida, foram deixados dois filhos da vítima ainda menores de idade, o fato que a vítima exercia cargo público e o conselho de sentença ter reconhecido que foi um homicídio duplamente qualificado (motivo fútil e dificultar a defesa da vítima), ouve majoração da pena que acabou fixada em 17 anos e seis meses. O réu, que já estava recolhido ao presídio de Açucena, não poderá recorrer em liberdade.

O julgamento do ex-vereador de Naque, Marcos Alves de Lima, o Marquinho do Depósito, autor confesso do assassinato do então prefeito Hélio Pinto de Carvalho, o Hélio da Fazendinha, no dia 13 de julho de 2019, foi iniciado as 9h10 desta terça-feira (26) e os trabalhos no Tribunal do Júri foram dados por encerrados por volta de 20h.

A defesa atuou no sentido de demonstrar que Marcos agiu sob forte emoção. O julgamento, que ocorreria na Comarca de Açucena, veio para Ipatinga em função da comoção em torno do caso.

A acusação foi feita pelo promotor de Justiça, Jonas Junio Linhares Monteiro, que teve como assistente da acusação o advogado Fabriny Neves Guimarães. O corpo de jurados foi formado por cinco homens e duas mulheres.

Três advogados atuaram na defesa do réu, Eliseu Borges Brasil e Gerci Moreira Mendes Júnior, além de Evaldo Braga da Silva, que veio de Governador Valadares. A defesa não concordou com o resultado e anunciou que irá recorrer. Veja abaixo, vídeo com as entrevistas.

Entenda o que foi apurado à época:
-Polícia Civil conclui que vereador criou situação para matar o prefeito de Naque


Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Messi José

27 de outubro, 2021 | 08:09

“17 anos de reclusão, o mesmo irá cumprir um sexto da pena em regime fechado o que será 2,8 anos. O crime ocorreu em julho de 2019, já são quase 2 anos e meio já cumprindo a pena, portanto terá a pena relaxada daqui a um ano, e estará solto. Viva as leis brasileiras....paraíso.....”

Cris

26 de outubro, 2021 | 21:12

“Recorrer ñ sei de q ! Achei foi é pouco.
Infelizmente a vida do ser humano ñ tem Mais valor, e a sociedade a cada dia q passa fica mais hipócrita e fascista... Infelizmente vivemos em um país que as leis de 1forma geral, são vergonhosas,”

Genis

26 de outubro, 2021 | 21:06

“Ele tinha que ser julgado em açucena,
Tinha quer ter pena de morte pra ele prisão e pouco , matar um pai de família ,cara estava tudo planejado andar com arma no bolso?
Crime bárbaro .”

Ailson

26 de outubro, 2021 | 20:41

“A devesa não para ADV .bom”

Envie seu Comentário