USIMINAS TRAINEE 02 - 728X90

01 de julho, de 2024 | 09:20

Jovem sai para ir à igreja e retorna para casa com marcas de violência após encontrar rapaz, em Ipatinga

Elza Fiuza/Arquivo Agência Brasil
Imagem ilustrativaImagem ilustrativa
Uma menina, de idade não divulgada, saiu de casa na noite deste domingo (30/6), avisando para a mãe que iria à uma igreja evangélica na Vila Ipanema, bairro em que a família mora em Ipatinga. No entanto, ao retornar para a residência, foi percebido que a jovem apresentava sinais de violência.

A menina, perguntada onde estava, não conseguiu responder. Foi quando perceberam que ela estava com dificuldades de caminhar e com a fala desconexa, pronunciando palavras com muita dificuldade.

Ela estava ainda com as vestimentas sujas de terra e com resquícios de vegetação nos cabelos. Depois de insistir, a menina disse que havia sido agredida fisicamente por um morador do bairro.

Ao auxiliar a filha no banho, foi percebido que ela estava com hematomas nas nádegas e nos dois braços, além de ter percebido sangue depositado em sua roupa íntima.

A PM foi acionada e foi até à residência do indivíduo, que disse que conheceu a menina por meio do Instagram, e que após trocarem algumas mensagens, se encontraram próximo à igreja, e que a menina, com medo de ser encontrada em sua companhia pediu que ele fosse com ela para outro local que ficava na entrada da subestação da Copasa e lá chegando, começaram a se beijar. Ainda segundo o rapaz, a menina tirou a roupa, e que durante o ato sexual, ela pediu para que ele fizesse marcas em seu pescoço com a boca e desferisse socos em suas nádegas e nas suas costelas.

A menina foi atendida por uma médica, que alegou que a paciente estava desacordada e que possivelmente havia ingerido uma substância química desconhecida que havia causado o seu desmaio. A profissional não conseguiu realizar os exames que permitem constatar violência sexual, pois a paciente permanecia desacordada.

O suspeito foi apresentado à delegacia da PC para demais providências.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]
MAK SOLUTIONS MAK 02 - 728-90

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Jota - Jota

02 de julho, 2024 | 07:11

“Como sempre - REDE SOCIAL - mutilando física e mentalmente jovens sem rumo, sem eira nem beira.”

Gildázio Garcia Vitor

02 de julho, 2024 | 04:43

“Senhora Carla, os GCMs ficam também nos Bairros Bethânia-Canaã, ontem à tarde tivemos a honra de recebê-los, liderados pela Sargento Maciel, na Escola Municipal Chirlene Cristina Pereira, localizada no final do Bairro Bethânia.
E não estavam a passeio, faz parte do trabalho deles dar o apoio necessário às instituições de Ensino do Município, o que, na minha humilde opinião, tem sido muito bem feito, portanto, parabéns à Sargento Maciel e sua equipe.”

Cidadão

02 de julho, 2024 | 00:47

“? uma situação complicada esse caso,mais onde eu moro vejo várias meninas entre 13 e 14 anos matando aula na escola e pulando muro aqui de um clube abandonado,todas acompanhadas por meninos com.as mesma idade,de uma coisa é certa que os Pais acham que as mesmas e os mesmos estão estudando...Aí quando acontece algo fica até difícil saber quem tá mentindo e quem tá falando a verdade..”

Carla

01 de julho, 2024 | 21:21

“Os GCM de Ipatinga mg só fica no parque Ipanema ou no bairro canaã ,cadê o policiamento ostensivo?”

João

01 de julho, 2024 | 18:54

“História mal contada essa, parece tipo prenda sua cabrita que meu bode está solto.”

Pjl

01 de julho, 2024 | 11:47

“A mulher é violentada toda vez que algo lhe é imposto. É violada em sua individualidade e sua dignidade uma vez que perde o poder de decisão sobre seu corpo.”

Dudu

01 de julho, 2024 | 10:54

“Eita, situação complicada, não da pra saber se ela que quis isso ou se foi a força. Situações como essa tem que ser tratada com muita atenção, pois julgamentos prematuros podem fazer um estrago na vida desses jovens.”

Justiceiro

01 de julho, 2024 | 09:47

“Segue a violência desmedida no Vale do Cangaço...”

Anonimo

01 de julho, 2024 | 09:42

“Que loucura!”

Envie seu Comentário