Mais uma carga de ferro e aço é recuperada em Fabriciano

Em uma semana, operação policial recuperou 28 toneladas de produtos desviados da Cipalam

Divulgação PCMG


Carga desviada ainda estava com lacres e selos da empresa de origem

Uma operação da Polícia Civil recuperou, nesse fim de semana, mais uma carga de produtos em aço, desviada de uma empresa de Ipatinga. Várias pessoas são investigadas na operação. Em uma semana, essa foi a segunda operação que resulta em recuperação de carga desviada de uma mesma empresa, que tem unidades em Ipatinga e em Santana do Paraíso, conforme já foi noticiado pelo Diário do Aço.

Entre os produtos recuperados estão barras chatas, cantoneiras, ferro redondo, em sua maioria, produtos destinados a serralherias e construção civil.

O trabalho da polícia começou quando chegou à Delegacia da Polícia Civil, em Coronel Fabriciano, a informação de que uma carga subtraída da empresa Cipalan era negociada a preço abaixo do praticado no mercado. A carga teria sido roubada em 26 de setembro no município de Sapucaia, no Rio de Janeiro, e retornado ao Vale do Aço.

No local indicado na denúncia, policiais depararam com a carga em um caminhão Ford Cargo 2422E, de Coronel Fabriciano, conduzido por J.S.C., que disse trabalhar para o proprietário do caminhão, V.F.A.. Por sua vez, V.F. informou que aluga o caminhão mensalmente para carregar madeira e na sexta-feira (4) foi procurado por M.A.R., de 41 anos, que lhe pediu para que carregasse uma carga de ferragens, do Distrito Industrial, em Coronel Fabriciano, até uma empresa no bairro Caladinho. Pelo serviço, pagaria R$ 200 ao motorista.

M.A. disse ter comprado a carga de um homem em Coronel Fabriciano. Sob alegação de o vendedor ser de Colatina, no Espírito Santo, não soube informar o nome.

Um funcionário da Cipalam esteve no local da apreensão, na avenida Tancredo de Almeida Neves, onde reconheceu 11 fardos de barras de aço, pesando aproximadamente uma tonelada cada. Outros três fardos, também com uma tonelada cada, foram encontrados em outra empresa, onde também foi apreendido um Mitsubishi ASX de cor cinza, 2015. Os nomes estão sendo preservados porque as investigações estão em andamento e o inquérito irá definir qual o nível de envolvimento de pessoas e empresas na organização criminosa.

O trabalho foi comandado pelos delegados Alexandro Silveira Caetano e Washington Alves Moreira Izaias. Atuaram na operação os investigadores Farney Leandro Matheus, Wallace Nazário, Sérgio Fernandes, David Willian, Marco Elias e Victor Alves.

Organização criminosa
Para o delegado da PCMG, Alexandro Silveira Caetano, de fato há indícios da existência de uma organização criminosa especializada em desviar cargas de aço da Cipalam, tendo em vista que no dia 2 de outubro outra operação da Delegacia da PCMG prendeu dois homens envolvidos com o desvio de 14 toneladas de produtos em aço da mesma empresa, carga essa avaliada em cerca de R$ 40 mil e que foi localizada em uma serralheria, no bairro Surinan.

Um dos homens presos na operação de sexta-feira tem condenações por delitos contra o patrimônio e por adulteração de chassi de veículos.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

MAIS FOTOS

Comentários

Ze de Minas 05 de Outubro, 2019 | 13:33
Esta empresa gera renda e impostos para o Vale do Aço,mas,parece que não tem administração,conferentes de entrada e saída de materiais,ou ......

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO