11 de junho, de 2016 | 18:00

Duplicação da BR-381 tem novos entraves

Esperada há cerca de 20 anos, a duplicação da BR-381 foi lançada há três anos


O anúncio do cancelamento de projetos para alguns trechos da BR-381 Norte, entre BH e Governador Valadares, já licenciados e até licitados, para a duplicação, repercutiu na Assembleia Legislativa de Minas Gerais. Um requerimento deverá ser aprovado para convocação dos representantes do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), em Minas Gerais, para que expliquem detalhes do anúncio feito na semana que passou.

Esperada há cerca de 20 anos, a duplicação da BR-381 foi lançada há três anos; as obras como pontes foram iniciadas e túneis concluídos, mas grande parte dos serviços está parada. Agora, o Dnit anuncia que boa parte dos projetos será revista. Em muitos trechos as obras voltarão à estaca zero e será necessário, inclusive, abertura de nova licitação.

O Dnit não fala mais em prazos, de quando a duplicação entre Belo Horizonte e Governador Valadares será retomada ou concretizada. O trabalho, este ano, vai se limitar à preservação das obras já realizadas, entre elas os túneis de Sá Carvalho, em Antônio Dias.

Com a decisão do Dnit de descartar a criação da variante Santa Bárbara, uma alternativa de trajeto para desafogar a rodovia entre São Gonçalo do Rio Abaixo e Nova Era, os projetos dos lotes 4, 5 e 6 terão que ser refeitos. Esse novo traçado tiraria a rodovia da área urbana de João Monlevade.

A variante teve projeto licitado. A melhor proposta foi apresentada pela Astec Engenharia, de São José do Rio Preto (SP), com lance no valor de R$ 3,5 milhões. Mas agora, conforme o Dnit, "devido a fatores técnicos, como a presença de plantas de mineradoras, além de topografia desfavorável, a construção dessa variante se mostrou economicamente inviável". 
Divulgação Nova 381


site 381


“Os projetos não são aproveitados na íntegra porque o volume de veículos que vai passar por ali não se adequa na rodovia da forma como está projetado, em pista simples. Então, nós voltamos praticamente à estaca zero com esses lotes 4, 5 e 6”, afirmou o superintendente do Dnit em Minas, Fabiano Cunha, que assumiu a função em janeiro.

Orçamento 

A grande questão no momento é a falta de recursos para custear as obras nos 303 quilômetros entre Belo Horizonte e Governador Valadares. Dos R$ 130 milhões pedidos para as intervenções na 381 – que já é pouco diante da magnitude do trabalho, cujo valor inicial era de R$ 2,5 bilhões, apenas cerca de R$ 60 milhões foram, de fato, disponibilizados. 

“Com esse recurso vamos tocar o lote 7 (Caeté), a parte do viaduto, e proteger o que já temos hoje de terraplanagem pronta, porque há o risco de retrabalho se a gente não fizer a proteção”, explica Cunha.

Os lotes 1 e 2 (entre Governador Valadares e o trevo de Jaguaraçu), foram judicializados e permanecem indefinidos. A Isolux, vencedora da licitação pode ter rescindido o contrato por atraso no cronograma das obras. Caso isso ocorra, o Dnit pode vir a assumir a obra nesse trecho. Sem recurso nem para tocar os outros segmentos, não se sabe de que forma isso seria viabilizado. 
Divulgação Nova 381


site 381


Mobilização
Coordenador do movimento Nova 381, o presidente da Federação das Indústrias de Minas Gerais, Regional Vale do Aço, Luciano Araújo, defende que se mantenha a mobilização para cobrar do governo a sequência da duplicação da rodovia, que atualmente representa um entrave para a economia regional.

O movimento acompanha, com uma equipe especializada, a situação de cada um dos 14 lotes em que a obra está dividida. Diante das informações desencontradas, os coordenadores buscam a agenda de uma reunião com o novo ministro dos Transportes, Maurício Quintela. O pedido de reunião com o presidente interino, Michel Temer, também é considerado. Em ambos os casos, informa nota do Movimento Nova 381, o objetivo é assegurar a prioridade e os recursos necessários à duplicação.

O movimento também busca novas adesões à página da Nova 381 na internet. O link de inscrição é http://www.nova381.org.br/site/cadastro.php. "Nosso objetivo é chegar rapidamente a 100 mil participantes (até este sábado eram 26.370). Precisamos mostrar que estamos unidos em torno da reivindicação e essa é uma das formas", conclui Luciano Araújo.

Já foi publicado sobre o assunto:

Sem dinheiro, Dnit pode parar obras, incluindo as da BR-381 - 06/05/2016

Variante na BR-381 é cancelada e projetos voltam à estaca zero - 10/06/2016
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Envie seu Comentário