Equipe fabricianense vai a GV acompanhar apuração de desvio de medicamentos

Divulgação


PC investiga origem de carregamento de medicamentos da rede pública, encontrados em depósito clandestino

A equipe da Gerência de Assistência Farmacêutica de Coronel Fabriciano foi nessa quinta-feira (31) a Governador Valadares para verificar a procedência da denúncia de medicamentos suspeitos, que segundo a Polícia Civil deveriam ter sido enviadas à rede pública do município.

Conforme nota divulgada pelo governo fabricianense, oito caixas de ciprofloxacino injetável (antibiótico) foram encontradas em um depósito clandestino na cidade de Governador Valadares. No volume consta o nome da empresa Rioclarense, como a distribuidora dos medicamentos, e endereço da prefeitura, como destinatário. A investigação analisa agora o laboratório e as transportadoras de origem das caixas.

Conforme a nota, o delegado Clériston Lopes de Amorim, da Delegacia Especializada em Tóxicos e Entorpecentes, que conduz as investigações, trabalha com a hipótese de mercadorias furtadas e acredita que o município de Coronel Fabriciano seja vítima, nesse caso.

“As investigações no laboratório levaram até um depósito clandestino e lá foram encontrados medicamentos de diferentes tipos e origens, incluindo oito caixas lacradas endereçadas ao município de Coronel Fabriciano. Nossa investigação não aponta nenhuma irregularidade no que se refere à conduta de nenhum servidor do município. A Polícia também acredita que tenha ocorrido um desvio, antes de chegar ao município. As informações conclusivas serão dadas após o termino das investigações”, disse o delegado em entrevista à imprensa.

Em nota, a administração municipal reitera que todos os medicamentos comprados, por meio da Secretaria de Governança da Saúde, são de laboratórios e distribuidoras de grande porte de cidades como: Belo Horizonte, São Paulo e outras capitais.

Os processos são feitos por meios de licitações e seguem rigorosamente todos os critérios de transparência e de exigência de idoneidade dos laboratórios participantes.

“A prefeitura destaca que não realiza compra de medicamentos de laboratórios na cidade de Governador Valadares. Toda a entrega dos medicamentos adquiridos é acompanhada pela Gerência de Assistência Farmacêutica e farmacêuticos da Farmácia Central, que verificam a qualidade dos produtos e suas devidas notas fiscais”, detalha.

Na conclusão da nota é informado que o setor jurídico da administração acompanha o inquérito, “e não medirá esforços para proteger o interesse público”.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO