07 de junho, de 2024 | 07:02

Protesto pede justiça por eletricista morto asfixiado em ação de seguranças

Homem de 55 anos foi acusado de furto, abordado do lado de fora de supermercado e morreu asfixiado

Arquivo pessoal
Cássio Moreira da Silva faleceu no dia 11 de março, na porta de um supermercado no Centro de FabricianoCássio Moreira da Silva faleceu no dia 11 de março, na porta de um supermercado no Centro de Fabriciano

A família do eletriscista Cássio Moreira da Silva, morto após ser imobilizado por seguranças de um supermercado da região, organiza um protesto no próximo domingo (9), às 10h. A manifestação ocorrerá em frente à Igreja Matriz de Coronel Fabriciano, no Centro. Três meses após o falecimento de Cássio, ainda não há nenhum acordo judicial com a empresa responsável pelos funcionários.

Cássio Moreira era morador do bairro Melo Viana e tinha 55 anos. No dia 11 de março deste ano, ele foi imobilizado por dois seguranças de um supermercado no Centro. Vídeos feitos por populares mostram Cássio sendo contido em frente ao estabelecimento comercial.

O homem foi agredido após o segurança suspeitar que ele teria roubado bebidas e alguns outros itens do estabelecimento. Ao ser contido pelos seguranças, a vítima resistiu e, com a força empenhada pelos profissionais a serviço do supermercado, acabou morrendo de asfixia. A vítima foi levada ao hospital, mas já teria chegado sem vida.

Izabel Cristina Moreira é irmã de Cássio e conta que será uma manifestação pacífica, para não deixar o assassinato de seu irmão cair no esquecimento. "Vamos reunir familiares, amigos e todos que se sentiram indignados com a violência ocorrida no dia do assassinato do meu irmão. Ele trabalhava, tinha muitos amigos, era amado pela família, não merecia ser morto de forma brutal, como foi", declarou a irmã, acrescentando que Cássio era eletricista e prestava serviço para algumas empresas da região.

Processo
O advogado da família da vítima, Wanderson Bruno Soares Secundino, que atua em Ipatinga, explica que já se passaram três meses e a empresa se recusa a dar um posicionamento e não prestou nenhuma assistência. A família espera que a empresa reconheça o dano e realize a justa compensação. Ainda conforme o advogado, a empresa se recusou a fornecer as filmagens que possam provar que Cássio tenha roubado algum produto.

“Depois apresentaram uma sacola com os possíveis bens subtraídos, mas quem está subtraindo algo tem tempo de colocar em sacola? Para nós é mais uma situação que foi forjada. Igual alegaram que ele ainda estava vivo e que chegou com vida ao hospital. A própria polícia atestou que ele já não tinha mais sinais vitais", argumenta Wanderson Bruno.

A família da vítima pede o reconhecimento do dano e a justa compensação por parte do supermercado. "Já tivemos várias reuniões com os advogados da empresa, mas sem chegar a um acordo pelos danos causados à família. Deixando claro que a família não tem interesse em extorquir a empresa, mas que a contraprestação seja ao menos na medida do dano de uma mãe de mais de 90 anos que perde um filho da forma que perdeu", declarou o advogado.

Inquérito
Em nota enviada pela assessoria de comunicação, a Polícia Civil de Minas Gerais informou que o inquérito policial sobre este caso foi devidamente concluído e remetido à Justiça Pública. A PC, porém, alega não ser possível detalhar mais informações, pois o caso tramita em sigilo de Justiça.

Já publicado:
-Homem suspeito de furto morre em abordagem de seguranças de supermercado no Centro de Coronel Fabriciano
-Seguranças de supermercado aguardam em liberdade inquérito do homicídio de Cassio Moreira
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Oliveira

09 de junho, 2024 | 10:24

“A vida de um meliante é desvalorizada por suas ações de não respeitar os limites impostos pelas leis oara manter uma sociedade. Sendo assim, desvaloriza a vida de outros, tendo como possível resultado a perda de seu bem maior, que por esta conduta mostrasse insignifiicante, assumindo o risco. É claro que criamos a figura de protesto contra o que achamos incorreto antes conhecermos a verdade eivados apenas pela emoção. De qualquer forma, sabemos que agiriamos de forma parecida se fossemos lesados ou gostarimaos que fossemos tutelados pelo mesmo Estado que criticamos.”

Domingos

08 de junho, 2024 | 22:53

“Mesmo que roubasse o supermercado todo não tinham o direito de tirar a vida. Uma vida tem valor imensurável.”

Comunista Véio

08 de junho, 2024 | 10:23

“O capital deixa os cães raivosos prontos pra destroçar quem roube o seu patrimônio. E os cães são imprevisíveis.”

Sem Perdão

07 de junho, 2024 | 18:43

“O protesto tem que ser enfrente o supermercado para que todos fiquem sabendo que ali aconteceu um assassinato”

Graças

07 de junho, 2024 | 17:11

“Justiça e pelo CPF ou CNPJ,neste caso fica impune o supermercado, normal da promotoria.”

Justicia Morta

07 de junho, 2024 | 16:19

“Na verdade caso fosso um Pessoa famosa de coronel fabriciano mg ou filhos de policial alguem do clube casa de campo onde fica irmadade maçonica que grupo secreto de empresarial tenha certeza os dois seguranca fundo de quintal que empresa e tecerizada comondada pelo policía que um oficial aposentando.. este 02 lixo humano ja estaria preso”

Oliveira

07 de junho, 2024 | 14:41

“Estranho, um tratamento desta natureza a alguém que não fez nada? Deve-se apurar os fatos desde a alegação de furto em supermercado até um possível excesso na abordagem. Quanto ao advogado, eles tem interesses apenas financeiros, não importa a verdade.”

Bom

07 de junho, 2024 | 14:39

“Se o povo tivesse sentimento o mínimo a fazer era ninguém pisar mais nesse mercado SUJO, IMUNDO, NOJENTO ,.
Foi um assassinato gente ,uma vida ceifada .e uma família em sofrimento.”

Emerson

07 de junho, 2024 | 14:25

“O PROBLEMA MAIOR E O DESPREPARO DOS SEGURANÇAS.... SE O RAPAZ COMETEU CRIME CHAMASSEM A POLÍCIA NÃO RENDER O RAPAZ E O ASFIXIAR”

Indignado

07 de junho, 2024 | 10:15

“O que esperar da justiça brasileira? Nada!!! Infelizmente o meu amigo Cássio não vai ter a justiça sendo feita em sua trágica morte, se realmente ele fosse um ladrão talvez os responsáveis por sua morte estariam presos, hoje no Brasil o errado é o certo perante a justiça, que descanse nos braços do Senhor meu eterno amigo cassino.”

Carlos Camilo de Oliveira

07 de junho, 2024 | 09:42

“Isto mesmo ,rapaz de boa índole ,sempre trabalhando, rever as câmeras de segurança ,”

Envie seu Comentário