02 de junho, de 2024 | 14:45

Criança fabricianense vítima de incêndio em carreta no Ceará não resiste às queimaduras

Divulgação Corpo de Bombeiros
Incêndio foi iniciado quando válvula de carreta-tanque estourou e líquido altamente inflamável atingiu área onde família mineira cozinhavaIncêndio foi iniciado quando válvula de carreta-tanque estourou e líquido altamente inflamável atingiu área onde família mineira cozinhava

O incêndio ocorrido dia 5 de maio, quando uma família de Coronel Fabriciano foi atingida por um incêndio em uma carreta, fez a segunda vítima. O pequeno Arthur, um menino de um ano e nove meses, que havia se queimado, também não resistiu depois de ficar 25 dias internado no Hospital Instituto Doutor José Frota, em Fortaleza. Seu pai, Maximiliano Almeida Moraes, de 35 anos, também foi socorrido com vida, mas não resistiu às queimaduras. O incêndio aconteceu no pátio de um posto à margem da BR-116, entre os municípios de Alto Santo e Jaguaribara.

Três pessoas foram internadas com queimaduras, incluindo o motorista Max Almeida, que não resistiu e morreu dez dias depois e agora o seu filho, de três anos. O corpo de Max foi sepultado dia 19, em Coronel Fabriciano, conforme noticiado pelo Diário do Aço.

O Corpo de Bombeiros Militar do Ceará (CBMC) foi acionado e encontrou dois veículos em chamas: um caminhão-tanque carregado com um líquido altamente inflamável, e um caminhão que transportava alimentos e tinha como motorista o fabricianense.
Reprodução
O pequeno Arthur, um menino de um ano e nove meses, que havia se queimado, também não resistiu depois de ficar 25 dias internado no Hospital Instituto Doutor José Frota, em Fortaleza. Seu pai, Maximiliano Almeida Moraes, de 35 anos, também  foi socorrido com vida, mas não resistiu às queimadurasO pequeno Arthur, um menino de um ano e nove meses, que havia se queimado, também não resistiu depois de ficar 25 dias internado no Hospital Instituto Doutor José Frota, em Fortaleza. Seu pai, Maximiliano Almeida Moraes, de 35 anos, também foi socorrido com vida, mas não resistiu às queimaduras

Testemunhas relataram que o condutor do caminhão-tanque estacionou o veículo, por volta de 14h, ao lado de uma carreta que transportava ovos e saiu. Uma válvula no topo do tanque explodiu com a pressão e o líquido inflamável foi projetado para cima.

Ao cair de volta, atingiu os arredores da carreta onde a família estava preparando almoço em um fogão na lateral da carreta. As chamas se espalharam rapidamente por todos os lados, inclusive na carreta-tanque carregada com BTX, um derivado do álcool.

Equipes do Corpo de Bombeiros Militar foram acionadas e o combate ao fogo durou cerca de duas horas. A notícia da morte de Arthur, a segunda vítima deste sinistro, foi divulgada neste domingo por familiares e conhecidos da família em Coronel Fabriciano.

Uma câmera de segurança mostrou o momento em que o incêndio começou e o que provocou o sinistro:


Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]
MAK SOLUTIONS MAK 02 - 728-90

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Bom

02 de junho, 2024 | 18:37

“Deus acalente esses corações, que tragédia.”

Envie seu Comentário