Medidas para contenção do 'pó preto' em Ipatinga ainda são discutidas

A Usiminas confirma que está em tratativas com o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) para a definição de medidas de mensuração e mitigação da emissão de material particulado, em Ipatinga. A informação é da assessoria da empresa, encaminhada na tarde dessa quinta-feira ao Diário do Aço.

No dia anterior, a Promotoria de Justiça de Defesa do Meio Ambiente em Ipatinga divulgou nota em que informa uma nova reunião realizada com a Usiminas, na terça-feira (1), para tentar celebrar um acordo sobre a poluição por partículas sedimentáveis na cidade. "Diante da falta de consenso, o MPMG estabeleceu o dia 18 de outubro como data final para as tentativas de negociação", informa a nota.
Arquivo DA


Usiminas e MPMG negociam medidas para reduzir emissão de poluentes

O MP acrescenta que, conforme as investigações, vários bairros de Ipatinga sofrem com uma grande deposição de partículas sedimentáveis, conhecidas na cidade como pó preto. "O MPMG investiga o problema desde agosto de 2016, já tendo sido constatado que, em diversos locais do município, ocorre deposição de partículas sedimentáveis em índices muito superiores ao máximo permitido. No entanto, a empresa, instalada na região central da cidade, tem evitado durante todo esse tempo assinar qualquer compromisso relacionado à solução do problema", informa o promotor de Justiça Rafael Pureza.

O MPMG acrescenta que, no dia 23 de agosto, o MPMG apresentou à Usiminas mais uma proposta de Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) para que a empresa assuma a obrigação de instalar um sistema de monitoramento das partículas sedimentáveis e reduzir os seus níveis de emissão do poluente, contribuindo para a melhoria nos índices de qualidade do ar da cidade.

Na reunião de terça-feira, a Promotoria de Justiça de Defesa do Meio Ambiente se posicionou com a empresa, afirmando que é inegociável que eventual acordo contemple a criação de um sistema de monitoramento permanente das partículas sedimentáveis e que exista o compromisso da empresa de reduzir as emissões do poluente. Foi solicitado à siderúrgica que apresente os resultados referentes à deposição do “pó preto” em diversos bairros da cidade.

O promotor Rafael Pureza acrescenta que a assinatura de Termo de Ajustamento de Conduta permitirá que sejam realizados estudos aprofundados sobre a quantificação e qualificação do poluente, sua origem e métodos de controle na fonte, contribuindo para que seja equacionada uma grande demanda ambiental de Ipatinga.

Já publicado:
Usiminas irá instalar rede de monitoramento do ''pó preto''
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Lúcia Souza Reis 06 de Outubro, 2019 | 22:05
Está cada dia mais difícil respirar com essa poluição que atingiu a cidade ultimamente. Pra mim,dois dias após aquela explosão na Usiminas eu piorei.E até onde eu moro o pó é bastante. Vc sente o ar pesado.Tenho que ligar modificador direto.Agora até bronquite apareceu.Tem que ter uma solução pra melhor o nosso ar
Barrabas 05 de Outubro, 2019 | 10:49
A noite este este po preto ainda e pior a minha varanda amanhece toda suja e nao moro assim tao perto da usiminas.solucao tem basta ter boa vontade.ja passou da hora deste problema ser solucionada.

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO