Polícia Civil conclui investigação do assassinato de Géssica Bruna

No dia 31 de julho, a Justiça concedeu mandados de prisão temporária contra os dois investigados

Divulgação


Baiano e Boneco estão presos desde o fim de julho por meio de mandados de prisão temporária

A delegacia de Homicídios, da 1ª Delegacia Regional de Polícia Civil de Ipatinga, apresentou, nesta quinta-feira (23), a conclusão das investigações do assassinato de Géssica Bruna Sousa Moura Lacerda, de 31 anos. Ela morreu no último dia 15 de junho, após ser baleada na rua Marmelos, no bairro Limoeiro, conforme divulgado pelo Diário do Aço. Os dois acusados pelo crime já estão presos desde o fim do mês passado, por mandados de prisão temporária, expedidos pela Justiça da Comarca.

O delegado Eduardo Vinícius revelou que a motivação do crime teria sido o furto de drogas de um dos acusados, que é ex-amásio de Géssica. Trata-se de Anderson de Oliveira Campos, de 30 anos, o “Boneco”. Para a PC, o outro envolvido no crime seria Lucas Alves dos Santos, de 27 aos, o “Baiano”, morador do Vale do Sol, no bairro Vila Celeste, e que disparou contra a vítima com um revólver calibre 38.

No dia 31 de julho, a Justiça concedeu mandados de prisão temporária contra os dois investigados.

Eduardo Vinícius disse que eles tentaram negar, mas as investigações confirmaram algumas pistas que indicavam o envolvimento de ambos no crime. Na data dos fatos, a dupla utilizou para a fuga um VW Gol modelo antigo (quadrado). “Foram reconhecidos por imagens de câmeras de segurança e ainda testemunhas”, afirmou o chefe da delegacia de Homicídios de Ipatinga durante entrevista à imprensa.

Outro detalhe que contribuiu para as investigações é que a vítima não morreu na hora. “Ela morreu enquanto recebia atendimento médico. Géssica declinou, com veemência, quem foram os autores dos tiros que a atingiram, contando para o policial militar que estava no local e para a mãe dela”, apontou Eduardo.

Os dois investigados vão responder junto à Justiça por homicídio qualificado, motivo torpe, pois a motivação seria por causa do tráfico de drogas, e por não terem dado à vítima chances de defesa. “Eles estão presos e conseguimos provar que eles são envolvidos também com o tráfico na região do Vale do Sol”, informou ainda o delegado apontando que os dois se encontram recolhidos na Penitenciária Dênio Moreira de Carvalho, em Ipaba.

Géssica foi morta com um tiro na barriga e outro na mão direita, o que demonstra a tentativa de se defender do atirador. A mulher foi socorrida com vida pelo Samu, mas morreu durante atendimento médico no Hospital Márcio Cunha. Neste tempo, ela revelou a participação de “Boneco”, que é seu ex-amásio e ainda de Baiano no crime, como noticiou o Diário do Aço na ocasião do crime.

Outra pessoa chegou a ser investigada e ficou alguns dias presa temporariamente. Rondinelli Souza, o “Massagado”, foi visto em companhia da vítima, contudo as investigações da Polícia Civil não conseguiram provar que ele teve alguma participação no homicídio, apesar dos indícios. A arma usada no homicídio e o carro utilizado na fuga também não foram localizados.


Polícia Civil conclui investigação do assassinato de Géssica Bruna
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Comédia 26 de Agosto, 2018 | 08:39
Sem comentários.. .

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO