07 de junho, de 2024 | 15:30

Espetáculo “Dois Perdidos” está de volta ao palco de estreia em Timóteo

Beto de Faria
A peça é livremente inspirada na obra de Plínio MarcosA peça é livremente inspirada na obra de Plínio Marcos
Neste sábado (8), a partir das 20h, o Teatro da Fundação Aperam Acesita, em Timóteo, recebe o espetáculo “Dois Perdidos”, realizado pela Cia. Ideia e dirigido por Beto de Faria. A peça é livremente inspirada na obra “Dois Perdidos numa Noite Suja", do diretor, ator e jornalista paulista Plínio Marcos (1935-1999). Os ingressos podem ser adquiridos pelo preço promocional de R$ 20 no site do Sympla, ou diretamente na bilheteria do teatro até duas horas antes do início da apresentação.

O processo de “Dois Perdidos” começa com a leitura do clássico texto de 1966, escrito pelo dramaturgo Plínio Marcos. A partir desta obra, o diretor e dramaturgo Beto de Faria parte para a escrita de uma dramaturgia totalmente nova, pegando a ideia de dois homens sozinhos, de realidades totalmente distintas, e o choque e o aprendizado que é gerado a partir dessa colisão de realidades.

“O espetáculo foi para um lugar totalmente diferente do texto do Plínio Marcos”, relata Beto de Faria. “O nosso trabalho aborda relações de pai e filho, filho e pai, marido e esposa, indivíduo e a vida. É um trabalho que aborda o auto perdão”, sintetiza.

Duas realidades
A peça é encenada por Cemario Campos (68) e Roberto Iokel (63), que vivem Paco e Tonho, respectivamente. Paco é um professor universitário que já deveria estar aposentado, mas a aposentadoria não daria dignidade para descansar. Já Tonho é engenheiro aposentado, viúvo e curte a atual fase da vida em bares e assistindo a jogos de futebol. Essas duas realidades se encontram numa construção abandonada, procurando abrigo durante uma grande tempestade.

Ricardo Alves/Divulgação
Os atores Cemario Campos e Roberto Iokel dão vida aos personagens Paco e TonhoOs atores Cemario Campos e Roberto Iokel dão vida aos personagens Paco e Tonho
“Os espectadores podem esperar muita emoção para essa peça. O cenário é feito em animação, com projeção mapeada, assinada pelo artista Danilo Almeida, da Medulla Studios. É um espetáculo muito dinâmico, muito moderno, contemporâneo e muito emotivo. O público pode esperar viver emoções genuínas ao assistir ao nosso trabalho”, explica Beto.

O espetáculo “Dois Perdidos” é o segundo da Cia. Ideia de Teatro, e após a estreia em setembro de 2023, também no Centro Cultural da Fundação Aperam Acesita, circulou pelos principais teatros da região. “O espetáculo é o mesmo. Ele funcionou maravilhosamente bem, o público recebeu muito bem, e nessa estreia no Teatro da Fundação Aperam, depois que a gente terminou a apresentação, a gente teve um debate mediado por uma psicóloga, e ninguém foi embora, todas as pessoas que foram no teatro ficaram para poder falar do que sentiram. O público ter recebido a estreia dessa forma, mostrou que a gente está no caminho certo e não sentimos a necessidade, durante o processo, de mudar ou incluir coisas novas, até porque se tivesse mesmo eu como dramaturgo e diretor da peça, não teria problema. O teatro é vivo e sempre ele está se modificando, sempre a gente está descobrindo lugares novos, mas não tem mudanças da primeira apresentação para essa”, conclui Beto. Neste sábado, também, haverá um bate-papo sobre o processo e as percepções do público em relação ao trabalho, tendo como mediador o psicanalista, professor e escritor Beto Oliveira.

Ficha técnica
O espetáculo tem a direção e o texto de Beto de Faria, a preparação de elenco de Wan Douglas Gonçalves, a iluminação de Matí Lima, a sonoplastia e trilha sonora de Juninho Ars. O cenário é feito em animação e projeção mapeada assinada pelo artista Danilo Almeida e Medula Estúdio. A fotografia é de Ricardo Alves e o audiovisual, da Equipe 1 Filmes.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]
MAK SOLUTIONS MAK 02 - 728-90

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Envie seu Comentário