Dodô tem pedido de reativar contrato negado

Dodô chegou ao Cruzeiro em 2019, emprestado pela Sampdoria, da Itália até o fim do ano passado

Bruno Haddad


Lateral-esquerdo pode recorrer da decisão da Justiça do Trabalho

A Justiça do Trabalho negou a tutela de urgência pedida pelo lateral-esquerdo Dodô, que acionou o Cruzeiro na Justiça pedindo a reativação do seu contrato, conforme noticiou o site Lance.

O jogador queria que o time cumprisse um acordo verbal feito pela antiga diretoria para estender o acordo, caso ele cumprisse metas ao longo da temporada 2019, como atuar três vezes no Brasileirão, ou a Raposa conseguir 15 pontos na competição.

Essas metas iriam acrescentar R$ 8,8 milhões na folha salarial do time. Dodô chegou ao Cruzeiro em 2019, emprestado pela Sampdoria, da Itália até o fim do ano passado.

A decisão a favor do Cruzeiro foi expedida pela juíza Luciana Alves Viotti, titular da 39ª Vara do Trabalho em Belo Horizonte. O jogador ainda poderá recorrer da decisão, mas já há uma audiência entre as partes agendada para o dia 2 de junho.

A magistrada alegou que não há provas documentais sobre o acordo entre o atleta e a antiga diretoria da Raposa para estender o vínculo por mais três anos.

Negociações

Apesar da disputa judicial, Cruzeiro e Dodô podem entrar em um acordo para o jogador voltar time celeste. Para que isso aconteça, o lateral terá de aceitar o teto salarial da Raposa e ainda ter um aval do departamento jurídico do clube.

A necessidade de mais jogador experiente e que possa dar conta de atuar no setor, um dos pontos fracos do time em 2020, faz com que o Cruzeiro tente uma aproximação com o Dodô, apesar da temporada ruim em BH no ano passado. Foram 28 jogos e um gol marcado com a camisa celeste.

Já publicado

Dodô aciona Justiça para reativar contrato com Cruzeiro
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO