Suspeito de matar três em Ipaba está preso

Apesar de negar autoria, ipabense de 24 anos foi autuado e está recolhido ao presídio, vítimas de triplo homicídio já foram sepultadas

Reprodução


Junio Alves, 29 anos, Helizecristian Graziela, de 30 anos e Woshington de Freitas, de 26, foram assassinados na noite de sábado

Um jovem de 24 anos é investigado como suspeito de autoria de um triplo homicídio no fim de semana, em Ipaba, quando uma mulher e dois jovens foram assassinados a tiros. O crime causou comoção na cidade. O autor do triplo assassinato estava com o rosto parcialmente coberto e armado com uma pistola calibre 380. Morreram Helizecristian Graziela de Oliveira, de 30 anos, assassinada na frente do filho, o marido dela, Junio Alves Trega, 29 anos e o amigo do casal, Woshington de Freitas Procópio, de 26 anos.

O crime foi registrado por volta de 22h de sábado (30), no "Bar da Loira", localizado na rua Uberaba, bairro São José. Uma das testemunhas do crime relatou que sua mãe, Helizecristian, Júnio Alves e Woshington de Freitas, estavam no interior da residência, que é anexo ao bar, quando alguém chamou no comércio.

Helizecristian foi atender e acabou morta a tiros. Júnio correu para o bar, onde eram feitos os disparos e também foi atingido. Em seguida Woshinton entrou em luta corporal com o autor dos tiros e também morreu baleado.
O assassino usava uma camisa enrolada na cabeça, mas durante a ação, a maior parte do rosto ficou exposta e o autor foi identificado por pessoas que viram o crime como sendo F.R.S., de 24 anos.

O suspeito foi encontrado em sua residência e com ele nada de ilícito foi encontrado. Foram feitas novas fotos e, novamente, testemunhas não tiveram dúvida em reconhecê-lo como o autor do crime. O suspeito, entretanto, negou a autoria do crime e relatou que esteve em outro bar, de onde saiu e foi para casa. Ele foi detido e conduzido para a Delegacia de Polícia Civil.

Pistola

A perícia da Polícia Civil recolheu na cena do crime seis cartuchos intactos; 22 cápsulas vazias e 10 projéteis de calibre 380, disparados por uma pistola. Também foi recolhida uma porção de cocaína.

Woshington de Freitas morreu com cinco perfurações (de entrada e saída) provocadas por tiros, principalmente no pescoço e cabeça. Júnio Alves apresentava sete perfurações no corpo, principalmente tórax, e Helizecristian Graziela teve 17 perfurações, inclusive na nuca.

Autuado

Mesmo negando qualquer participação, F.R. foi preso em sua casa e autuado em flagrante no plantão da delegacia de Ipatinga pelo triplo homicídio e recolhido à Penitenciaria Dênio Moreira de Carvalho, em Ipaba. Outros nomes de suspeitos foram levantados pelos policiais e o caso está em investigação pela Polícia Civil.

Outra informação que chegou até à polícia é que o atirador estava acompanhado de outras pessoas em um VW Parati. O veículo foi localizado nas proximidades do local do crime. Ele estava com o farol ligado e um dos pneus estourado, com a aparência de ter sido abandonado às pressas. O assassinato pode estar ligado à vingança de um homicídio ocorrido recentemente, mais um capítulo na guerra entre duas facções criminosas da cidade.

Sepultamentos

Os corpos das vítimas já foram sepultados. O Diário do Aço apurou que Júnio foi sepultado no Cemitério Parque Senhora da Paz, em Ipatinga, no domingo. Nesta segunda-feira foram sepultados os corpos de Woshington (os dois primeiros pela funerária Paraíso) e Helizecristian (funerária Nova Aliança) no cemitério municipal de Ipaba.

Comentários

Papai 01 de Abril, 2019 | 19:36
NOSSA GENTE ?... TODOS OS TRÊS QUE MORRERAM ERAM TÃO BOA GENTE. TRABALHADORES E NUNCA FIZERAM NADA ILÍCITO OU CRIMINOSO. TADINHOS.

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO