03 de julho, de 2024 | 09:09

Comércio do Vale do Aço apresenta saldo negativo na geração de empregos

Isabelly Quintão
Em maio, comércio apresentou um déficit de 36 empregos formaisEm maio, comércio apresentou um déficit de 36 empregos formais

O comércio da Região Metropolitana do Vale do Aço (RMVA) apresentou saldo negativo nas contratações formais, tanto no mês de maio quanto no acumulado do ano. Em maio, o déficit foi de 36 pessoas com carteira assinada. Enquanto nos cinco primeiros meses do ano, o saldo foi -103.

Os números são constatados no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo Caged) e foram divulgados pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) na semana que passou. A tabulação de dados locais foi feita pelo Observatório das Metropolizações Vale do Aço/IFMG e repassados ao Diário do Aço.

No mês de maio, Coronel Fabriciano (+10) e Santana do Paraíso (+04) apresentaram um saldo positivo na geração de empregos. Por outro lado, neste mesmo mês, Ipatinga (-15) e Timóteo (-35) não se igualaram a essa elevação relacionada ao mercado de trabalho nos outros municípios.

No acumulado do ano, Santana do Paraíso continuou crescendo nas contratações, com +35. No entanto, Fabriciano apresentou uma queda, com um saldo negativo de -18. Enquanto isso, Ipatinga (-38) e Timóteo (-82) deram continuidade à redução de contratações formais.

Indústria
O cenário da indústria no Vale do Aço também não é diferente quando se trata de novos empregos gerados com carteira assinada. No quinto mês do ano, o déficit das contratações formais da região foi de -131.

Da mesma forma que o comércio, Coronel Fabriciano (+61) e Santana do Paraíso (+21) apresentaram saldo positivo, mas Ipatinga (-63) e Timóteo (-150) não.

O geógrafo e coordenador estatístico e de pesquisa do Observatório das Metropolizações Vale do Aço/IFMG Ipatinga, William Passos, relata que com a perda de dinamismo da indústria é o setor de serviço que passa a puxar o emprego da economia metropolitana. “Este setor, que havia gerado 268 novas vagas em abril, num cenário completamente oposto, fechou 179 postos de trabalho formais em maio”, afirma.

No acumulado do ano, para a indústria, a situação não tem muitas mudanças. Fabriciano com um saldo positivo de +189 e Paraíso com +109. Somente Ipatinga que passou a ter um maior número de pessoas em regime CLT, sendo +46. Por fim, Timóteo é o município que tem o pior resultado dentre os cinco meses de 2024, com -411 contratações de carteira assinada.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Tião Aranha

04 de julho, 2024 | 13:49

“O Cris tb tem muita esperança de mudar o Brasil. A diferença é que ele tem menos de 40 anos; e eu, mais de 70. Até que a fórmula de mudança - eu tenho. Difícil é seguir, /basta só ler uma página do meu livro/. Rs.”

Cleber Souza

04 de julho, 2024 | 06:51

“Ipatinga e uma cidade de interior. Simples assim. Ou vc trabalha na Usiminas ou você trabalha no comércio que está enfraquecido após a pandemia... simples assim. O comércio online agrava o fato....”

Cris

03 de julho, 2024 | 23:33

“Vale do aço concentra os menores salários do estado. Comprar o quê, além de comida?
O senhor Tião Aranha tem que sair da teia, e pensar um pouco, o vale do aço está na contra mão do país,que tem gerado milhares de empregos, e reduziu a taxa de desemprego.”

Verdade Nua e Crua

03 de julho, 2024 | 13:33

“Centro de Ipatinga acabou!!!”

Pronto Falei

03 de julho, 2024 | 11:48

“Funcionários desvalorizados, mal atendimento, preços maiores que não internet, ruas sujas e cheias de noias. Sem banheiros e sem área descente de estacionar. Ha itens que não se acha fácil. Enfim, o comércio tradicional carece de administração competente mas essa mesma turma aí prefere ir usar camisa da seleção para resolver sei problemas. Há meses não uso comércio comum pra nada, nem shopping viu e não faz nenhuma falta.”

Tião Aranha

03 de julho, 2024 | 11:24

“O dólar subindo é prova que a economia não vai bem. Nenhum investidor quer investir num país em constantes crises políticas. Mas a escolha foi do povo.”

Felipe

03 de julho, 2024 | 10:28

“Eu evito fazer compra nestes local onde cobra para estacionar na rua. Nao tem seguranca nenhuma e tem que pagar pra estacionar na rua.”

Noe

03 de julho, 2024 | 07:54

“Não valoriza funciona,tem empresa supermercado, funcionário faz multi função e salário e mesmo,não tem nem um benefício”

Dudu

03 de julho, 2024 | 07:36

“Ninguém quer ir ao centro da cidade fazer comprar, você chega lá, além de ladrões pra roubar e quebrar os veículos estacionados, tem o estacionamento que é cobrado, onde beneficia apenas a zona azul, melhor ir no shopping, que tem estacionamento que é protegido, essa zona azul é uma roubalheira danada, o intuito dela é so prejudicar os motoristas, pois é um serviço que não tem retorno nem um que chega a ser ridículo, Ipatinga é a cidade que os moradores não tem direito nem de estacionar nas próprias ruas com tranquilidade.”

Envie seu Comentário