01 de abril, de 2021 | 05:55

Governo agiliza vacinação contra a covid-19 para parte das forças de segurança e salvamento e Forças Armadas

Iniciativa foi apresentada em encontro tripartite com base em critérios que atendam ao Plano de Vacinação contra a Covid-19 e as atividades desempenhadas de cada agente de segurança

Carolina Ferreira
Equipes das forças de segurança, salvamento e forças armadas envolvidas diretamente nas ações de enfrentamento da pandemia começarão a ser vacinadasEquipes das forças de segurança, salvamento e forças armadas envolvidas diretamente nas ações de enfrentamento da pandemia começarão a ser vacinadas

O Ministério da Saúde anuncia que iniciará a distribuição das vacinas covid-19 para atender parte das forças de segurança e salvamento e Forças Armadas, grupo que vem atuando diretamente nas ações de enfrentamento à pandemia.

Na distribuição de vacinas aos estados e Distrito Federal, que começa desta quinta-feira (1), será antecipado o envio de doses, de maneira escalonada e proporcional, exclusivamente para a vacinação dos seguintes profissionais, ordenados por prioridade:

trabalhadores envolvidos no atendimento e/ou transporte de pacientes;
trabalhadores envolvidos em resgates e atendimento pré-hospitalar;
trabalhadores envolvidos diretamente nas ações de vacinação contra a covid-19;
trabalhadores envolvidos nas ações de vigilância das medidas de distanciamento social, com contato direto e constante com o público, independente da categoria.

A antecipação da vacinação de parte desse grupo prioritário foi discutida na 3° Comissão de Intergestores Tripartite (CIT), realizada no auditório da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS/OMS), nesta terça-feira (30/3), e pactuada com o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems). A Nota Técnica com as orientações já foi encaminhada para os estados e Distrito Federal, para alinhar a operacionalização das ações recomendadas e assegurar a identificação correta desse público.

A coordenadora-geral do Programa Nacional de Imunizações (PNI), Francieli Fontana, ressaltou que o Ministério da Saúde tem conhecimento dos esforços desses profissionais para enfrentamento da pandemia, critério este considerado para antecipar a vacinação de parte do grupo.

“Decidimos antecipar a vacinação de uma parcela desse grupo seguindo critérios que atendam o Plano Nacional de Vacinação contra a Covid-19, levando em conta a função que cada agente exerce para o combate à pandemia”, explicou Francieli.

Veja também:
Ministério da Saúde confirma que Brasil registra 3.869 novas mortes, maior número em 24h

Identificação

A identificação dos profissionais, conforme linha de atuação, deverá ocorrer em articulação com os gestores locais, bem como com as entidades representativas do grupo-alvo. A orientação é que os agentes apresentem um documento declaratório que comprove a sua atividade para receber a vacinação.

As forças de segurança e salvamento e Forças Armadas já fazem parte dos grupos prioritários definidos no Plano Nacional de Vacinação, representando um total de 948.292 profissionais. Os demais trabalhadores que não se enquadrarem em atividades da linha de frente deverão ser vacinados de acordo com o andamento da campanha nacional de vacinação contra a covid-19, na ordem estabelecida pelo PNO. São eles: ações de apoio logístico ao PNO; transporte de insumos para áreas com alto grau de contaminação; ações de vigilância de fronteiras, espaço aéreo, espaço marítimo e controle de tráfego aéreo e marítimo; apoio a ações de combate aos crimes transnacionais e ambientais; e demais militares.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Lúcio Carvalho Pinto

01 de abril, 2021 | 18:11

“o correto e idosos e depois os outros”

Envie seu Comentário