Preso acusado de latrocínio

Wellington Fred


Deivid aguardava em liberdade o trâmite final do processo e aproveitou para sumir da região

DA REDAÇÃO - Está recolhido na cadeia pública da cidade de Juatuba, Região Metropolitana de Belo Horizonte, o auxiliar de serviços Deivid Avelino dos Santos, 18 anos. Ele é considerado foragido da Justiça de Timóteo, acusado do latrocínio (roubo seguido de morte) da aposentada Jacira Raimunda, 41 anos, ocorrido na madrugada de 29 de janeiro, na rua Juriti, 881, bairro Macuco.

Juntamente com um adolescente, ele teria invadido a casa da vítima para roubar-lhe o dinheiro da aposentadoria, sendo que a mulher era portadora de deficiência física em uma das pernas. Eles levaram um televisor de 14 polegadas e um facão da residência invadida. O aparelho de TV foi encontrado com o auxiliar de serviços Orderval Drumond Martins, 20 anos, acusado de receptação.

O corpo de Jacira foi encontrado por vizinhos, sem roupas e com os pés amarrados. Ela ainda estava com uma palha de aço dentro da boca e apresentava cortes nos braços. Segundo laudo do IML, ela foi vítima de asfixia. Deivid negou ter assassinado a aposentada e jogou a culpa no adolescente. Ele alegou que apenas roubou o televisor. O adolescente rebateu a acusação.

Deivid iria aguardar em liberdade o trâmite final do processo, porém fugiu da região. O rapaz foi preso em Betim, na Grande BH. Dias depois, escapou da cadeia com mais sete presos e acabou localizado no bairro Canaã, em Juatuba, na casa de uma irmã. Ele foi recapturado pelos agentes Eustáquio Procópio e Antônio Edmar, policiais civis da Regional de Juatuba, e deverá ser recambiado para o Vale do Aço nos próximos dias.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO