Identificada mais uma vítima da catástrofe da mineração em Brumadinho

Edézio Fernandes EM


Ainda estão desaparecidas 13 vítimas da catástrofe da mineração, em Brumadinho

A Polícia Civil de Minas Gerais confirmou nessa segunda feira (2), que identificou mais uma vítima do rompimento da barragem de Córrego do Feijão, em Brumadinho.

O funcionário da Vale, Max Elias de Medeiros, 37 anos, foi identificado por exame de DNA. Restos mortais tinham chegado ao Instituto de Medicina-Legal (IML), em 11 de novembro.

Com isso, 257 pessoas já foram identificadas. 13 estão desaparecidas. O rompimento da barragem da mina da Vale, em Brumadinho, ocorreu em 25 de janeiro de 2019. Desde então, centenas de Bombeiros Militares se revezam na tarefa de revirar a lama em busca dos corpos.

Outro caso

A 256ª vítima da tragédia de Brumadinho foi identificada em 23 de novembro. Trata-se da técnica em segurança do trabalho, Elis Marina Costa, de 24 anos, funcionária terceirizada da Vale.

O corpo foi identificado por meio da arcada dentária pela equipe de Odontologia Legal do Instituto Médico-Legal (IML), em Belo Horizonte.

Já publicado:
Justiça manda indenizar sobrevivente de Brumadinho, que mora no Vale do Aço
CPI conclui que Vale sabia dos riscos em Brumadinho e aponta responsáveis

Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Eliane 03 de Dezembro, 2019 | 12:54
Parabéns ao corpo de bombeiros, que mesmo após vários meses, não cessam a busca pelos desaparecidos.
Minas agradece e se orgulha de todos vocês!

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO