Comunidade católica lamenta a perda do padre Efraim Solano

Corpo do religioso foi sepultado na tarde desta quarta-feira, em Ipatinga

Alex Ferreira


Padre morreu no início da manhã de hoje

Centenas de pessoas compareceram ao velório do padre Efraim Solano Rocha, na tarde desta quarta-feira (13), no santuário Senhor do Bonfim, no bairro Cidade Nobre, em Ipatinga. O religioso, de 98 anos, faleceu por volta das 5h da manhã no Hospital Márcio Cunha, onde estava internado.

Conforme apurado pelo Diário do Aço, uma pneumonia contraída recentemente agravou seu quadro de saúde, que já inspirava cuidados há algum tempo. Seu corpo foi sepultado no cemitério Parque Senhora da Paz, também na quarta-feira.

Nascido em Diogo de Vasconcelos (MG), próximo à cidade de Mariana, no dia 24 de julho de 1921, o padre era filho de Efraim Lázaro Rocha e Maria Gomes Rocha. Segundo ele, sua vocação nasceu na experiência de servir o altar como coroinha aos oito anos de idade.

Ordenado em Mariana, no dia 30 de novembro de 1947, exerceu seu pastoreio em vários municípios mineiros como Barão de Cocais, Barbacena, Urucânia, Viçosa, Nova Era e em 1981 foi designado para Ipatinga. Na cidade, atuou na Paróquia Sagrado Coração por 27 anos e, em seguida, colaborou com a Paróquia Senhor do Bonfim, onde permaneceu como padre emérito.

Há 38 anos em Ipatinga, padre Efraim faz parte da história da cidade, pois participou de seu desenvolvimento, atuando em diversos momentos da vida religiosa e social. Muito dedicado, foi capelão do Hospital Márcio Cunha, vice-diretor no Escola Municipal Artur Bernardes, contribuiu com a extinta Guarda Mirim ao lado do Tenente Osvaldo Machado, que era responsável pela banda de música. Fundou a Creche Sagrado Coração de Jesus e criou a Associação das Vovós “Mãos de Fadas”.

Dentre as várias homenagens que recebeu, no ano de 2012, como reconhecimento pelos serviços prestados, foi agraciado com o título de Destaque na Comunidade pela Aciapi e CDL de Ipatinga.

Wôlmer Ezequiel


Velório ocorreu no santuário Senhor do Bonfim, no bairro Cidade Nobre
Vida de dedicação

O vigário-geral da Diocese de Itabira-Coronel Fabriciano, Padre Aloísio, descreveu a vida de Efraim como de dedicação ao sacerdócio ao longo de 72 anos dos 98 de idade. “Um testemunho de sua comunhão com Deus. Veio a falecer no dia de nossa Senhora de Fátima, no mês mariano, o que revela a proteção maternal de nossa Senhora para com ele. Padre Efraim é um dos que poderia dizer com orgulho ‘combati o bom combate’. Ele já vinha com a saúde debilitada, pegou uma pneumonia e isso agravou muito seu quadro de saúde. Alguns chegaram a dizer que teria infectado por covid-19, mas o resultado desmentiu isso”, esclareceu.

O assessor de Relações Institucionais da Fundação São Francisco Xavier (FSFX), José Carlos de Carvalho Gallinari, conviveu com o sacerdote durante anos. “Ele sempre procurou trazer harmonia e equilíbrio em suas ações. Foi um ícone, viveu um tempo de grande dedicação como capelão do Hospital Márcio Cunha e tenho muito respeito e apreço por seu trabalho como líder religioso. Perdemos um grande amigo e líder. Inevitavelmente as pessoas nascem, vivem e chegam a um momento como esse, de despedida. Efraim passou por essa terra com dignidade. No hospital ele apoiou o processo de humanização hospitalar, mas na comunidade ele fez muito também. Fomos muito amigos e hoje todos choramos sua perda”, lamentou.

Wôlmer Ezequiel


Fiéis e amigos do padre Efraim Solano compareceram ao velório
Membro da comunidade católica Deus Existe há 10 anos, Marcone Silva Matos assegura que Efraim deixa um legado. “Que foi de muito amor à eucaristia. Em seus 72 anos de vida sacerdotal demonstrou isso. Seu lema de ordenação era ‘tu és sacerdote eternamente’. Ele conseguiu trazer na sua vida esse amor, mostrando que Deus é bom em tudo o que ele faz”, resumiu.

A pioneira Edwiges Selim de Salles Bicalho, mais conhecida em Ipatinga como Dona Lilá, lamentou a perda e também por não poder comparecer ao velório de seu amigo. “Tenho 92 anos e por causa do novo coronavírus estou evitando sair de casa. Tenho certeza de que Efraim irá se encontrar com minha mãe, no céu. Ele que sempre foi seu conselheiro e nosso amigo. Minha mãe era louca por ele. Sempre fomos muitos católicos, inclusive tenho uma capela em casa. Ultimamente não estávamos tendo contato. Deixo meus pesares aos familiares e fico com a certeza de que sua vida foi de amor e dedicação ao próximo e a Deus”, pontuou.

Três dias de luto em Ipatinga

Em razão do falecimento do padre, a administração de Ipatinga decretou luto oficial de três dias. O chefe do poder Executivo lamentou a perda para a cidade. “Padre Efraim deixa uma marca indelével na história da cidade, um legado para a posteridade que dignifica a missão evangelizadora. Eu me lembro que, antes de um programa radiofônico do qual participava, vinha o momento do ângelus com o padre. Então nos encontrávamos muito. Lamento profundamente a perda desse grande homem”, disse Nardyello Rocha.

Wôlmer Ezequiel


Na lembrança de Ivo Rocha, a imagem do tio será guardada com carinho

Amor como principal lembrança



Familiares do padre Efraim Solano fizeram coro aos demais presentes no local do velório e exaltaram o amor que o religioso dedicou a Deus e ao próximo. Seu sobrinho Ivo Rocha relatou que, em razão da pandemia, não estava mantendo contato com o tio há quase dois meses, mas que sua última imagem do padre será guardada com carinho. “De um momento alegre, numa celebração no bairro Bom Jardim. Ele quase não se levantou, permaneceu a maior parte da missa sentadinho, contou com a ajuda de pessoas que lá estavam, mas não abriu mão de participar. Ele já vinha debilitado há algum tempo e a palavra neste momento é ‘descansou’. Foram mais de 70 anos de sacerdócio, muitos anos de entrega. Ele descansou”, avaliou.

Também sobrinho, Emanuel Paulo Rocha classificou o momento como de grande perda. “Mas já era esperado. Sabíamos que iria ocorrer, em razão de sua idade já avançada. A vida dele foi de dedicação ao sacerdócio. Todos aqui o conheciam, assim como em outras cidades em que passou. Foi muito querido e sua imagem será guardada com carinho, tenho certeza”, concluiu.

Comunidade católica lamenta a perda do padre Efraim Solano
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Elbert Gomes Sampaio 13 de maio, 2020 | 23:37
Padre Efraim que Deus o receba e maria interceda sua morada no céu fez parte da minha infância até meus 15 anos quando sai de ipatinga hoje moro em Campos dos Goytacazes RJ abraços
Leoncio Simoes 13 de maio, 2020 | 16:39
Vai com deus padre efraim
Foi diretor do colegio Arthur bernardes,aos
Domingos ele celebrava missa na igreija
Do bairro cacula.
Marcelo Alves de Souza 13 de maio, 2020 | 14:11
Grande perda. Padre mais bravo que conheci.
Jose Soares Couto 13 de maio, 2020 | 10:34
Sem sombra de dúvidas, o céu está em festa. Pé. Efraim, além de amigo, sempre procurou ajudar ao próximo. Seu legado será lembrado eternamente. Descanse em paz Pé. Efraim.??
Josué 13 de maio, 2020 | 10:09
Padre Efraim foi ao encontro de Deus. Viveu pela fé e a propagou aos fiéis em toda a sua vida sacerdotal. Descanse em paz Padre Efraim.

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO