Levantamento aponta infestação de baixo risco do Aedes aegytpi, em Coronel Fabriciano

O levantamento foi realizado na última semana, entre os dias 7 e 10 de outubro

Divulgação PMCF


Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti feito na última semana apontou índice de infestação de 0,8%

A Secretaria de Governança de Saúde de Coronel Fabriciano divulgou, nesta segunda-feira (14), o resultado do último Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa) de 2019, 0,8%, considerado baixo risco de acordo com o Ministério da Saúde.

O levantamento foi realizado na última semana, entre os dias 7 e 10 de outubro. “Estamos bem satisfeitos com o resultado, pois, foi fruto de um trabalho multissetorial de diversas secretarias como Saúde, Obras e Limpeza Urbana, Educação, e Assistência Social”, ressalta a subsecretária de Governança de Saúde, Vânia Tavares.

Dentre os depósitos verificados neste período, foram encontrados focos em tambores (21%); caixas d’água (21%); vasos de flor (21%); bebedouros de animais (14%); vaso sanitário (7%); pneu (7%); e pote de plástico (7%). Dos 62 bairros pesquisados no município, em apenas 13 tiveram resultados positivos para Aedes aegypti. São eles: Caladinho de Cima (2 focos); Ponte Nova (1 foco); Aparecida do Norte (1 foco); Amaro Lanari (1 foco); Nova Tijuca (1 foco); Silvo Pereira I (1 foco); Recanto Verde (1 foco); Bom Jesus (1 foco); Professores (1 foco); Melo Viana (1 foco); Padre Rocha (1 foco); Santa Inês (1 foco); e Córrego Alto (1 foco). O levantamento é feito por amostragem.

A subsecretária lembra que ainda estamos num período de estiagem e a aproximação do período chuvoso e das altas temperaturas, típico do verão, propicia o acúmulo de água em depósitos e a reprodução do mosquito transmissor. “É preciso ter muito controle com depósitos de grande proporção, como piscinas, caixas d’águas, o que pode causar um aumento do índice no início do ano. Além disso, tem o período de férias, de dezembro a janeiro, em que as pessoas precisam fazer uma vistoria antes de viajar”, alerta.

Índice de infestação
O LIRAa tem como finalidade verificar os índices de infestação dentro do município, a fim de que sejam realizadas ações para combater os principais focos em áreas onde a proliferação do mosquito seja maior. O levantamento é realizado pelo menos três vezes por ano, por amostragem.

No primeiro levantamento, realizado em janeiro de 2019, o índice foi de 2,1%, número considerado médio risco de acordo com o Ministério da Saúde. Os principais focos foram encontrados em bebedouros de animais (46,8%); tambores (25%) e caixas d’água (12,5%) em cerca de 20 localidades diferentes.

Já no segundo LIRAa, realizado em agosto, o índice foi de 0,5%, considerado baixo risco. Os principais focos foram encontrados em vasos sanitários (30%); bebedouros de animais (20%) e ralos (20%); caixa d’água (10%) e vaso de flor (10%), em 62 bairros pesquisados.

Apesar dos serviços realizados pelos agentes, a administração municipal ressalta que o combate ao mosquito Aedes aegypti deve começar nas residências com medidas simples no dia-a-dia, como guardar garrafas e baldes vazios sempre virados para baixo; manter pneus sem água e em lugares cobertos; desobstruir calhas e tampar caixas d’água, poços e reservatórios de água; lavar e secar vasilhas dos animais antes de trocar água e ração; deixar ralos limpos e com aplicação de telas entre outras.

Já publicado

Timóteo realiza último LIRA’a do ano
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO