Ipatinguense assassinado no Mato Grosso morreu por engano, afirmam pais

Pais de Ruan Pablo afirmam que jovem morto a tiros no Mato Grosso era trabalhador e morreu por engano

Wôlmer Ezequiel


Lauranir da Costa e Sérgio Oliveira atestam que o filho era trabalhador e lamentam sua perda

Os pais de Ruan Pablo Costa Oliveira, assassinado a tiros em Aripuanã, no Mato Grosso, afirmam que ele não estava envolvido com nenhum crime, tampouco fez nada de errado. Lauranir da Costa e Sérgio Oliveira receberam a notícia da morte do filho no dia 28 de dezembro do ano passado. A família de Ipatinga estava na cidade mato-grossense em razão do trabalho de soldador, do pai. Eles lamentam a perda de Ruan e esclarecem que o rapaz estava no lugar e hora errados, quando foi assassinado sem culpa de nada.

A primeira suspeita em rela√ß√£o ao crime foi de latroc√≠nio (roubo seguido de morte), entretanto, os pais apontam que a motocicleta que estava com Ruan n√£o foi levada. “A pol√≠cia me disse que era pra pegar outra pessoa, ele estava na hora e no lugar errados. Ele era inocente e espero que essa mat√©ria repercuta por l√° tamb√©m. Tanto ele quanto o outro menino que estava no local, e que correu para pedir ajuda, n√£o fizeram nada. Quem saiu atirando e matou meu menino est√° foragido. Prenderam um suspeito, mas o outro n√£o. A Pol√≠cia alega que n√£o podem divulgar foto do indiv√≠duo, que n√£o podemos saber, mas se n√£o divulgam, como v√£o achar? Meu cora√ß√£o de m√£e tem certeza de que existe algo que precisa ser apurado, mas n√£o podemos citar nomes”, pondera Lauranir.

S√©rgio Oliveira acrescenta que ele e a esposa acordaram por volta de meia noite e ligaram para o celular de Ruan Pablo. “Ele havia sa√≠do de casa por volta das 18h30. Quando a m√£e ligou, quem atendeu foi um policial, que disse que meu filho estava morto. Marcamos um local para encontrar e ele me mostrou as fotos”, contou o pai, lembrando de como era a rotina no Mato Grosso.

“Era um menino muito bom, trabalhava comigo. Sou soldador, recebi uma proposta de servi√ßo e a not√≠cia de que poderia lev√°-lo. Isso pra mim foi um atrativo, poder ter meu filho junto, ver ele desenvolver. Mas tiraram sua vida. Est√°vamos l√° h√° poucos meses e ele quase n√£o sa√≠a de casa. Foi at√© a pra√ßa para usar o wi-fi e n√£o voltou mais”, recorda.

O pai esclarece que seu filho foi confundido com outra pessoa. “A investiga√ß√£o est√° quase conclu√≠da. Ele foi atingido por dois sujeitos, numa situa√ß√£o que est√° relacionada a um crime anterior. Na sexta-feira est√°vamos em casa, e o filho de uma figura p√ļblica da cidade foi v√≠tima de uma tentativa de roubo. No meu ponto de vista, ele descreveu mais ou menos as pessoas, e meu filho se encaixava nas caracter√≠sticas f√≠sicas, o que levou a esse engano. Meu filho estava na pra√ßa, no lugar errado e foi alvejado”, afirma S√©rgio.

Álbum pessoal


Jovem foi assassinado dias antes de completar 18 anos
Pedido

Os familiares querem que a imagem de Ruan Pablo continue como em vida: de uma pessoa boa, amiga e de f√°cil conviv√™ncia com todos a seu redor. “O rapaz que esteva com ele no momento conseguiu escapar, Ruan n√£o. Ele saiu de casa com a moto do amigo do S√©rgio. O ve√≠culo n√£o foi levado, a chave ficou na m√£o dele, os policiais pegaram de sua m√£o. Meu menino n√£o conseguiu nem correr, o primeiro tiro foi por tr√°s, ele n√£o conseguiu escapar e foi alvejado diversas vezes”, conta a m√£e.

A mensagem que Lauranir deixa √© de que Ruan era um bom rapaz, n√£o fazia distin√ß√£o de pessoas, era muito educado e trabalhador. “Todos que foram ao vel√≥rio puderam ver a m√£o dele pretinha de graxa. √Č muito do√≠do levantar todas as manh√£s e n√£o ver meu filho na sua cama dormindo. Seu sonho era ter um neg√≥cio pr√≥prio e sua vida foi ceifada aos 17 anos. Ele estava muito feliz que ia completar 18 anos, sua carteira de trabalho seria assinada. O anivers√°rio dele √© no dia 11 de janeiro, o crime aconteceu dia 28 de dezembro. Ao menos pude cuidar do meu filho at√© o fim. Gostaria que os policiais agilizassem, quero justi√ßa, meu filho teve a vida ceifada por usar o wi-fi e estar no lugar errado”, suplica a m√£e de Ruan Pablo.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Coment√°rios

Sabonete 14 de Fevereiro, 2020 | 11:14
DONA LAURANIR.......QUE DEUS CONFORTE O SEU CORA√á√ÉO E DE SEU ESPOSO....√Č DIREITO DE SUA FAM√ćLIA TER A RESPOSTA DO OCORRIDO.....
Joao 13 de Fevereiro, 2020 | 12:41
se a polícia divulgar a foto do foragido é abuso de autoridade
William 12 de Fevereiro, 2020 | 18:06
infelizmente o Brasil e um pais sem controle,quem manda no pais sao os criminosos

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENT√ĀRIO