Flexibilização do comércio é mantida em Ipatinga

Algumas das restrições estão relacionadas com horários e dias de expediente, e devem ser obedecidas também regras que impedem aglomerações, entre outras

Divulgação


Decisão foi tomada em mais um encontro do Comitê Gestor de Crise de Ipatinga

O governo de Ipatinga confirmou na sexta-feira (8) a decisão de manter em vigor o Decreto Municipal nº 9312/2020, publicado no dia 28 de abril, que permite o funcionamento de bares, restaurantes, academias e shopping na cidade sob normas restritivas definidas para a flexibilização. Algumas das restrições estão relacionadas com horários e dias de expediente, e devem ser obedecidas também regras que impedem aglomerações, entre outras.

Essa informação foi divulgada antes de uma liminar acatada na Vara da Fazenda Pública, que suspendeu a flexibilização para reabertura de shoppings, academias, bares, restaurantes e academias. Vejaa atualização da notícia com a medida cautelar.

Conforme o governo, como vem ocorrendo desde a criação do Comitê Gestor de Crise de Ipatinga, os dados epidemiológicos atualizados do município foram apresentados ao grupo em encontro realizado na noite de quinta-feira (7), na sala de reuniões do gabinete do prefeito. A pauta em discussão era a recomendação enviada ao Executivo pelo Ministério Público, em 30 de abril, solicitando a revogação do Decreto nº 9312, documento que está em vigor e prevê a abertura gradativa e com restrições de bares, restaurantes, shopping e academias na cidade. Cumpridos estes procedimentos, definidos em comum acordo para que as decisões em relação à pandemia possam ser tomadas democraticamente, a maioria dos membros do Comitê se manifestou pela continuidade da flexibilização.

Além do prefeito Nardyello Rocha e de parte dos secretários municipais, estiveram presentes na reunião os representantes do Ministério Público, Defensoria Pública, Polícias Militar e Civil, Corpo de Bombeiros, Associação Comercial, Industrial, Agropecuária e de Prestação de Serviços de Ipatinga (Aciapi), Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) e o vereador Fabinho, representando a Comissão de Saúde Pública da Câmara de Ipatinga. Membros de outros setores como shopping, academias, contabilidade, salões de festas e escolas particulares também participaram da reunião.

Durante o encontro, todos os representantes de instituições de nível estadual se colocaram contra a flexibilização prevista no último decreto. Já os demais setores votaram pela manutenção dos termos do decreto, justificando que os números epidemiológicos apresentados pelos técnicos em saúde do município mostram uma situação favorável para manter o comércio aberto com as restrições que foram impostas.

Indicadores positivos

O prefeito de Ipatinga reforça que todos os decretos elaborados até o momento e relacionados com a pandemia do coronavírus foram produzidos e decididos em conjunto. Contudo, pondera respeitar o posicionamento do Ministério Público e dos demais órgãos de segurança pública que se manifestaram contrários à decisão da maioria. “Diante da curva que atualmente encontra-se achatada, da testagem que tem sido realizada e pelo número baixo de ocupação de leitos (tanto o simples quanto o de UTI para covid-19), avaliamos que a situação hoje está sob controle em Ipatinga. Mas longe de pensarmos que a situação está resolvida. Vamos continuar com as fiscalizações, a fim de garantir que os números não subam por conta da flexibilização que foi feita”.

O chefe do Executivo ainda esclareceu: “por unanimidade entre os presentes, anteriormente o Comitê havia deliberado e assim foi decretada a flexibilização de mais três segmentos: shopping, academias e bares e restaurantes. Desde então, não houve aumento de casos na cidade. Todos os novos positivos confirmados que apareceram no boletim foram testados antes da abertura do comércio. Mesmo com esses indicadores favoráveis, de forma respeitosa levamos para votação do Comitê, na noite de quinta-feira, o conteúdo da recomendação do MP para revogação do decreto. E, de forma democrática, embora desta vez não unânime, decidimos pela manutenção dos termos em vigor”.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Antonio Carlos Tavares 09 de maio, 2020 | 10:44
Concordo plenamente manter comércio, empresas funcionando, IMPORTANTE QUE A PREFEITURA MANTENHA DE ALGUMA FORMA, INFORMANDO/EXPLICANDO AS PESSOAS A NECESSIDADES DA HIGIENIZAÇÃO, MASCARAS, NÃO SOMENTE NAS RUAS, COMO OS CUIDADOS COM OS MATERIAIS LEVADOS PARA SUAS CASA; DESDE UM SACOLA DE ALIMENTO, SUAS ROUPAS, CALÇADOS, PARA ASSIM AO IREM NUM SUPERMERCADO OU FARMÁCIA LEVAR O VIRUS PARA SUA CASA TAMBÉM. "O FÁCIL PARA UM POLÍTICO É FECHAR TUDO, MANDAR EMBORA FUNCIONÁRIOS, DIZER FIQUE EM CASA, ETC". jÁ PARA UM BOM gestor ->>>>>>>>>>>>>parabéns quem tem a coragem, querem realmente mostrar serviços, evitando assim quebrar as empresas, evitar trazer a miséria e o desemprego para sua cidade" . Depois além do virus que nem sabem quando terminará ter a miséria instalada na cidade e ai termos o pior que é a fome e desempregos instalados na cidade, simples assim.
Cida 09 de maio, 2020 | 00:01
Concordo com a flexibilização, porém medidas mais rígidas devem ser tomadas com pessoas de cabeças fechadas e ,olhos também acredito, em relação as medidas de segurança. Devíamos acima de tudo ser gratos por nossa saúde e consequentemente zelar pela do outro.

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO