Expo Usipa 2024 02 - 728x90

13 de maio, de 2024 | 06:00

Com retorno de chuva forte no RS, população deve buscar áreas seguras

Chegam a 143 as mortes causadas pelas enchentes e enxurradas no Rio Grande do Sul, desde o fim de abril. Há 131 pessoas desaparecidas, e 537.380 ficaram desalojadas

Com informações da Agência Brasil
Gustavo Mansur/ Palácio Piratini
Os cenários previstos neste domingo (12) pelo Instituto de Ciências Hidráulicas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) confirmam o repique da cheia do Rio GuaíbaOs cenários previstos neste domingo (12) pelo Instituto de Ciências Hidráulicas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) confirmam o repique da cheia do Rio Guaíba

Com as chuvas intensas que voltaram a cair em diversos municípios do Rio Grande do Sul no fim de semana, inclusive na capital, Porto Alegre, a Defesa Civil gaúcha emitiu novos alertas para que a população busque por áreas seguras.

Entre as regiões com "risco de inundação severa" estão os vales do Taquari e do Caí, de acordo com os alertas mais recentes da Defesa Civil. “Quem mora em regiões próximas, ou em áreas com histórico de alagamentos ou inundações deve sair com antecedência, de forma ordenada, buscando um local seguro para permanecer”, orienta o órgão.

O governo publicou na noite de sábado (11), no Diário Oficial da União (DOU), uma nova medida provisória, com a abertura de R$ 12,1 bilhões em crédito extraordinário, para que órgãos federais possam atuar no enfrentamento das consequências das fortes chuvas no Rio Grande do Sul.

Na noite de sábado, o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, alertou que os rios Taquari, Jacuí, dos Sinos e Caí devem voltar a ter elevação de nível, após leve recuo nos últimos dias. “Espalhem essa informação”, pediu Eduardo Leite em vídeo publicado nas contas oficiais do governo nas redes sociais.

Na região metropolitana de Porto Alegre, o prefeito de Canoas, Jairo Jorge, também fez um apelo, neste domingo (12), para que quem voltou para casa após o recuo das águas volte a deixar os locais suscetíveis a alagamentos. “Saia imediatamente porque as águas voltarão, e a pessoa provavelmente terá que ser resgatada [se ficar]”, disse ele em vídeo publicado na conta da prefeitura no Instagram.

Segundo o balanço mais recente do governo estadual, até o momento 76.399 pessoas foram resgatadas depois de ficarem ilhadas em diferentes pontos de alagamento, em algum dos 446 municípios afetados. Foram salvos também 10.555 animais.

Na capital gaúcha, o Lago Guaíba voltou a apresentar elevação de nível neste domingo (12), com expectativa de superar marcas acima de 5 metros, 2 acima da cota de inundação, conforme a chegada da vazão pelos rios contribuintes e a atuação dos ventos.

A Laguna dos Patos, ao sul, encontra-se também em níveis bem elevados e com tendência de aumento significativo nos pontos monitorados das regiões costeiras. A informação é da Sala de Situação do Rio Grande do Sul.

A Defesa Civil alerta as pessoas afetadas pelas cheias a não atravessar áreas alagadas a pé ou de carro. “Procure informações com a Defesa Civil de sua cidade. Em caso de emergência, ligue 193/190”, recomenda o órgão.

Dados oficiais
Pelos dados oficiais, foram registradas até o momento 143 mortes causadas pelo mau tempo, com enchentes e enxurradas no Rio Grande do Sul, desde o fim de abril. Há 131 pessoas desaparecidas, e 537.380 ficaram desalojadas. Ao todo, 81.285 encontram-se em mais de 700 abrigos temporários espalhados pelo estado.

Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Antônio Madeira de Almeida

13 de maio, 2024 | 16:11

“Coragem ,não tenhas medo. Deus está no controle.”

Tião Aranha

11 de maio, 2024 | 16:25

“A curto prazo, a solução será reconstruir a capital noutro lugar. Descaso ou abandono, com certeza não morreu nenhum político. Do jeito que a Natureza tá revoltada ninguém estará imune dessas tragédias que daqui pra frente serão constantes... Consequência do aquecimento global.”

Emerson

11 de maio, 2024 | 16:17

“CONCORDO COM VC MARLEY UM ABSURDO ATÉ OS ARTISTAS PREOCUPADOS COM O CAVALO QUE ESTA SALVO QUERENDO ADOTAR TUDO PRA FAZER MÍDIA TANTAS CRIANÇAS QUE PODEM TER FICADO ÓRFÃS E NENHUM FALA EM ADOTAR..ESTE PAÍS VIROU UMA BAGUNÇA... VÁRIOS ARTISTAS ESTÃO SE DESLOCANDO PRA LÁ PRA FAZER MÉDIA ATÉ O ALEXANDRE FROTA KKKKKKK CADA UMA.... DEUS ABENÇOE O POVO DO RIO GRANDE DO SUL...”

Marley

11 de maio, 2024 | 13:31

“E os governantes do país , algumas pessoas , e a rede de televisão , preocupadas com a situação do cavalo caramelo . O programa cidade alerta da Record arrumou até um cachorro em cima de uma casa e assim garantir audiência .
Mas vamos em frente .
Força e fé RIO GRANDE DO SUL .”

Envie seu Comentário