Paralisação dos atendimentos em hospital de Timóteo é adiada

Wôlmer Ezequiel /Arquido DA


A mantenedora do HMVB informou, que apesar das reuniões realizadas nesta semana, entre os representantes do hospital e a Secretaria da Saúde do Estado de Minas Gerais (SES-MG), não houve nenhum posicionamento com relação ao pagamento dos atrasados

O corpo clínico do Hospital Vital Brazil/São Camilo (HMVB), em Timóteo, decidiu adiar para o dia 8 próximo, a paralisação, que estava marcada para esta sexta-feira (1). A informação foi confirmada ao Diário do Aço pelo advogado, Maicon Reis, que representa o corpo clínico. O jornal acompanha desde meados do mês passado a ameaça dos médicos em parar de trabalhar por falta de pagamento.

“Tivemos uma reunião na quinta-feira (31/10), na qual a Sociedade Beneficente São Camilo, mantenedora do hospital, informou que não recebeu proposta para sua quitação da dívida, por parte do estado. Com isso, foi pedido um tempo para que governo estadual pudesse se posicionar melhor. Portanto, combinamos que vamos aguardar até quinta-feira (7). Queremos que o estado informe sobre o débito com a São Camilo e que pague até o fim de novembro, e que a mantenedora se comprometa em repassar 100% desse valor para quitação dos pagamentos em atraso com os médicos”, explicou o advogado.

Em nota enviada ao Diário do Aço, a mantenedora do HMVB informou, que apesar das reuniões realizadas nesta semana, entre os representantes do hospital e a Secretaria da Saúde do Estado de Minas Gerais (SES-MG), não houve nenhum posicionamento com relação ao pagamento dos vencimentos atrasados, referentes aos serviços prestados pelo HMVB, nem definição do cronograma para quitação dos débitos, como havia sido acordado durante os encontros.

“Na data desta quinta-feira (31), o Governo de Minas Gerais se comprometeu apenas com o pagamento ordinário do mês de novembro deste ano. Com a falta de definição desses débitos, o HMVB não pode se comprometer com o corpo clínico do hospital para fazer os devidos repasses a esses profissionais”, ressaltou.

A nota também afirma que embora a situação não tenha sido resolvida pelo governo estadual, conforme esperado, o HMVB e representantes do corpo clínico se reuniram dia 31, quando houve o acordo pelo adiamento da possível paralisação para o dia 8 deste mês, na tentativa de que neste período possa ser encontrada uma solução em relação aos valores em atraso com o hospital e em consequência com os honorários médicos.

“O HMVB continua disposto a negociar, com o governo estadual, um cronograma para o pagamento dos débitos existentes com o hospital e espera contar com o empenho dos gestores públicos para que tudo se resolva o mais breve possível e não comprometa o atendimento à população de Timóteo e região”, concluiu a nota.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Costa Gravessan 01 de Novembro, 2019 | 11:20
Fico só observando. Quando é trabalhador rodoviário, metalúrgico, pé rapado chão de fábrica, caminhoneiro, gari e tantas outras categorias da "base", de baixo, que fala em greve, aparecem os "cidadãos de bem" e mandam a polícia descer o pau e mandar bala de borracha. Será por que ninguém falou isso dos médicos ainda? Será por que só o trabalhador da base mas pobre da pirâmide social merece apanhar quando fala em protestar por melhore salários e condições de trabalho?

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO