O efeito devastador da queimadas

Temperatura máxima no Vale do Aço deve ficar em 35 graus na segunda-feira, mas no Jequitinhonha e Noroeste de Minas pode chegar a 40 graus

Alex Ferreira


Sol encoberto por densa camada de fumaça ficou vermelho no fim da tarde esse domingo, 20

Depois de uma semana ininterrupta de queimadas no entorno do Vale do Aço, nesse domingo o pôr do sol apresentou um espetáculo diferente. O sol ficou vermelho, antes de se esconder atrás de uma densa camada de fumaça, no horizonte das serras que circundam o núcleo urbano.

A extensão da Serra dos Cocais, que começa em Antônio Dias e termina em Santana do Paraíso, um maciço que em alguns pontos passa de mil metros de altitude, ardeu em chamas durante toda a semana.

Em mensagens enviadas ao Diário do Aço, moradores dessas regiões lamentaram as perdas ambientais com o fogo. "É uma seca que nunca vi, em mais de 40 anos que moro aqui", explicou um dos moradores da região do Cocais.

Sem chuva, com a baixa umidade do ar e a ação irresponsável de incendiários, o verde virou cinzas no entorno da área urbana e a esperança agora é com a chegada da chuva, para recompor o verde.

Entretanto, o Instituto Nacional de Meteorologia prevê para segunda-feira (20), céu parcialmente nublado a nublado com pancadas de chuva e trovoadas isoladas nos vales, do Aço, Rio Doce e Mucuri. A temperatura máxima nessa região pode chegar a 35 graus. Já no Norte e Noroeste tem estimativa de temperatura de até 40 graus amanhã.

Já publicado:
Queimadas voltam a sufocar no Vale do Aço


Sol fica vermelho com fumaça das queimadas no Vale do Aço
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Hans Muller 21 de Outubro, 2019 | 14:59
quem apaga fogo é o bombeiro ou sera que mudou e agora e o prefeito. e muita besteira viu?
Nilton Barreto dos Santos 21 de Outubro, 2019 | 13:59
Um projeto importantíssimo que iria proteger a Serra dos Cocais, transformando-a em Unidade de Conservação Estadual, por seus atributos naturais e por possuir a maior e mais importante área de recarga considerado um importante manancial da Bacia do rio Doce, é desanimador levar adiante a proposta de criação da APA Estadual Serra dos Cocais, com esses alarmantes incêndios praticados por criminosos, que não deixa de ser um crime ambiental, põe a vida em risco e o que é pior, compromete a sobrevivência nessa região.
Pedrin Perito 20 de Outubro, 2019 | 20:47
A culpa não é do prefeito, é da sociedade, que fuma e joga guimba no chao, que queima pra refazer e expandir pastagens,que joga lixo em local impróprio..isso tudo gera fogo...mata animais silvestres, destroi nascentes e adoece nossa gente, gerando também gastos publicos com saude respiratoria das pessoas.
Ww2 20 de Outubro, 2019 | 20:19
Tem que investigar se existe alguém comandando essas queimadas
José da Silva 20 de Outubro, 2019 | 18:50
O prefeito está ocupado pensando onde vai ser feita a próxima rotatória, pois é só isso que ele sabe mandar fazer.
Maria Lima 20 de Outubro, 2019 | 18:27
Natureza vai cobrar um preço alto no período chuvoso.
Ana 20 de Outubro, 2019 | 18:26
A cidade está em chamas já quase uma semana onde estão as autoridades e o prefeito de ipatinga que só se importa com festas e aparecer na tv

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO