Morador de Ipatinga envolvido em desentendimento com teste para covid reclama da falta de comunicação

Divulgação


Os testes aplicados pela equipe do Ibope e da Universidade de Pelotas detectam a presença de anticorpos para o novo coronavírus

Após a divulgação sobre um desentendimento entre membros de uma equipe responsável por aplicar testes do novo coronavírus e populares, em Ipatinga, um dos moradores envolvidos na confusão procurou a reportagem do Diário do Aço para relatar a sua versão. Os pesquisadores irão retornar ainda essa semana a Ipatinga para concluir a coleta de dados por amostragem da população.

Na primeira passagem por Ipatinga, a tentativa de fazer o trabalho terminou em desentendimento e a polícia chegou ser chamada por um dos moradores abordados. O caso citado ocorreu no mês passado, conforme publicado na edição do Diário do Aço desta terça-feira (2). Na matéria é relatado que uma equipe responsável por aplicar testes rápidos, que identificam anticorpos do novo coronavírus, não foi bem aceita por moradores. Esses testes aplicados por essa equipe fazem parte de uma pesquisa financiada pelo Ministério da Saúde e coordenada pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel), do Rio Grande do Sul. Enquanto o serviço é executado sob gestão do Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (Ibope).

Conforme a versão do morador do bairro Iguaçu, de 52 anos, que chegou a ser abordado por essa equipe e esteve envolvido diretamente na confusão, o principal motivo do desentendimento foi a falta de comunicação e que não houve tentativa de agressão aos pesquisadores. “Nesse dia da confusão, duas mulheres, das quais, uma era da área da Saúde e uma não, me interpelaram, pedindo para eu sortear alguém da minha família para fazer o teste de covid-19. Como eu não conhecia essas pessoas, claro que eu não iria fazer isso. Elas não se identificaram para mim”, afirmou.

Desentendimento

O morador ainda acrescentou que as duas mulheres desistiram de fazer o teste com a família dele e foram para a casa de uma senhora, ao lado da sua. “Nesse intervalo de tempo, eu acionei a Polícia Militar, devido termos conhecimento de pessoas que estão se passando por agentes de Saúde para colher sangue e até contaminar a população. Com isso, os policiais chegaram ao local e conversaram com ambas as partes. No início, as duas mulheres falaram comigo que eram do Ministério da Saúde, depois, quando a Polícia Militar chegou, elas falaram que eram da Faculdade de Pelotas, do Rio Grande do Sul e que estavam trabalhando para o Ibope, a pedido do Ministério da Saúde. Além disso, essas duas mulheres estavam com crachá sem foto. Então, o nosso questionamento não é sobre a forma do profissionalismo do pessoal, e sim a forma de abordagem que eles fizeram com nós”, ressaltou.

Veja atualização:
Equipe do Ibope realiza segunda fase de pesquisa sobre coronavírus em Ipatinga

Falta de divulgação

Outro problema apontado pelo morador de Ipatinga foi em relação à falta de divulgação sobre essa pesquisa na comunidade. “Gostaria de saber o motivo de não ter sido feita uma ampla divulgação desse estudo para a população, de modo que pudesse receber os profissionais. Se eu soubesse que o estudo era do Ministério da Saúde, eu gostaria de participar. Além disso, em momento algum teve agressão física ou verbal por parte de algum morador do bairro Iguaçu”, citou.

Pesquisa em Ipatinga terá mais uma etapa

Segundo um dos integrantes da equipe de testagem do estudo, Cid Roberto Gomes, na quinta-feira (4), sexta-feira (5) e sábado (6) serão realizados novos testes em Ipatinga. Conforme Cid, a meta é testar e entrevistar 250 pessoas, assim como tem ocorrido em outras cidades do país. Ele também informou que o Ibope contratou uma enfermeira para aplicar testes para covid-19 nos integrantes da equipe, para saber se estão aptos a atuarem em campo.

O objetivo do estudo é avaliar como o coronavírus se propaga pelo país, por meio da testagem de anticorpos na população. Com o inquérito, será possível identificar com que velocidade a população está adquirindo anticorpos contra a doença. Para isso, o Governo Federal disponibilizou 150 mil testes rápidos que detectam a presença de anticorpos IgM (de infecção mais recente) e IgG (de infecção mais antiga) para o novo coronavírus, a partir de amostras de sangue. Com os resultados do estudo, será possível criar estratégias mais precisas para o combate da pandemia, além de ações e programas de prevenção.

A coleta de dados está sendo feita nos domicílios pelos profissionais do Ibope. Em cada residência é escolhido um morador para participar do inquérito. A cada etapa, a amostragem incluirá os mesmos setores, mas domicílios diferentes dos inquéritos anteriores. Durante a visita, a equipe do Ibope também disponibiliza um questionário sobre doenças preexistentes e possíveis sintomas da covid-19 nos últimos 30 dias, além da aplicação do teste rápido.
Em caso de dúvidas o cidadão pode ligar para 0800 800 5000 ou enviar um e-mail para pesquisa.covid-19@ibopeinteligencia.com.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Lopes 26 de junho, 2020 | 13:34
Na minha opinião, independente da forma que ele ficou sabendo, e mesmo se não tivesse ficado sabendo, ele está corretíssimo de desconfiar. Quem executa esse trabalho tem que pelo menos se identificar!!!
Clarisse 03 de junho, 2020 | 17:03
"ficamos sabendo" ou seja, a tia do zap repassou fake news dizendo q pessoas estavam contaminando a população. É muita burrice.
Lorena Costa Souza 03 de junho, 2020 | 15:08
EM UMA CIDADE DO ESTADO DA BAHIA CHAMADA IRECÊ OCORREU UM ERRO GROTESCO DO PROGRAMA. QUE É NÃO APENAS MAL DIVULGADO MAS TAMBÉM MAL PLANEJADO E EXECUTADO!!! DENTRE O PEQUENO GRUPO DE PESQUISA E TESTAGEM, 3 ENTREVISTADORES QUE IAM DE CASA EM CASA FORAM TESTADOS POSITIVOS PARA O COVID-19... A PREFEITURA DE IRECÊ RECEBEU O COMUNICADO SOBRE A PESQUISA APENAS DEPOIS DE JA ESTAR SENDO REALIZADA.
ESTE PROJETO QUE TEM O APOIO DO MINISTÉRIO DA SAÚDE SÓ DEMONSTRA O QUÃO ABSURDO É ESTE GOVERNO QUE NOS DEIXA A DERIVA.
SEGUE A MATÉRIAEM UM DOS JORNAIS DE SALVADOR.

https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/pesquisa-nacional-sobre-covid-19-e-suspensa-em-irece-apos-equipe-testar-positivo/
Paulo Cesar 03 de junho, 2020 | 11:51
Este e so um exemplo de um país sem comando e o cúmulo da desorganização .o cidadão envolvido esta corretíssimo.

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO