16 de setembro, de 2020 | 18:19

Morre o homem esfaqueado pelo filho presidiário na véspera do Dia dos Pais

Jovem envolvido em crimes havia ganhado o benefício da saída temporária da data comemorativa e esfaqueou a vítima no bairro Esperança

Reprodução
Francisco Alves tinha de 66 anosFrancisco Alves tinha de 66 anos

Depois de ficar 36 dias internado no Hospital Márcio Cunha, em Ipatinga, Francisco Alves dos Santos, de 66 anos, não resistiu aos ferimentos de faca e morreu. Ele foi esfaqueado na véspera do Dia dos Pais (8 de agosto) pelo filho de criação, André Rodrigues Nascimento, de 24 anos. O jovem, conhecido pelo envolvimento dele em diversos crimes violentos, havia ganhado da Justiça o direito da saída temporária de sete dias justamente por causa do Dia dos Pais.

O crime aconteceu durante a madrugada de um sábado na rua Amarallis, no bairro Esperança, em Ipatinga. A vítima, mesmo ferida gravemente com pelo menos 12 facadas, conseguiu pular um muro de casa para buscar ajuda na rua. André fugiu, porém, foi localizado no bairro durante as buscas da PM horas depois do fato ocorrido.

O sargento Jonas, da Patrulha Rural, revelou ao Diário do Aço na ocasião que André teria dito que a intenção era matar o homem, que era seu pai de criação. “Na presença de testemunhas, que a intenção dele, ao sair do sistema prisional, era mesmo matar o pai dele”, revelou o militar.

André foi autuado em flagrante por tentativa de homicídio na delegacia de Polícia Civil e recolhido novamente ao sistema prisional. Enquanto isso, Francisco Alves ficou internado gravemente ferido e, depois de lutar pela vida, morreu no domingo (13). O enterro ocorreu no Cemitério Parque Senhora da Paz, no bairro Veneza II, em Ipatinga, depois do velório no salão da Funerária Nova Aliança.

Morte de idoso complica situação de preso

Com a morte do pai, André Rodrigues poderá responder pelo homicídio consumado junto à Justiça no fim do processo. Ele ainda cumpre um restante de pena de condenação pelo crime de roubo. Ele estava no cumprimento dessa pena, quando foi beneficiado pela saída temporária de sete dias.

O Diário do Aço, na época do crime, apurou que Francisco era um dos poucos da família que visitava o jovem na cadeia, apesar dele ser filho de criação. Os PMs informaram que o idoso estava feliz com a saída do jovem, mesmo por alguns dias, e programava um churrasco para receber o presidiário para comemorar o Dia dos Pais.

Além destes crimes, André ficou conhecido ao ganhar o apelido de “Coringa” ao ser preso por roubo em 2018 e estar com o rosto pintado igual ao vilão Coringa, arquirrival do Batman. Ele ainda se envolveu em um brutal assassinato de uma mulher, no bairro Jardim Panorama. Este homicídio foi praticado a mando do marido dela, em 2012. André praticou o crime quando ainda era adolescente e agiu na companhia de outro menor infrator. O plano era que o assassinato parecesse um latrocínio (roubo seguido de morte da vítima), mas a trama veio à tona na investigação policial.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Anonimo

18 de setembro, 2020 | 14:18

“a nossa justiça deveria ter vergonha ao noticiar varios crimes violentos e depois liberar este mostro para cometer outro crime violento, infelizmente o bandido nao tem culpa e sim esta justiça incompetente.”

Envie seu Comentário