31 de março, de 2021 | 15:39

Exame na capital vai definir oficialmente a identificação de corpo carbonizado em Cava Grande

Enviada para o portal Diário do Aço
O Voyage em chamas foi localizado pela PM depois de uma denúncia anônimaO Voyage em chamas foi localizado pela PM depois de uma denúncia anônima

A Polícia Civil aguarda os exames a serem realizados no corpo carbonizado, localizado no porta-malas do carro incendiado na noite sexta-feira (26), para a identificação oficial da vítima. Este crime foi praticado no distrito de Cava Grande, em Marliéria. A informação é do delegado responsável pelas investigações, Gustavo Cecílio.

O delegado confirmou que há identidade da possível vítima do homicídio, um jovem morador de Timóteo, mas ainda não se tem a identificação formal. “A gente tem até uma informação, mas ela não está formalizada e nem é oficial”, afirmou Gustavo.

Ele explicou que o estado em que se encontrava o corpo, totalmente carbonizado, é necessário um exame mais aprofundado. Esta análise é realizada no Instituto Médico-Legal (IML) de Belo Horizonte. “É preciso que seja feito um exame mais profundado para não ter perigo de dar uma informação e depois ser retificada. Tão logo a gente tenha a confirmação, passo para a imprensa”.

O crime foi descoberto após uma denúncia de disparos de arma de fogo nas proximidades do campo de futebol do distrito Cava Grande. Inicialmente, nada foi constatado, mas depois surgiu outra informação sobre um carro incendiado no Salão Dourado, na zona rural do distrito.

Assim que o Corpo de Bombeiros apagou as chamas, foi encontrado o corpo de uma pessoa no porta-malas do VW Voyage modelo antigo. Diante do estado do cadáver, bastante carbonizado, nem o sexo pode ser verificado naquele primeiro momento. Os policiais conseguiram localizar o antigo dono do carro, mas ele já havia vendido o veículo há algum tempo.

Vítima teria sido baleada antes de ser carbonizada

Uma denúncia indicou que a vítima deste crime foi morta a tiros dentro de uma residência. A polícia esteve no local antes de o carro ser encontrado incendiado com o corpo dentro. Na residência onde foram escutados tiros, foi encontrada uma mulher de 43 anos, que confirmou os fatos.

Houve uma discussão na casa e a vítima foi alvo de tiros. Em seguida, o corpo foi colocado no porta-malas do Voyage e um dos autores alegou que iria atear fogo no carro para sumir com o cadáver. Os policiais conseguiram levantar os nomes de todos que estavam na residência e ainda são investigados. A mulher, que foi encontrada lavando as manchas de sangue, foi presa por alterar a cena do crime. O caso ainda está em investigação.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Envie seu Comentário